Pular para o conteúdo principal

O homem de uma única ideia

     A música começa a ser executada. No palco um músico qualquer tocando uma música qualquer.
     Na mesa ao fim do bar um cara solitário bebe e pensa nos erros da sua vida. Já faz muito que erra. Mas a pouco tempo começou a pensar nos seus erros. Tem dúvidas se ainda existe alguma solução para esta vida medíocre que leva.
     Ao olhar para o lado só vê pessoas felizes, rindo e se divertindo. Enquanto ele pensa em como foi parar ali, sem nada e sem ninguém. Como é difícil chegar neste momento da vida e descobrir que não valeu de nada tudo que fez. Daria tudo para tentar ser feliz. Mas não consegue pensar em outra forma de viver. Já tentou de tudo, frequentou templos, viajou o mundo, conheceu culturas diferentes, mas sempre sentiu que algo estava errado. E agora chegou o momento de descobrir como e porque errou. Era um cara que teve uma ideia brilhante na vida. Apenas uma ideia que rende dividendos até hoje.
     O bar começa, aos poucos, a esvaziar. Mas o músico continua a tocar. Não importa o que, pois aquele cara não ouve nada. Apenas pensa e bebe.
     Uma única ideia. Virou escravo daquela ideia. Ninguém permite que ele se expresse diferente, pois é o homem de uma ideia só. É verdade que foi brilhante, mas mesmo assim o cara continua a pensar e quer gritar para o mundo que aquela ideia, tão defendida por todos, está absolutamente equivocada. Ou melhor, é uma tremenda asneira. Se falar a sua verdade perderá a sua única fonte de renda, deixará de ser venerado no mundo e tornar-se-á, quem sabe, numa subespécie de gente.
     Por que tivera aquela ideia. Talvez se tivesse ficado quieto não viveria nesta espécie de prisão.
     Todos cobram aquele cara. Quando é reconhecido na rua, sempre lhe cobram a sua ideia. Dizem que estão fazendo a sua parte. Mas até agora não deu muito certo. Mas eles continuam tentando.
     Se pergunta a todo instante. Por que disse que é possível ser feliz. Por que escreveu aquele enfadonho livro de autoajuda. Por quê? Como explicar que foi mais um dos tantos erros daquela vida medíocre. Hoje dá palestras para milhares de pessoas, mas não acredita em nenhuma palavra que diz. Até o seu nome é uma mentira. Como podem acreditar que alguém se chame Liber Vivere? Não é possível. Não é crível que alguém se chame Liber Vivere. E ainda por cima comprarem milhares de exemplares de uma livro com o título: "Sim, é possível ser feliz. Me pergunte como!" Logo ele o cara mais infeliz do mundo ter a resposta de como ser feliz... Não é possível. Queria mandar tudo para o quintos dos infernos. Mas não pode. Amanhã tem mais uma palestra.
     Uns anos atrás escreveu outro livro. O título já dizia tudo. "Você nunca será feliz. Me pergunte o porquê!" Claro que as editoras nem cogitaram a publicação daquele livro. Fizeram que os originais fossem queimados e obrigaram Liber assinar um contrato que nunca mais escreveria algo com esta temática. Afinal, o cara era o rei da autoajuda com apenas um livro. Por que acabar com este filão? Não tinha sentido, pelo menos eram o que diziam os editores. Mas o cara estava no seu limite.
     Primeiro não suportava mais ser chamado de Liber, muito menos Liber Vivere. Queria ser chamado pelo seu nome de batismo. Micael Jaqueson da Silva. Mas todos diziam que Liber Vivere era sonoro e respeitável. Estava cansado de ser respeitável...
     Mas o que fazer? Se todos a sua volta lhe obrigavam a viver aquela fantasia dourada de que sabia o caminho da felicidade. Mas amanhã tudo seria diferente. Iria mandar tudo às favas e veria no que iria dar. Isso mesmo. E naquele bar vazio, com um músico qualquer tocando uma música qualquer, resolveu dar um basta naquela vida de mentiras. E foi para o hotel dormir. Amanhã iria mudar sua vida.
     E na manhã seguinte se dirigiu para a palestra. Todos lhe deram vários papeis sobre o que falar, que tipo de público estaria presente. Poucos percebem, mas para cada plateia a palestra é levemente alterada. Mas hoje seria diferente. A mudança seria radical.
     Ao entrar no salão, mais ou menos duas mil pessoas o aguardavam e gritavam palavras de ordem:
     - Sim, podemos ser felizes. Basta querermos.
     Repetiam frases daquele livro maldito.
     - Liber Vivere, mostre-me como ser feliz...
     Ao subir no palco, pegou uma cadeira e sentou-se. Muitos não entenderam aquele gesto, pois as palestras de Liber Vivere eram reconhecidas pela movimentação, efeitos sonoros e visuais. Nem os ajudantes de Liber entenderam. Começaram a ficar assustados. Mas o que viria era muito mais preocupante para aqueles que cercavam aquela espécie de mago da autoajuda.
     Neste instante Liber Vivere esconde o rosto com as mãos e começa a chorar. O choro mais intenso de uma vida, o choro de uma liberação, o choro da purificação. As pessoas não entendem, pois estavam ali para descobrir o caminho da felicidade... Do nada aquele homem destroçado pela vida começa a proferir o seguinte discurso;
     - Senhores e senhoras. Sinto dizer que não sei como podemos ser felizes. Não sei como ser feliz e não sei o caminho da felicidade. Nunca soube. Apenas escrevi um livro que foi muito lido. Mas tudo que está escrito naquele livro eu NÃO ACREDITO. Não acredito que exista uma fórmula da felicidade e vocês são apenas pessoas que se deixaram enganar por alguém. Aliás, precisam ser enganadas. Suas vidas são tão vazias que somente com uma esperança vã podem preenchê-las. Mas eu cansei desta farsa. Cansei de mostrar um caminho que não existe. Cansei de viver uma mentira. Abram os olhos e não se deixem enganar por falsos profetas. Ninguém sabe a fórmula da felicidade ou do sucesso. Não existe fórmula.
     Foi aquele alvoroço no salão. Ouve-se no fundo pessoas chorando, alguns gritando. Mas Liber Vivere, ou melhor, Micael Jaqueson da Silva continua a falar:
     - Desde a muito tenho esta necessidade de dizer o que estou lhes dizendo, mas sempre fraquejo diante de vocês. Falo e escrevo o que todos querem ouvir e não o que deve ser dito ou escrito. A verdade não é fácil de ser dita, precisamos de força para enfrentar estas situações. Para vocês é mais cômodo ouvir que a felicidade está próxima ou besteiras deste tipo. Só digo não se deixem enganar, se forem se enganar que seja por vocês mesmos... Não tenho nada mais para falar para vocês. Só digo que Não é possível ser feliz fazendo as mesmas coisas, mudem suas vidas, caso contrário morrerão como ovelhinhas. Deixem de ser massa de manobra e tomem o leme das suas vidas...
     O silêncio se estabeleceu naquele salão. Duas mil pessoas em absoluto silêncio.
     Então sem explicação. Começou-se a ouvir vozes dissonantes.
     "Mudem suas vidas", "não sejam ovelhinhas", "não existe fórmula da felicidade" ou "Liber Vivere nos mostrou o caminho e este não existe" e coisas assim.
     Micael Jaqueson da Silva deixa o palco, mais aliviado, mas não entendendo muito o que estava acontecendo. Ao cruzar as cortinas do fundo do palco ouve seu editor falar:
     - Tu é um gênio. Já era tempo de mudar o discurso. Já estava enfadonho aquele papo de "Sim, é possível ser feliz. Me pergunte como!". Agora temos um novo livro. E já tenho o título. "Deixe a ovelha de lado e seja feliz. Faça diferente. Não me pergunte, faça!" Liber tu é um visionário...
     À noite em programas de televisão houve debates sobre esta nova "revelação' do Liber Vivere. E todos chegaram a conclusão de que o cara era o cara. Nas rádios não se falava em outras coisas. Nas revistas especializadas Liber Vivere era tratado como um novo messias
      Liber Vivere se encheu daquela dor na consciência e começou a faturar ainda mais. Agora tem a certeza de que os livros de autoajuda são bons. Bons para ajudar a engordar a conta bancária do autor. Mas no fundo é um cara infeliz, pois tem consciência de que engana todos, menos a si mesmo...

