Pular para o conteúdo principal

Uma formatura.

     Por muito tempo imaginei o que era a felicidade.
     Nestes últimos tempos me dei conta que não sabia nada a respeito deste sentimento. Um  dos dias mais felizes da minha vida foi quando me formei, lembro como se fora hoje aquele sentimento. Parecia que eu estava numa outra dimensão. Na última sexta-feira fui na formatura de um grande amigo. Um amigo de poucos anos, mas intensos anos. Um amigo que pensa em um mundo melhor, um amigo que acredita no ser humano (eu acredito com algumas reservas). Ao entrar naquele Salão para acompanhar a formatura deste amigo me lembrei do dia que eu estava naquela mesma posição. Lembro do menino (sim, eu era um menino, mesmo que estivesse com seus 23 anos). Lembro que acreditava que um novo mundo era possível. Acreditava piamente. Tinha certeza que construiríamos juntos este novo mundo. Hoje acredito, mas confesso que não tenho tanta certeza. Os anos me ensinaram que a mudança é um processo dolorido e cheio de caminhos, nem todos levam a tão esperada mudança. Muitos deles nos mostram onde não ir. Faz parte do processo. Acertamos errando ou erramos acertando. É o processo.
     Ao olhar aqueles formandos entrarem, mais uma vez senti aquela felicidade típica de quem está encerrando um ciclo. Aquela felicidade de quem acredita que pode mudar o mundo. Mesmo que o passar dos anos nos faça acreditar em outros sonhos, mais possíveis, mais simples e ao mesmo tempo intensos sonhos. Ao olhar aqueles jovens senti que os sonhos podem ficar pelo caminho, mas o que não pode se perder é a capacidade de sonhar novos sonhos. Pode parecer brega, mas a vida é assim mesmo. Precisamos sonhar. Pelo menos eu preciso. Atualmente meus sonhos são mais possíveis, não tão abrangentes, mais individuais. Confesso este meu individualismo, mas tem um pouco de relação com as reservas que tenho no que tange ao ser humano. Um dia escreverei sobre este sentir...
     Ao olhar para o lado testemunhava a felicidade de todos que lá estavam. Todos sentiam um certo orgulho, eu mesmo sentia muito orgulho do meu amigo que se formava. Todos lá, de uma forma ou outra, estavam se formando. Ao ouvir o discurso dos formandos senti o pulsar dos sonhos de uma vida pós-formatura, ao mesmo tempo as inseguranças surgidas no final do curso. Lembrei mais uma vez daquele menino de 23 anos que ao sair da universidade se viu diante da vida, dura e cruel como só a vida sabe ser. Aquele menino descobriu que a vida é simples, mas só descobri depois de sofrer muitas quedas. Queria gritar para aqueles jovens que a vida é simples, embora não pareça. Queria gritar que é possível ser feliz, mesmo que não se tenha tantos bens. Ao abraçar o meu amigo depois da formatura, senti que ele, mais do que eu quando me formei, tem a percepção que o bom da vida é o caminho e não a chegada. Aprendi isso faz pouco, agora tenho vivido muito melhor, curto intensamente o caminho.
     Para finalizar faço uma brincadeira que poucos irão entender: Edson, não esquece deste texto na minha avaliação anual. Ah! Como diz minha mãe, meus amigos são o meu maior patrimônio.

Trilha Sonora:
Hey Jude - The Beatles - Past Masters, Vol. 2
The Who - You Better You Bet -  The Who -  Rock 500
You Shook Me All Night Long - ACDC - Rock 500
Rachmaninov / Piano Concerto No. 2 In C Minor Op. 18 (adagio Sostenuto) - Clássicos - 101 Classical Greats Volume 1
The Gospel According To Tony Day - David Bowie - David Bowie (Deluxe Edition)
They Can't Take That Away from Me - Frank Sinatra - Duets
Cosmic Messenger - Jean-Luc Ponty - The Very Best Of
Vem - Madredeus - Antologia
Estoy Azulado - Soda Stereo - Nada Personal

Comentários

Postar um comentário

Interaja com Ledventure...

Postagens mais visitadas deste blog

Os conflitos de Lucas

- Hoje você me disse que tudo estava acabado. Mas estamos aqui neste motel.
     - Não retiro o que te disse. Estar aqui é mais uma prova que o nosso amor acabou e que o único lugar onde ele ainda pulsa é aqui. O que é uma pena.
     - Mas ainda tem um lugar onde somos felizes.
     - Tu acha que felicidade é isso que vivemos? Se tu acha que isto aqui é felicidade, tenho que te dizer que você nunca foi feliz...
     - Eu aqui nos teus braços sou a mulher mais feliz deste mundo e isto é felicidade para mim.
     - Pois eu queria algo mais.
     - Lucas, tu é o primeiro homem que me diz isso, talvez por isso você seja tão especial.
     - Não sou especial, apenas quero ser feliz e formar uma família. Só isso, será que é pedir demais?
     - Com certeza para uma mulher como eu é pedir demais... Nem meu nome tu sabe. Só meu nome de guerra.
     - Como assim, tu não se chama Sharon?
     - Claro que não. Meu nome é comum e não combina com o que faço.
     - Então se revele, pelo menos…

"Como fazer sexo"

O Google a cada ano nos revela as trends, em nosso amado português podemos traduzi-lo como tendências. Ou no português mais nosso ainda são os termos mais pesquisados no ano. É interessante dar uma olhada para vermos como somos fúteis. No Brasil para se ter uma ideia o termo mais pesquisado foi o BBB13. Estamos reduzidos a quase nada. Ou um nada completo.
     Mas o que mais me chamou a atenção foi um o tal tópico de "Como fazer". São todas as pesquisas com tem como intenção descobrir como fazer determinada coisa e pasmem está em quarto lugar a pesquisa "como fazer sexo". Não acreditam, então acessem o link: Trends: Como fazer sexo. Fico imaginando a pessoa "googleando" antes daquela noite (manhã ou tarde) de sexo. "Já sei como fazer, mas quero dar uma recordada, hoje promete e não quero decepcionar". É o fim da várzea.
      Eu sei que o google faz parte da nossa vida, não nos vemos sem esta ferramenta dos tempos modernos, mas pesquisar c…

Vida em anacruse

Já escrevi vários inícios. Muitos refeitos ou deletados.
     Tentativas vãs. Ou melhor, tentativas desfeitas, mas não vãs, pois todas, absolutamente todas me ensinaram alguma coisa. Na verdade pouco importa, porque a cada início tudo se repete. Queria que fosse diferente. Talvez como a música que está tocando. Follow Me do disco Imaginary Day do Pat Metheny  é a música perfeita para retratar o que quero dizer. Esta música já inicia no meio de um compasso, o que recebe o nome de anacruse, acho que é este o nome.
     A vida poderia ser uma grande anacruse. Explico. Primeiramente tenho que tentar definir anacruse como a ausência de tempos no primeiro compasso de uma melodia. Não sou músico, por isso defino a anacruse de forma tão simplória e tosca. O que quero dizer com esta figura de linguagem é que seria mais fácil se a vida fosse em anacruse, ou seja, quando menos esperássemos já estaríamos vivendo, sem nenhum subterfúgio ou intróito. Não prepararíamos nada. Não desperdiçaríamo…