Pular para o conteúdo principal

Quem sabe?

     Dia nublado e razoavelmente frio. Estamos em novembro, mas parece inverno. O Rio de Janeiro em guerra, carros ardendo em chamas e as autoridades públicas pedindo para que seja mantida a rotina de cada um... Que rotina? Como mantermos a rotina se uma guerra se desenrola ao lado... Sei lá estou distante dos fatos, mas acho que é impossível manter qualquer rotina que não seja a do medo.
     Mas não é sobre isso que quero discorrer, foi apenas um desabafo.
     Há muito tempo não escrevo, o dia-dia me tomava todas as forças, o cotidiano é um dos maiores males de nosso tempo. Temos tanta coisa para fazer que perdemos a noção do que realmente nos importa. Quem sabe o que é importante?
     Como decidimos o que vamos dar prioridade, será que esta decisão não esta condicionada a valores pouco importantes. Será que não temos que rever tudo que nos cerca, buscamos segurança em nossas vidas e quando adquirimos a dita estabilidade vemos que não é suficiente.
     Não sei, mas quem sabe procuremos estabelecer novas prioridades em nossas vidas. Não apenas olhando para dentro de si, mas observando o entorno e buscando ser seres melhores. É muito melhor tentar do que apenas ficar parado esperando o tempo passar. A mudança não se dá de uma hora para outra, é uma escalada diária, um conquistar constante. Mas deve haver o primeiro passo, acho que hoje estou dando este passo inicial. Vou trilhar este caminho e espero que chegue num lugar, caso não chegue a lugar nenhum, que o caminho seja aprazível. Claro que haverá espinhos, mas que haja também algum tipo de alegria. Quem sabe?
Um Lugar para começar a jornada...

Trilha sonora: 
Keith Richards - Álbum Stoned Stone
Gimme Shelter
Yap Yap
How I Wish
999
Body Talks
Time Is On My Side

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Os conflitos de Lucas

- Hoje você me disse que tudo estava acabado. Mas estamos aqui neste motel.
     - Não retiro o que te disse. Estar aqui é mais uma prova que o nosso amor acabou e que o único lugar onde ele ainda pulsa é aqui. O que é uma pena.
     - Mas ainda tem um lugar onde somos felizes.
     - Tu acha que felicidade é isso que vivemos? Se tu acha que isto aqui é felicidade, tenho que te dizer que você nunca foi feliz...
     - Eu aqui nos teus braços sou a mulher mais feliz deste mundo e isto é felicidade para mim.
     - Pois eu queria algo mais.
     - Lucas, tu é o primeiro homem que me diz isso, talvez por isso você seja tão especial.
     - Não sou especial, apenas quero ser feliz e formar uma família. Só isso, será que é pedir demais?
     - Com certeza para uma mulher como eu é pedir demais... Nem meu nome tu sabe. Só meu nome de guerra.
     - Como assim, tu não se chama Sharon?
     - Claro que não. Meu nome é comum e não combina com o que faço.
     - Então se revele, pelo menos…

"Como fazer sexo"

O Google a cada ano nos revela as trends, em nosso amado português podemos traduzi-lo como tendências. Ou no português mais nosso ainda são os termos mais pesquisados no ano. É interessante dar uma olhada para vermos como somos fúteis. No Brasil para se ter uma ideia o termo mais pesquisado foi o BBB13. Estamos reduzidos a quase nada. Ou um nada completo.
     Mas o que mais me chamou a atenção foi um o tal tópico de "Como fazer". São todas as pesquisas com tem como intenção descobrir como fazer determinada coisa e pasmem está em quarto lugar a pesquisa "como fazer sexo". Não acreditam, então acessem o link: Trends: Como fazer sexo. Fico imaginando a pessoa "googleando" antes daquela noite (manhã ou tarde) de sexo. "Já sei como fazer, mas quero dar uma recordada, hoje promete e não quero decepcionar". É o fim da várzea.
      Eu sei que o google faz parte da nossa vida, não nos vemos sem esta ferramenta dos tempos modernos, mas pesquisar c…

Vida em anacruse

Já escrevi vários inícios. Muitos refeitos ou deletados.
     Tentativas vãs. Ou melhor, tentativas desfeitas, mas não vãs, pois todas, absolutamente todas me ensinaram alguma coisa. Na verdade pouco importa, porque a cada início tudo se repete. Queria que fosse diferente. Talvez como a música que está tocando. Follow Me do disco Imaginary Day do Pat Metheny  é a música perfeita para retratar o que quero dizer. Esta música já inicia no meio de um compasso, o que recebe o nome de anacruse, acho que é este o nome.
     A vida poderia ser uma grande anacruse. Explico. Primeiramente tenho que tentar definir anacruse como a ausência de tempos no primeiro compasso de uma melodia. Não sou músico, por isso defino a anacruse de forma tão simplória e tosca. O que quero dizer com esta figura de linguagem é que seria mais fácil se a vida fosse em anacruse, ou seja, quando menos esperássemos já estaríamos vivendo, sem nenhum subterfúgio ou intróito. Não prepararíamos nada. Não desperdiçaríamo…