Pular para o conteúdo principal

Bandido de Respeito - Parte II

     Continuação do post Bandido de Respeito I

     Após aquele encontro inusitado em frente a casa do banqueiro falido, alguns dias se passaram. Mas a vida não parou para o Bandido de Respeito. Afinal, estava em processo de desaposentação e tinha uma reputação para honrar. Entretanto, por mais que tentasse, não saia da sua cabeça aquele encontro com o Delegado João Alberto. O plano de roubo continuava firme, apesar dos incômodos da idade. Estes dias teve que ficar internado por três dias, uma gripe forte quase levou o Bandido de Respeito para o encontro final
     Fazia de tudo para esquecer o Delegado João Alberto. Entretanto um fato também p incomodava. O que o delegado bonitão estava fazendo em frente à mansão do banqueiro falido?  Enfim, não dedicaria muito mais tempo para imaginar um porquê. Inegavelmente aquele encontro havia mexido com Bandido de Respeito. Volta e meia voltavam a sua cabeça aquelas insinuações de amasiamento com algum delegado...
     O tempo passava e cada vez mais o plano se aproximava da sua execução. Sentia um certo frio na barriga, mesmo sendo um bandido experiente. A bem da verdade estava um pouco enferrujado, com algumas dores espalhadas pelo corpo, mas a mente estava a milhão. O plano não tinha como falhar. Como o tal banqueiro estava na beira do precipício financeiro, todos os dias aparecia um oficial de justiça diferente naquela casa e ele iria se disfarçar de Meirinho para roubar aquele tesouro. Seria uma espécie de penhora às avessas. O grande dia estava chegando. Já tinha fatiota, um crachá falsificado e uma Mandado de Busca e Apreensão que enganaria até um juiz de direito.
     O banqueiro não era bobo, teria que abrir o olho. O cara estava escaldado, talvez só as cuecas não estavam penhoradas, tamanha era a pindaíba que estava passando. Também pudera, gastou como louco por muito tempo. Obras de arte, carrões, festas para o High Society, virou um mecenas em poucos anos de atuação no mercado. Mas como diziam um grande amigo do Bandido de Respeito "La maison je tombe". Ao lembrar da daquela expressão começou a rir sozinho, parecia uma criança.
     Após mais alguns dias de observação e preparação dos documentos, chegou o grande dia. Uma terça-feira, dia ideal para o aparecimento do Oficial de Justiça Carlos Alberto de Carvalho e Silva com o Mandado de Busca e Apreensão número 13597/2013 da 5ª Vara Cível de São Paulo. Bandido de Respeito às 9:40 da manhã bate à porta da Mansão do banqueiro falido. Uma serviçal abre a porta e pergunta:
     - O que o senhor deseja?
     - Sou oficial de justiça e estou aqui para cumprir um Mandado de Busca e Apreensão. Venho apreender o escrito Enûma Eliš.
     - Senhor, nunca ouvi falar neste tal de Ecuma Ebis. Acho que o senhor bateu na casa errada, mas vou lhe encaminhar para a pessoa que fala com os oficiais de justiça aqui na casa.
     Nisso aparece nada mais nada menos que O delegado João Alberto. Bandido de Respeito pensou que o plano iria por água abaixo, mas a sorte que ele também era muito bom em disfarces. E desta vez tinha caprichado, nem ele mesmo se reconhecia no espelho, mas o João Alberto não era bobo. Agora Inês era morta, tinha que seguir em frente, mesmo com aquele frio na barriga.
     - Em que posso ser útil. Não tinha sido informado que hoje viria algum oficial de justiça.
    Bandido de Respeito parou por alguns segundos e disse:
     - É uma medida cautelar. E tenho que levar a obra Enûma Eliš para o depósito da Vara.
     - Que estranho, acho que conheço o senhor. Este porte me lembra muito uma pessoa das minha relações...
     Bandido tremeu e não conseguiu segurar:
     - Das suas relações?
     - Relações incompletas... Mas deixa para lá. Mas no que se refere ao Enûma Eliš, informo que nunca foi objeto de penhora. Não entendo, mas acho que poucas pessoas entendem o seu valor e alcance. Eu não me canso de observá-la e tentar entendê-la.
     Bandido começava a relaxar, era certo que o Delegado não o reconhecera. Mas também dera alguma bandeira. E também deu sua escorregadela.
     - Sei o que o senhor sente.
     - Entende? Como assim?
     - Me refiro ao Enûma Eliš. Também tenho muita admiração. Mas para encurtar esta conversa, preciso levá-la para o depósito judicial em cumprimento ao Mandado.
     - É, mas o senhor não entende. Sou o Administrador da massa falida. E não tem como o senhor levar o Enûma Eliš. Só se for despachado pelo Juízo da 5ª Vara de Falências onde está correndo o processo de falência.
     Bandido não se deu conta, mas o Banco do tal banqueiro tinha ido para as cucuias e, claro, que seria decretada a sua falência. Mas sempre havia uma saída.
     - Sim, mas e esta ordem judicial será descumprida?
     Cheque mate gritou por dentro, Bandido sempre ouvira que ordem judicial era para ser cumprida e não discutida.
     - Meu senhor, apesar deste pórtico atlético, apesar da sua bela aparência, apesar de me lembrar uma pessoa querida, tenho que lhe informar que o juízo da falência prefere os demais.
     - Prefere?
     - Tem prevalência. Entendeu?
     - Entender, não entendi. Só sei que tenho que levar o Enûma Eliš. E hoje.
     - Vou ter que ligar o diretor da vara.
     - O senhor falou vara?
     Rapidamente João Alberto completou:
     - Vara de falência...
     Vendo que seu plano não estava dando certo e que tudo poderia ser descoberto tentou a última cartada. Pelo menos daquele dia.
     - Posso convidar o senhor para tomar um café? Quem sabe possamos achar uma outra solução.
     Aqueles dois ficaram se olhando. Mil pensamentos invadiram suas cabeças. Ficou claro que existia uma simpatia entre eles. Só Bandido de Respeito sabia o porquê desta simpatia entre eles.
     João Alberto também sabia o porquê ou talvez suspeitasse...

