Pular para o conteúdo principal

Reescritas

     Hoje deletei todos os rascunhos do blog. Não existe nada que tenha ficado para trás. Talvez seja uma forma de recomeçar a escrever aqui e na própria vida. Novos caminhos a seguir, mesmo que seja na mesma direção.
     Por vezes penso em reescrever algumas passagens da vida como se fora um texto escrito no qual pudéssemos alterá-lo a qualquer tempo. Lembro de uma passagem do Clássico 1984  escrito por George Orwell, quando o Estado reescrevia a história de acordo com a vontade dos donos do poder, retirando passagens ou incluindo outras a seu bel prazer.
     Se fosse possível reescrever passagens da vida como eu as reescreveria? E você? Que passagens mereceriam uma nova escrita? Será que tudo seria revisitado? Reescrever os sofrimentos, retirando-os, ressaltando as alegrias, inserindo outros capítulos e outros personagens. Talvez, se fosse possível este exercício, retiraríamos desta sucessão de dias que chamamos de vida o pouco de sentido que tem. Talvez deixaríamos de aprender com os sofrimentos (se é que aprendemos com os erros) e não valorizaríamos as alegrias vividas.  Não sei se acredito muito nisto, pois  volta e meia me surge esta vontade sentar e reescrever a vida vivida. Sei que não seria fácil a escolha dos erros a serem reescritos, talvez o que no passado se apresentasse como um erro, com o passar do tempo poderíamos entendê-lo melhor e até aceitá-lo.
     Mas como seria esta reescrita? Como reescrever a sua vida sem afetar outras vidas? Fico divagando sobre assuntos sem muita lógica, sem muito sentido, mas que surgem dentro de mim. De onde? Não sei. Na verdade se tivesse esta possibilidade da reescrita penso que não mudaria nada ou quase nada, deixaria assim. O que passou, passou, apenas reservaria apenas uma página em branco para no final da vida acrescentar um sentido às passagens incompreensíveis. Não sei se apenas uma página em branco seria suficiente. 

Trilha Sonora:
White Man In Hammersmith -  The Clash Rock 70´s
Invento - Vitor  Ramil + Marcos Suzano - Satolep Sambatown
Bitter Sweet Symphony - The Verve - Rolling Stone Magazine's 500 Greatest Songs Of All Time
Electrical Storm - U2 - The B-Sides 1990-2000
Prá Dizer Adeus - Titãs - Acústico
I'd Love to Change the World - Ten Years After - Rock 70´s
Luna Roja - Soda Stereo - Dynamo
Sutilmente - Skank - Estandarte
Mean Disposition - The Rolling Stones - Voodoo Lounge
Bring the Boys Back Home - Pink Floyd - The Wall - Disc II
Merry Blues - Manu Chao - Proxima Estacion: Esperanza
Malibu - Lee Ritenour - Collection
Hordes Of Locusts - Joe Satriani - Not Of This Earth

PS: Acho que descobri a função deste blog meio sem sentido, mantê-lo ativo talvez seja uma forma de reescrever a minha vida. Talvez seja uma forma de me esconder da dura vida de todos os dias ou, quem sabe, escrever seja a forma que eu tenha encontrado para não enlouquecer de vez. Talvez, como disse uma amiga agora distante, mas ainda amiga, sejam apenas palavras de merda.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Os conflitos de Lucas

- Hoje você me disse que tudo estava acabado. Mas estamos aqui neste motel.
     - Não retiro o que te disse. Estar aqui é mais uma prova que o nosso amor acabou e que o único lugar onde ele ainda pulsa é aqui. O que é uma pena.
     - Mas ainda tem um lugar onde somos felizes.
     - Tu acha que felicidade é isso que vivemos? Se tu acha que isto aqui é felicidade, tenho que te dizer que você nunca foi feliz...
     - Eu aqui nos teus braços sou a mulher mais feliz deste mundo e isto é felicidade para mim.
     - Pois eu queria algo mais.
     - Lucas, tu é o primeiro homem que me diz isso, talvez por isso você seja tão especial.
     - Não sou especial, apenas quero ser feliz e formar uma família. Só isso, será que é pedir demais?
     - Com certeza para uma mulher como eu é pedir demais... Nem meu nome tu sabe. Só meu nome de guerra.
     - Como assim, tu não se chama Sharon?
     - Claro que não. Meu nome é comum e não combina com o que faço.
     - Então se revele, pelo menos…

"Como fazer sexo"

O Google a cada ano nos revela as trends, em nosso amado português podemos traduzi-lo como tendências. Ou no português mais nosso ainda são os termos mais pesquisados no ano. É interessante dar uma olhada para vermos como somos fúteis. No Brasil para se ter uma ideia o termo mais pesquisado foi o BBB13. Estamos reduzidos a quase nada. Ou um nada completo.
     Mas o que mais me chamou a atenção foi um o tal tópico de "Como fazer". São todas as pesquisas com tem como intenção descobrir como fazer determinada coisa e pasmem está em quarto lugar a pesquisa "como fazer sexo". Não acreditam, então acessem o link: Trends: Como fazer sexo. Fico imaginando a pessoa "googleando" antes daquela noite (manhã ou tarde) de sexo. "Já sei como fazer, mas quero dar uma recordada, hoje promete e não quero decepcionar". É o fim da várzea.
      Eu sei que o google faz parte da nossa vida, não nos vemos sem esta ferramenta dos tempos modernos, mas pesquisar c…

Vida em anacruse

Já escrevi vários inícios. Muitos refeitos ou deletados.
     Tentativas vãs. Ou melhor, tentativas desfeitas, mas não vãs, pois todas, absolutamente todas me ensinaram alguma coisa. Na verdade pouco importa, porque a cada início tudo se repete. Queria que fosse diferente. Talvez como a música que está tocando. Follow Me do disco Imaginary Day do Pat Metheny  é a música perfeita para retratar o que quero dizer. Esta música já inicia no meio de um compasso, o que recebe o nome de anacruse, acho que é este o nome.
     A vida poderia ser uma grande anacruse. Explico. Primeiramente tenho que tentar definir anacruse como a ausência de tempos no primeiro compasso de uma melodia. Não sou músico, por isso defino a anacruse de forma tão simplória e tosca. O que quero dizer com esta figura de linguagem é que seria mais fácil se a vida fosse em anacruse, ou seja, quando menos esperássemos já estaríamos vivendo, sem nenhum subterfúgio ou intróito. Não prepararíamos nada. Não desperdiçaríamo…