Pular para o conteúdo principal

Literatura 2 - O Amor nos Tempos do Cólera

     Dando continuidade ao desejo de escrever sobre os livros lidos por este blogueiro neófito, chegou o momento de escrever sobre um ótimo livro. A leitura de O Amor nos Tempos do Cólera se deu em função do meu grande amor. Sim, blogueiros também amam... por mais incrível que possa parecer. Então, devo agradecer a este amor pela leitura deste grande livro.



     Livro: O amor nos tempos do cólera
     Autor: Gabriel Garcia Marquez
     Editora: Record




     Escrever que O amor nos Tempos do Cólera é um clássico, é afirmar muito pouco a respeito deste livro. Na verdade é uma bela história de amor, onde os sentimentos são aflorados a todo instante, a cada página virada.  Ao iniciar a leitura do livro, primeiramente me chamou a atenção o fato deste romance ter poucos diálogos. Em contrapartida, a narrativa é tão bem conduzida que em nenhum momento sente-se a falta dos (no meu caso) esperados diálogos. Em várias passagens me sentia dentro da história, me sentia um dos personagens, talvez algum figurante que olhava ao longe aquela história de amor, algum passante ou talvez o próprio Florentino Ariza. A história de Florentino Ariza e Fermina Daza é um retrato dos encontros e desencontros da vida. O amor pode modificar vidas, sonhos e tudo mais.
     É impossível resumir a história de amor destes dois personagens, somente a leitura do livro para dar a dimensão dos sentimentos envolvidos. Como sou corajoso, tentarei escrever sobre este livro, desde logo digo que tudo que aqui for escrito é muito pouco perto do livro. A história começa com os personagens jovens, imersos em sonhos inerentes à juventude. Os dois personagens centrais têm um encontro casual, pois Florentino Ariza leva um telegrama para o pai de Fermina Daza. Ele a vê de relance, mas desde aquele primeiro olhar furtivo tem a certeza que a amará pelo resto da vida. A partir de então começam trocas furtivas de correspondências. Nestas cartas juras de amor eterno são escritas, lidas e relidas. Florentino Ariza verbaliza seu amor em cartas e mais cartas. Não há um contato mais intenso, fisicamente falando, somente através das cartas o amor de ambos é vivenciado.
     Mas como toda boa história de amor algo não se encaixa. O pai de Fermina Daza, o senhor Lorenzo Daza, ao descobrir esta troca de cartas e percebendo os sentimentos envolvidos, conversa com Florentino Ariza. Obviamente que nesta conversa deixa claro que o futuro imaginado por ele para a sua filha não prevê um casamento com um sujeito da classe de baixo da sociedade. Ele pretende que a filha se case com algum figurão da sociedade. E o pobre Florentino Ariza não se encaixava no esteriótipo imaginado pelo pai. Constatando o quanto os dois estão muito envolvidos, o pai de Fermina Daza a manda para longe da cidade onde moravam, imaginando que a distância arrefeceria o amor existente entre Florentino e Fermina. A história se desenrola de forma magistral. Muitos anos se passam, a vida dos dois tomam rumos diferentes, entretanto, Florentino Ariza continua a viver para o amor que começou numa simples entrega de telegrama.
     Os sentimentos experimentados ao longo dos anos por este personagem nos envolvem, torcemos por ele, choramos com ele, vivemos suas aventuras. Não consigo escrever a dimensão do que está neste livro. É simplesmente uma obra prima. Para dizer o mínimo. 
     É perceptível em todos os momentos a dor experimentada por Florentino Ariza. Nas mais diversas passagens nos deparamos com um homem complexo, que muitas vezes parece estar doente. A doença dele é amar demais. Talvez de forma inexplicada.
     A literatura tem o condão de nos levar aos mais diversos lugares, a vivenciar os mais estranhos sentimentos. O Amor nos tempos dos cólera me apresentou o amor na sua mais intensa dimensão. Em muitos momentos aquele amor se transformava numa obsessão, mas ainda assim a paixão estava lá. Talvez o amor seja assim mesmo, nos transforma em pessoas sem limites. Cada um tem a sua forma de amar, Florentino Ariza tinha a dele, eu tenho a minha, você - eventual leitor - tem a sua. Mas a cada novo amor aprendemos a amar de forma diferente. Um dia encontramos a nossa forma verdadeira de amar. Esta é a nossa busca, quase diária, às vezes infutrífera, mas ainda sim necessária para que possamos continuar vivendo. Florentino Ariza encontrou o seu amor no seu primeiro encontro. Seguiu vivendo para ele e  tudo que fez foi por este amor.
      Basicamente este romance trata de um amor que perpassa anos sem diminuir um centímetro, muito embora, os dois tenham tido destinos diversos. Mas a vida não é o que aparenta, quando passados mais de cinqüenta anos ocorre uma reviravolta na vida destes dois personagens. Não irei escrever o que acontece, até para estimular a leitura deste clássico, mas é mais ou menos óbvio. Apesar desta pseudo-obviedade, lhes asseguro que o que imaginarmos para um eventual desfecho deste livro não chega nem perto do que foi escrito por Gabriel Garcia Marquez. Vale a pena ler O Amor nos Tempos do Cólera, se outro motivo não fosse, seria pelo simples prazer de se deparar com o maior dos amores de uma vida...

