Pular para o conteúdo principal

O homem nu

     O mundo muda a cada instante, todos mudamos nestes mesmos instantes. O blogueiro neófito mudou. Por quê? Não sei bem, mas no dia dois de novembro, comecei de novo. Acho que dei uma "resetada" no sistema e estou funcionando, neste momento, no modo segurança. Meus sistemas estão tentando voltar ao normal.
      Este blog não é um diário onde exponho meu eu, mas sim um lugar onde exponho o que penso e é fruto de uma necessidade de expressar, muitas vezes, sentimentos sem muito sentido... Não entrarei em detalhes sobre o motivo da "resetada". Mas o mais interessante que não vi nenhuma luz, minha vida não passou diante dos meus olhos, somente sentia dor e num dado momento tive a percepção que era sério e que deveria me manter calmo.
      A vida é assim aprendemos da forma mais dura. Seguimos sempre as mesmas estradas, os mesmos caminhos, cometemos os mesmos erros, amamos as mesmas pessoas, algumas vezes amamos outras, voltamos a amar quem sempre amamos... A vida é uma eterna repetição. Mas chega momentos que mudamos por vontade própria ou obrigados por acontecimentos da vida.
     O mundo continua a girar e eu, neste momento, sou apenas um passageiro deste mundo. Não tenho controle de quase nada. Estou trancando dentro de casa me recuperando, pensando neste novo Ledventure que está surgindo. Sou outro sendo o mesmo, sou o mesmo sendo outro. Olho a vida de forma diferente, me vejo de forma diferente. Sou diferente. Não sou melhor ou pior, apenas diferente. Mas a vida lá fora pulsa como nunca, alguns estão sendo presos, outros pegos com a mão na botija (os mesmos de sempre, parece que não aprendem), mas a maioria vive suas vidas.
     A minha vida agora está um pouco mais calma, eu estou mais calmo, não vivo aquela ânsia por não sei o que, apenas me cuido. Este post não tem o mínimo sentido, mas é parte de uma retomada, da minha retomada. Aos poucos começo a entender o que se passa comigo e o que se passa ao meu redor.
     Ontem tive um sonho, andava nu na beira da praia, não me importava com o que os outros pensavam, apenas andava nu. Sentia uma paz interior plena. Não pensava no nu, entendia que estava nu e não compreendia porque todos estavam vestidos. Eu me sentia livre de tudo. Num momento me sentei, sujando a bunda de areia, mais uma vez não me importei. Entrei no mar, curti as ondas e voltei a andar...

Trilha Sonora:
Low Life The Police -  Message in a Box
Careful With That Axe Eugene - Pink Floyd - The Pink Floyd Early Singles
Warm Ways - Fleetwood Mac - Fleetwood Mac
Walk Out In The Rain - Eric Clapton - Backless
O Bonde Do Dom - Marisa Monte Universo - Ao Meu Redor
When Love Comes To Town - U2 - The Best Of 1980-1990
Money talks (Rough Mix backing track) - Alan Parsons Projec - The Gaudi
Chains  - The Beatles - Please Please Me
Misty Mountain Hop - Led Zeppelin -Celebration Day
Goodbye Pork Pie Hat-Brush With T - Eric Clapton & Jeff Beck - Two Blue Birds Fly
Paradise steakhouse - Jethro Tull - Nightcap
Tema de amor - Marisa Monte - Memórias, crônicas e declarações de amor


    

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Os conflitos de Lucas

- Hoje você me disse que tudo estava acabado. Mas estamos aqui neste motel.
     - Não retiro o que te disse. Estar aqui é mais uma prova que o nosso amor acabou e que o único lugar onde ele ainda pulsa é aqui. O que é uma pena.
     - Mas ainda tem um lugar onde somos felizes.
     - Tu acha que felicidade é isso que vivemos? Se tu acha que isto aqui é felicidade, tenho que te dizer que você nunca foi feliz...
     - Eu aqui nos teus braços sou a mulher mais feliz deste mundo e isto é felicidade para mim.
     - Pois eu queria algo mais.
     - Lucas, tu é o primeiro homem que me diz isso, talvez por isso você seja tão especial.
     - Não sou especial, apenas quero ser feliz e formar uma família. Só isso, será que é pedir demais?
     - Com certeza para uma mulher como eu é pedir demais... Nem meu nome tu sabe. Só meu nome de guerra.
     - Como assim, tu não se chama Sharon?
     - Claro que não. Meu nome é comum e não combina com o que faço.
     - Então se revele, pelo menos…

"Como fazer sexo"

O Google a cada ano nos revela as trends, em nosso amado português podemos traduzi-lo como tendências. Ou no português mais nosso ainda são os termos mais pesquisados no ano. É interessante dar uma olhada para vermos como somos fúteis. No Brasil para se ter uma ideia o termo mais pesquisado foi o BBB13. Estamos reduzidos a quase nada. Ou um nada completo.
     Mas o que mais me chamou a atenção foi um o tal tópico de "Como fazer". São todas as pesquisas com tem como intenção descobrir como fazer determinada coisa e pasmem está em quarto lugar a pesquisa "como fazer sexo". Não acreditam, então acessem o link: Trends: Como fazer sexo. Fico imaginando a pessoa "googleando" antes daquela noite (manhã ou tarde) de sexo. "Já sei como fazer, mas quero dar uma recordada, hoje promete e não quero decepcionar". É o fim da várzea.
      Eu sei que o google faz parte da nossa vida, não nos vemos sem esta ferramenta dos tempos modernos, mas pesquisar c…

Vida em anacruse

Já escrevi vários inícios. Muitos refeitos ou deletados.
     Tentativas vãs. Ou melhor, tentativas desfeitas, mas não vãs, pois todas, absolutamente todas me ensinaram alguma coisa. Na verdade pouco importa, porque a cada início tudo se repete. Queria que fosse diferente. Talvez como a música que está tocando. Follow Me do disco Imaginary Day do Pat Metheny  é a música perfeita para retratar o que quero dizer. Esta música já inicia no meio de um compasso, o que recebe o nome de anacruse, acho que é este o nome.
     A vida poderia ser uma grande anacruse. Explico. Primeiramente tenho que tentar definir anacruse como a ausência de tempos no primeiro compasso de uma melodia. Não sou músico, por isso defino a anacruse de forma tão simplória e tosca. O que quero dizer com esta figura de linguagem é que seria mais fácil se a vida fosse em anacruse, ou seja, quando menos esperássemos já estaríamos vivendo, sem nenhum subterfúgio ou intróito. Não prepararíamos nada. Não desperdiçaríamo…