Trilha Sonora
All the Young Dudes - Mott the Hoople - Rock 70´s
Lou Reed - Walk On The Wild Side - Rock 70´s
Uncle Arthur (The Original Stereo Album Mix) - David Bowie - David Bowie (Deluxe Edition)
Livin' Thing - Electric Light Orchestra - Rock 70´s
Clocks - Coldplay - A Rush of Blood to the Head
Bass Trap - U2 - The B-Sides 1980-1990
Black Mamba - Jethro Tull - J-Tull Dot Com
Bob Seger - Mainstreet - Rock 70´s
Running On Empty - Jackson Browne - Rolling Stone Magazine's 500 Greatest Songs Of All Time
In Thee - Blue Oyster Cult - Rock 70´s
Peter Gabriel - Games Without Fronti - Rock 70´s
Red Hill Mining Town - U2 - The Joshua Tree (2007 Remaster)
As Brumas do Futuro - Madredeus - Antologia
Cinnamon Girl - Crazy Horse, Neil Young - Rock 70´s
The Doors -  Roadhouse Blues - Rock 70´s
Love is a losing game - Amy Winehouse - Back to black
Because The Night - The Patti Smith Group - Rock 70´s
I'm So Lonesome I Could - Cry Hank Williams - Rolling Stone Magazine's 500 Greatest Songs Of All Time
Coma - Guns N' Roses - Use Your Illusion I
Burnin' Sky - Bad Company - Rock 70´s
The Turn Of A Friendly Card (Part One) - Alan Parsons Project - The Ultimate Collection Disc 1
O Tejo - Madredeus - Antologia