Continua em algum dia. Talvez demore pouco, pois o final já sei. Todos Sabemos, o crime não compensa... ou será que compensa?

Trilha Sonora:
Countdown - (Captain Fingers) - Lee Ritenour - Rit
Don't Panic - Vários Artistas - EP's
Space Dementia - Muse - Hullabaloo Soundrack [Live at le zenith Paris 28-29/08/01] (Disc 2)
Bichos Escrotos - Titãs - Cabeça Dinossauro
She's Waiting - Eric Clapton - Greatest Hits - Vol I
Black Dog - Led Zeppelin - Clássicos Rock 500
Virda - Vitor Ramil - Tango
Pretending - Eric Clapton - Greatest Hits - Vol I
No Necesito Verte (Para Saberlo) (Krupa Mix) - Soda Stereo - Zona De Promesas (Mixes 1984-1993)
La Zona Rosa - Spyro Gyra - Down The Wire
Invento - Vitor Ramil + Marcos Suzano - Satolep Sambatown
Só Você Manda em Você - Tambong - Vitor Ramil
Subte - Tambong - Vitor Ramil

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Os conflitos de Lucas

- Hoje você me disse que tudo estava acabado. Mas estamos aqui neste motel.
     - Não retiro o que te disse. Estar aqui é mais uma prova que o nosso amor acabou e que o único lugar onde ele ainda pulsa é aqui. O que é uma pena.
     - Mas ainda tem um lugar onde somos felizes.
     - Tu acha que felicidade é isso que vivemos? Se tu acha que isto aqui é felicidade, tenho que te dizer que você nunca foi feliz...
     - Eu aqui nos teus braços sou a mulher mais feliz deste mundo e isto é felicidade para mim.
     - Pois eu queria algo mais.
     - Lucas, tu é o primeiro homem que me diz isso, talvez por isso você seja tão especial.
     - Não sou especial, apenas quero ser feliz e formar uma família. Só isso, será que é pedir demais?
     - Com certeza para uma mulher como eu é pedir demais... Nem meu nome tu sabe. Só meu nome de guerra.
     - Como assim, tu não se chama Sharon?
     - Claro que não. Meu nome é comum e não combina com o que faço.
     - Então se revele, pelo menos…

"Como fazer sexo"

O Google a cada ano nos revela as trends, em nosso amado português podemos traduzi-lo como tendências. Ou no português mais nosso ainda são os termos mais pesquisados no ano. É interessante dar uma olhada para vermos como somos fúteis. No Brasil para se ter uma ideia o termo mais pesquisado foi o BBB13. Estamos reduzidos a quase nada. Ou um nada completo.
     Mas o que mais me chamou a atenção foi um o tal tópico de "Como fazer". São todas as pesquisas com tem como intenção descobrir como fazer determinada coisa e pasmem está em quarto lugar a pesquisa "como fazer sexo". Não acreditam, então acessem o link: Trends: Como fazer sexo. Fico imaginando a pessoa "googleando" antes daquela noite (manhã ou tarde) de sexo. "Já sei como fazer, mas quero dar uma recordada, hoje promete e não quero decepcionar". É o fim da várzea.
      Eu sei que o google faz parte da nossa vida, não nos vemos sem esta ferramenta dos tempos modernos, mas pesquisar c…

Vida em anacruse

Já escrevi vários inícios. Muitos refeitos ou deletados.
     Tentativas vãs. Ou melhor, tentativas desfeitas, mas não vãs, pois todas, absolutamente todas me ensinaram alguma coisa. Na verdade pouco importa, porque a cada início tudo se repete. Queria que fosse diferente. Talvez como a música que está tocando. Follow Me do disco Imaginary Day do Pat Metheny  é a música perfeita para retratar o que quero dizer. Esta música já inicia no meio de um compasso, o que recebe o nome de anacruse, acho que é este o nome.
     A vida poderia ser uma grande anacruse. Explico. Primeiramente tenho que tentar definir anacruse como a ausência de tempos no primeiro compasso de uma melodia. Não sou músico, por isso defino a anacruse de forma tão simplória e tosca. O que quero dizer com esta figura de linguagem é que seria mais fácil se a vida fosse em anacruse, ou seja, quando menos esperássemos já estaríamos vivendo, sem nenhum subterfúgio ou intróito. Não prepararíamos nada. Não desperdiçaríamo…