Pular para o conteúdo principal

O nosso sol de todos os dias...

     Mais uma vez um leitor caridoso mandou um texto a ser publicado aqui no LedVenture. Estou numa fase de muito trabalho. Então, não posso escrever como desejaria fazer. Mas com os leitores que tenho (não são muitos) não morro pagão e o blog não fica parado. Hoje recebi este texto que explica um pouco o que sentimos todos os dias. Pode não ser todos os dias, mas em alguns sentimos exatamente o que escreve este leitor que se identifica como Take it Easy. Este colaborador já tinha enviado um ótimo texto alguns dias atrás:  "Vai lá e seja feliz". Agora me surpreendeu novamente. Obrigado Take it Easy.

Por Take it Easy


     Como é bom ver o sol. É muito bom sentir o sol invadindo a sua manhã, tarde ou noite. Sim, à noite também. Um dia você irá perceber o sol numa noite intensa. Parece que de uma hora para outra descobrimos que é possível sentir aquele calor de novo.
     Pode parece loucura, mas em plena chuvarada encontrei o meu sol. Pode soar estranho, talvez digam que o Take está louco, mas foi assim que se passou. O sol se fez presente num momento que parecia que nada mais havia a ser feito. Havia perdido a oportunidade de ser feliz. Mas aquele sol mostrou que não era bem assim. Sempre há espaço para lutar, para tentar, para buscar um lugar ao sol. É o que estou fazendo e preciso escrever sobre isso. Não há como definir um sentimento de procura por algo que esteve sempre ao nosso lado. Entretanto, de uma hora para outra nos damos conta estamos na maior escuridão, aí sentimos falta daqueles raios, daquele calor, da intensidade. Nos apercebemos que não é mais possível seguir naquela estrada sem o sol a iluminá-la. É meio brega, até certo ponto é cafona. Sou cafona e não nego.
     Então só resta buscar o sol de nossas vidas, buscamos um sentido para continuar seguindo em frente e eu encontrei este sentido. O sentido é sem sentido, a vida é assim mesmo. Não há um sentido em tudo que passamos e este texto não tem sentido nenhum. Talvez, tardiamente eu tenha percebido que não há espaço para dúvidas, talvez, tardiamente, tenha percebido que é possível seguir em frente, basta encararmos a estrada com a coragem de viver. Obrigado sol por mostrar que é onde devemos ir.

Ps: Envio este texto para ser publicado no LedVenture, pois parece que o seu autor está meio sem inspiração ou muito ocupado com outras tarefas. Espero que não seja por falta de inspiração. Ouso ajudar o blogueiro neófito, pois fui muito ajudado pelo meu sol e este me pediu para escrever algo, então aí está.


Trilha Sonora: 
Baby Please Come Home - Anberlin - Lost Songs
Forma - Bajofondo TangoClub - Bajofondo TangoClub
I Love My Dog - Cat Stevens - Morning Has Broken
The Beatles - Penny Lane - Clássicos Rock 500
The Beatles - Eleanor Rigby - Clássicos Rock 500
Tchaikovsky-Swan Lake Waltz - Clássicos - 101 Classical Greats Volume 3
Mean Old Frisco - Eric Clapton - Crossroads 2: Live In The Seventies
Water on the ground - Eric Clapton - Crossroads 2: Live In The Seventies
The Chain - Fleetwood Mac - The Dance


Como não sou o autor do texto acima, a trilha sonora foi utilizada para editar o texto recebido. Alguns erros de digitação aqui e ali, mas o  Take it Easy é o cara. Parto do pressuposto que o Take é homem, mas pode ser mulher. Na verdade tanto faz, o que importa é a mensagem enviada.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Os conflitos de Lucas

- Hoje você me disse que tudo estava acabado. Mas estamos aqui neste motel.
     - Não retiro o que te disse. Estar aqui é mais uma prova que o nosso amor acabou e que o único lugar onde ele ainda pulsa é aqui. O que é uma pena.
     - Mas ainda tem um lugar onde somos felizes.
     - Tu acha que felicidade é isso que vivemos? Se tu acha que isto aqui é felicidade, tenho que te dizer que você nunca foi feliz...
     - Eu aqui nos teus braços sou a mulher mais feliz deste mundo e isto é felicidade para mim.
     - Pois eu queria algo mais.
     - Lucas, tu é o primeiro homem que me diz isso, talvez por isso você seja tão especial.
     - Não sou especial, apenas quero ser feliz e formar uma família. Só isso, será que é pedir demais?
     - Com certeza para uma mulher como eu é pedir demais... Nem meu nome tu sabe. Só meu nome de guerra.
     - Como assim, tu não se chama Sharon?
     - Claro que não. Meu nome é comum e não combina com o que faço.
     - Então se revele, pelo menos…

"Como fazer sexo"

O Google a cada ano nos revela as trends, em nosso amado português podemos traduzi-lo como tendências. Ou no português mais nosso ainda são os termos mais pesquisados no ano. É interessante dar uma olhada para vermos como somos fúteis. No Brasil para se ter uma ideia o termo mais pesquisado foi o BBB13. Estamos reduzidos a quase nada. Ou um nada completo.
     Mas o que mais me chamou a atenção foi um o tal tópico de "Como fazer". São todas as pesquisas com tem como intenção descobrir como fazer determinada coisa e pasmem está em quarto lugar a pesquisa "como fazer sexo". Não acreditam, então acessem o link: Trends: Como fazer sexo. Fico imaginando a pessoa "googleando" antes daquela noite (manhã ou tarde) de sexo. "Já sei como fazer, mas quero dar uma recordada, hoje promete e não quero decepcionar". É o fim da várzea.
      Eu sei que o google faz parte da nossa vida, não nos vemos sem esta ferramenta dos tempos modernos, mas pesquisar c…

Vida em anacruse

Já escrevi vários inícios. Muitos refeitos ou deletados.
     Tentativas vãs. Ou melhor, tentativas desfeitas, mas não vãs, pois todas, absolutamente todas me ensinaram alguma coisa. Na verdade pouco importa, porque a cada início tudo se repete. Queria que fosse diferente. Talvez como a música que está tocando. Follow Me do disco Imaginary Day do Pat Metheny  é a música perfeita para retratar o que quero dizer. Esta música já inicia no meio de um compasso, o que recebe o nome de anacruse, acho que é este o nome.
     A vida poderia ser uma grande anacruse. Explico. Primeiramente tenho que tentar definir anacruse como a ausência de tempos no primeiro compasso de uma melodia. Não sou músico, por isso defino a anacruse de forma tão simplória e tosca. O que quero dizer com esta figura de linguagem é que seria mais fácil se a vida fosse em anacruse, ou seja, quando menos esperássemos já estaríamos vivendo, sem nenhum subterfúgio ou intróito. Não prepararíamos nada. Não desperdiçaríamo…