Trilha sonora
Bullet The Blue Sky - U2 - The Joshua Tree (2007 Remaster)
Miss Gradenko - The Police - Message in a Box
Doctor To My Disease - Jethro Tull - Catfish Rising
Yellow (Live) - Coldplay - Singles
Gloria Gaynor - I Will Survive - Rock 70´s
Talk [Album Version] - Coldplay Singles
Jump Start (Live) - Jethro Tull - Catfish Rising
Flower In The Sun - Big Brother & The Holding Company- Live At Winterland '68
Dom Quixote - Engenheiros do Hawaii - Acústico MTV
Amber Cascades America A Horse With No Name and Other Hits
The Rolling Stones - Start Me Up Clássicos Rock 500
Street Fighting Man - The Rolling Stones - Rolling Stone Magazine's 500 Greatest Songs Of All Time
Heartland - U2 - Rattle And Hum
Don't Panic - Coldplay - Singles
A Foot in Cold Water - (Make Me Do) - Rock 70´s
Grateful Dead - Sugar Magnolia - Clássicos Rock 500
Flip The Switch (Clean Version) - The Rolling Stones - More For Promotional Use Only
Chiquilines - Bajofondo TangoClub - Mar Dulce
My Sweet Lord (1970) -  George Harrison - Coletânea 500 Greatest Songs
Thunderclap Newman - Something In The Air - Clássicos Rock 500
Fanny (Be Tender With My Love) - Bee Gees - Their Greatest Hits - The Record (Disc 1)
Crazy - Patsy Cline - Rolling Stone Magazine's 500 Greatest Songs Of All Time
Angie - The Rolling Stones  - Clássicos Rock 500
 Maggie May (1971)- Rod Stewart - Coletânea - 500 Greatest Songs
That's Entertainment - The Jam - Rolling Stone Magazine's 500 Greatest Songs Of All Time
Oh, What A Night - The Dells - Rolling Stone Magazine's 500 Greatest Songs Of All Time
Eu Não Sei Mentir Direito - O Rappa - Rappa Mundi
Double Talkin' Jive - Guns N' Roses - Use Your Illusion I
Walk To The Water - U2  - The Joshua Tree (Bonus Audio CD)

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Os conflitos de Lucas

- Hoje você me disse que tudo estava acabado. Mas estamos aqui neste motel.
     - Não retiro o que te disse. Estar aqui é mais uma prova que o nosso amor acabou e que o único lugar onde ele ainda pulsa é aqui. O que é uma pena.
     - Mas ainda tem um lugar onde somos felizes.
     - Tu acha que felicidade é isso que vivemos? Se tu acha que isto aqui é felicidade, tenho que te dizer que você nunca foi feliz...
     - Eu aqui nos teus braços sou a mulher mais feliz deste mundo e isto é felicidade para mim.
     - Pois eu queria algo mais.
     - Lucas, tu é o primeiro homem que me diz isso, talvez por isso você seja tão especial.
     - Não sou especial, apenas quero ser feliz e formar uma família. Só isso, será que é pedir demais?
     - Com certeza para uma mulher como eu é pedir demais... Nem meu nome tu sabe. Só meu nome de guerra.
     - Como assim, tu não se chama Sharon?
     - Claro que não. Meu nome é comum e não combina com o que faço.
     - Então se revele, pelo menos…

"Como fazer sexo"

O Google a cada ano nos revela as trends, em nosso amado português podemos traduzi-lo como tendências. Ou no português mais nosso ainda são os termos mais pesquisados no ano. É interessante dar uma olhada para vermos como somos fúteis. No Brasil para se ter uma ideia o termo mais pesquisado foi o BBB13. Estamos reduzidos a quase nada. Ou um nada completo.
     Mas o que mais me chamou a atenção foi um o tal tópico de "Como fazer". São todas as pesquisas com tem como intenção descobrir como fazer determinada coisa e pasmem está em quarto lugar a pesquisa "como fazer sexo". Não acreditam, então acessem o link: Trends: Como fazer sexo. Fico imaginando a pessoa "googleando" antes daquela noite (manhã ou tarde) de sexo. "Já sei como fazer, mas quero dar uma recordada, hoje promete e não quero decepcionar". É o fim da várzea.
      Eu sei que o google faz parte da nossa vida, não nos vemos sem esta ferramenta dos tempos modernos, mas pesquisar c…

Vida em anacruse

Já escrevi vários inícios. Muitos refeitos ou deletados.
     Tentativas vãs. Ou melhor, tentativas desfeitas, mas não vãs, pois todas, absolutamente todas me ensinaram alguma coisa. Na verdade pouco importa, porque a cada início tudo se repete. Queria que fosse diferente. Talvez como a música que está tocando. Follow Me do disco Imaginary Day do Pat Metheny  é a música perfeita para retratar o que quero dizer. Esta música já inicia no meio de um compasso, o que recebe o nome de anacruse, acho que é este o nome.
     A vida poderia ser uma grande anacruse. Explico. Primeiramente tenho que tentar definir anacruse como a ausência de tempos no primeiro compasso de uma melodia. Não sou músico, por isso defino a anacruse de forma tão simplória e tosca. O que quero dizer com esta figura de linguagem é que seria mais fácil se a vida fosse em anacruse, ou seja, quando menos esperássemos já estaríamos vivendo, sem nenhum subterfúgio ou intróito. Não prepararíamos nada. Não desperdiçaríamo…