Pular para o conteúdo principal

Reflexões sobre nosso tempo

     Hoje pela manhã fui ler os jornais. Me deparei com uma notícia estarrecedora:
       "O governo da Síria aprovou nesta terça-feira a suspensão do estado de emergência vigente há 50 anos no país, informou a agência de notícias estatal. A medida era a principal reivindicação dos manifestantes oposicionistas, que protestam há semanas. O ditador Bashar al Assad ainda precisa assinar o documento, mas a assinatura é uma mera formalidade e tida como garantida. O estado de emergência -- que estava em vigor desde o golpe de Estado de 1963-- dava "carta branca" aos órgãos de segurança para reprimir dissidentes por meio da proibição da aglomeração de mais de cinco pessoas, prisões arbitrárias e julgamentos a portas fechadas, dizem membros da oposição..."
     Como um governante permite que seu país fique 30 anos em estado de emergência? Como pode um governante não se importar com a opinião dos seus governados? Estas perguntas ficaram martelando dentro de mim até agora. Não achei respostas.
     Nosso país  viveu um período parecido e na mesma época. Nosso pesadelo começou em 1964. Experimentamos todos os tipos de repressão, vivemos sob o jugo de uma ditadura, que alguns classificaram como branda. Mas na verdade foi como todas as demais ditaduras, atroz e feroz. Mas em um dado momento conseguimos dar fim neste estado totalitário. Coisa que somente agora os Sírios estão conseguindo. Não sei se completamente, pois o ditador ainda continuará no poder, não sabemos por quanto tempo.
     Viver num estado onde as liberdades individuais não são respeitadas é o pior dos mundos. A partir dos meus 16 anos quando me tornei um ser pensante e queria desesperadamente mudar o mundo, eu imaginava que bastava um estado socialista para os problemas acabarem. Sempre imaginei que se vivêssemos numa sociedade onde nos fosse assegurado a igualdade de oportunidades, onde pudéssemos ter condições mínimas de vida, pouco importariam as liberdades individuais. Hoje vejo que estava enganado, precisamos ter liberdade de pensamento, precisamos ter o livre arbítrio.
     Os estados ditos socialistas pecaram neste pequeno grande detalhe, retiraram o bem maior de toda nossa civilização. A história está aí para provar que não existe ser humano sem liberdade de expressão, sem liberdade para criação, sem o direito de decidir sobre suas vidas. Claro que isso não quer dizer que tenhamos que ser seres individualistas e não pensarmos no coletivo.
     Temos que formar um estado do bem estar social o conhecido "Welfare State"  compatibilizando com o respeito das individualidades de todos que formam uma determinada coletividade. É difícil, a vida em sociedade sem dúvida é complicada, mas não é impossível. Arrisco a dizer que o bem maior que temos é a nossa liberdade, por ela devemos lutar cotidianamente.
     Não me imagino vivendo numa sociedade vigiada pelo estado, onde este determine o que posso fazer ou deixar de fazer. Basta lermos 1984 de George Orwell para termos uma idéia de como seria viver num estado que se se intromete na vida de seus membros. Não, isto não pode ser vida e felicito os Sírios por darem um basta ou começarem a luta por mudanças sociais.
     Estado totalitários,sejam eles de direita, centro ou esquerda, não têm mais espaço em nosso mundo. Acho que nunca tiveram, mas tivemos que conviver com eles, agora é tempo de tirarmos de nosso convívio qualquer tipo de ação totalitária.






















Trilha sonora:
205 - Bill Withers - Lean On Me (1972)  Coletânea 500 Greatest Songs
03 Light as a Feather Norah Jones The Fall
06. Farmer's Trust Pat Metheny Travels
02 - Talkin' 'Bout You The Rolling Stones December's Children
12 - Band Introductions The Rolling Stones Shine A Light [Disc 1]
02 - Lucky Man Emerson, Lake and Palmer The Best Of Emerson, Lake & Palmer
01 Somewhere Only We Know Keane Hopes and Fears
04 - Carnival Fugue Focus Focus III
07 - Marooned [Edited version] Pink Floyd Echoes - The Best Of Pink Floyd [Disc 1]
Flight 505 The Rolling Stones Aftermath
02 Captain Fingers Lee Ritenour The Best Of Lee Ritenour
05 - Spread Your Wings News Of Queen News Of The World
05 - Janine David Bowie Space Oddity

03 Cream , White room Eric Clapton Complete Clapton

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Os conflitos de Lucas

- Hoje você me disse que tudo estava acabado. Mas estamos aqui neste motel.
     - Não retiro o que te disse. Estar aqui é mais uma prova que o nosso amor acabou e que o único lugar onde ele ainda pulsa é aqui. O que é uma pena.
     - Mas ainda tem um lugar onde somos felizes.
     - Tu acha que felicidade é isso que vivemos? Se tu acha que isto aqui é felicidade, tenho que te dizer que você nunca foi feliz...
     - Eu aqui nos teus braços sou a mulher mais feliz deste mundo e isto é felicidade para mim.
     - Pois eu queria algo mais.
     - Lucas, tu é o primeiro homem que me diz isso, talvez por isso você seja tão especial.
     - Não sou especial, apenas quero ser feliz e formar uma família. Só isso, será que é pedir demais?
     - Com certeza para uma mulher como eu é pedir demais... Nem meu nome tu sabe. Só meu nome de guerra.
     - Como assim, tu não se chama Sharon?
     - Claro que não. Meu nome é comum e não combina com o que faço.
     - Então se revele, pelo menos…

"Como fazer sexo"

O Google a cada ano nos revela as trends, em nosso amado português podemos traduzi-lo como tendências. Ou no português mais nosso ainda são os termos mais pesquisados no ano. É interessante dar uma olhada para vermos como somos fúteis. No Brasil para se ter uma ideia o termo mais pesquisado foi o BBB13. Estamos reduzidos a quase nada. Ou um nada completo.
     Mas o que mais me chamou a atenção foi um o tal tópico de "Como fazer". São todas as pesquisas com tem como intenção descobrir como fazer determinada coisa e pasmem está em quarto lugar a pesquisa "como fazer sexo". Não acreditam, então acessem o link: Trends: Como fazer sexo. Fico imaginando a pessoa "googleando" antes daquela noite (manhã ou tarde) de sexo. "Já sei como fazer, mas quero dar uma recordada, hoje promete e não quero decepcionar". É o fim da várzea.
      Eu sei que o google faz parte da nossa vida, não nos vemos sem esta ferramenta dos tempos modernos, mas pesquisar c…

Vida em anacruse

Já escrevi vários inícios. Muitos refeitos ou deletados.
     Tentativas vãs. Ou melhor, tentativas desfeitas, mas não vãs, pois todas, absolutamente todas me ensinaram alguma coisa. Na verdade pouco importa, porque a cada início tudo se repete. Queria que fosse diferente. Talvez como a música que está tocando. Follow Me do disco Imaginary Day do Pat Metheny  é a música perfeita para retratar o que quero dizer. Esta música já inicia no meio de um compasso, o que recebe o nome de anacruse, acho que é este o nome.
     A vida poderia ser uma grande anacruse. Explico. Primeiramente tenho que tentar definir anacruse como a ausência de tempos no primeiro compasso de uma melodia. Não sou músico, por isso defino a anacruse de forma tão simplória e tosca. O que quero dizer com esta figura de linguagem é que seria mais fácil se a vida fosse em anacruse, ou seja, quando menos esperássemos já estaríamos vivendo, sem nenhum subterfúgio ou intróito. Não prepararíamos nada. Não desperdiçaríamo…