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Os conflitos de Lucas

- Hoje você me disse que tudo estava acabado. Mas estamos aqui neste motel.
     - Não retiro o que te disse. Estar aqui é mais uma prova que o nosso amor acabou e que o único lugar onde ele ainda pulsa é aqui. O que é uma pena.
     - Mas ainda tem um lugar onde somos felizes.
     - Tu acha que felicidade é isso que vivemos? Se tu acha que isto aqui é felicidade, tenho que te dizer que você nunca foi feliz...
     - Eu aqui nos teus braços sou a mulher mais feliz deste mundo e isto é felicidade para mim.
     - Pois eu queria algo mais.
     - Lucas, tu é o primeiro homem que me diz isso, talvez por isso você seja tão especial.
     - Não sou especial, apenas quero ser feliz e formar uma família. Só isso, será que é pedir demais?
     - Com certeza para uma mulher como eu é pedir demais... Nem meu nome tu sabe. Só meu nome de guerra.
     - Como assim, tu não se chama Sharon?
     - Claro que não. Meu nome é comum e não combina com o que faço.
     - Então se revele, pelo menos…

"Como fazer sexo"

O Google a cada ano nos revela as trends, em nosso amado português podemos traduzi-lo como tendências. Ou no português mais nosso ainda são os termos mais pesquisados no ano. É interessante dar uma olhada para vermos como somos fúteis. No Brasil para se ter uma ideia o termo mais pesquisado foi o BBB13. Estamos reduzidos a quase nada. Ou um nada completo.
     Mas o que mais me chamou a atenção foi um o tal tópico de "Como fazer". São todas as pesquisas com tem como intenção descobrir como fazer determinada coisa e pasmem está em quarto lugar a pesquisa "como fazer sexo". Não acreditam, então acessem o link: Trends: Como fazer sexo. Fico imaginando a pessoa "googleando" antes daquela noite (manhã ou tarde) de sexo. "Já sei como fazer, mas quero dar uma recordada, hoje promete e não quero decepcionar". É o fim da várzea.
      Eu sei que o google faz parte da nossa vida, não nos vemos sem esta ferramenta dos tempos modernos, mas pesquisar c…

Vida em anacruse

Já escrevi vários inícios. Muitos refeitos ou deletados.
     Tentativas vãs. Ou melhor, tentativas desfeitas, mas não vãs, pois todas, absolutamente todas me ensinaram alguma coisa. Na verdade pouco importa, porque a cada início tudo se repete. Queria que fosse diferente. Talvez como a música que está tocando. Follow Me do disco Imaginary Day do Pat Metheny  é a música perfeita para retratar o que quero dizer. Esta música já inicia no meio de um compasso, o que recebe o nome de anacruse, acho que é este o nome.
     A vida poderia ser uma grande anacruse. Explico. Primeiramente tenho que tentar definir anacruse como a ausência de tempos no primeiro compasso de uma melodia. Não sou músico, por isso defino a anacruse de forma tão simplória e tosca. O que quero dizer com esta figura de linguagem é que seria mais fácil se a vida fosse em anacruse, ou seja, quando menos esperássemos já estaríamos vivendo, sem nenhum subterfúgio ou intróito. Não prepararíamos nada. Não desperdiçaríamo…