Pular para o conteúdo principal

Os emergentes e seus problemas

    Uma história muito legal enviada pelo leitor Márcio Róm e com um final um tanto surpreendente. Não sei de qual cidade vem esta contribuição pois não foi mencionada. Mas gostei muito da história. Gostei mesmo. Por isso a publico aqui no LedVenture. Neste momento cabe uma explicação, porquanto tenho um leitor(a) que questiona a publicação de contribuições dos  leitores do blog. Explico que este é um espaço onde todos e todas podem fazer parte. Sou aberto a qualquer contribuição que se encaixe na proposta do blog, ou seja, entreter e fazer pensar. Caro Anônimo(a) não leve a mal, apenas leia o texto e se gostar  comente. Eu gostei muito. Boa leitura a todos e todas... Valeu Márcio Róm pela contribuição.

Por Márcio Róm


     - Não pode! Roberto tu é igual aos teus amigos emergentes.
     - Por quê?
     - Dá uma olhada na tua página do Facebook. Até o teu peido tu menciona no Facebook. Te liga.
     - Meus amigos fazem o mesmo.
     - Isso não quer dizer nada. Os teus amigos são todos cafonas. O Luiz Otávio por exemplo, viajou nas férias e a todo momento ficava colocando fotos no Facebook. Fotos em carrões, fotos em restaurantes famosos e até no banheiro do avião postou. Eu até gosto, pois facilita o meu trabalho. Tu não acha demais?
     - Não. Curti todas. E até postei comentários com risadas e outras coisas. Tu tem um pouco de razão, lembra do Leonardo? Colocou as fotos de quando estava na concessionária comprado o i30 dele.
     - Roberto, i30 é carro de emergente. Aliás, as redes sociais é o habit dos emergentes.
     - Pô, Maria Eduarda. Tu parece que é invejosa.
     - Não mesmo, sou apenas realista. Teus amigos são todos uns emergentes. Mais um exemplo. O Felipe. Este agora anda pra cima e para baixo com aquele iPhone tocando a toda hora aquela música do filme Carruagens de Fogo. É o fim da picada.
     - Sabe que nem reparei...
     Neste instante entra no Restaurante um amigo que o casal que não via há muito tempo.
     - Não pode ser... Robertão e Maria Eduarda, o casal mais fashion da cidade. Estava com muitas saudades de vocês. Vou postar no Facebook este nosso encontro.
     Em ato contínuo pegou seu iPhone e publicou no Face uma foto com a seguinte legenda: "No Restaurante Estrelas com meus irmãos de alma Robertão e Maria Eduarda, que dia feliz. Hoje promete..." e mostrou a sua página do Facebook para o casal.
     Roberto e Maria Eduarda se olham. Roberto logo diz:
     - Oh... Luiz Carlos, espera um pouco que vou curtir a tua publicação.
     Maria Eduarda quer se esconder embaixo da mesa.
     O papo continuava entre eles. Na verdade entre Roberto e o Luiz Carlos. E para variar o assunto era o Face, as fotos das viagens, dos carros, das roupas de marca, celulares e coisas sem nenhuma utilidade prática. Papo de emergente. Maria Eduarda queria sumir, mas fazia caras e bocas, como se estivesse adorando o papo.
     - Bom meus queridos tenho que ir embora.
     Maria Eduarda pensa, quem chama meus queridos é emergente...
     Luiz Carlos não para de falar:
     - Ainda hoje vou na concessionária pegar meu carro novo e claro publicarei tudo no Face. Adivinha qual é o modelo.
     Maria Eduarda não aguentando mais aquele papo e como tinha certeza qual era o carro, completou:
     - É um i30, é a tua cara.
     - Tu é sensitiva Maria Eduarda, claro que é um i30! Como tu adivinhou?
     - Olha Luiz Carlos, se por outro motivo não fosse é porque tu postou durante todo mês a negociação de compra no Face. Lembra?
     - É verdade, tinha me esquecido. Mas o carro é legal né?
     Roberto e Maria Eduarda concordaram com os olhos, mas não disseram nada. Os três se despediram. Quando o Luiz Carlos saiu Maria Eduarda não se conteve e logo disse:
     - Tô te dizendo Roberto, os teus amigos são muito emergentes...
     - Mas o carro é legal. Tá certo que agora o Veloster ofusca um pouco ele, mas ainda assim é legal.
     - A questão não se o carro é ou não legal, a questão é o status que todos querem apresentar com o carro. antes o Audi A3 fazia este papel. Agora é o i30, a Sportage e outros menos votados...
     - Maria Eduarda não te entendo tu sempre gostou da tal Sportage...
     - Até gosto, mas não sei. O que me incomoda é esta exposição, esta vontade de esfregar na cara de todo mundo a compra de algo ou então a divulgação de cada ato da vida nas redes sociais.
     - Mas se te incomoda tanto, não acessa o Face. Tu não é obrigada.
     - Sei disso, mas a questão é que eu entro no Face por dever de ofício. E tu sabe que minha profissão me obriga a acessar todas as redes sociais.
     - É verdade...
     - Hoje mesmos um cara divulgou que comprou uma mansão em Alphaville. Este mesmo cara era investigado por nós. E foi a gota d´água. Era o que precisávamos para notificá-lo...
     - É, vocês da Receita Federal não perdoam ninguém, agora até as redes sociais dão subsídios para estas famigeradas autuações fiscais.
     - É isso mesmo. E tu sabe o Luiz Eduardo que acabou de sair. Também será notificado. Faz três anos que não declara imposto de renda e no Face posta todas as compras que fez, casa, carro, lancha e viagens pela Europa. Não tem moleza, quer ostentar, tem que declarar imposto de renda.
     - Ainda bem que sou teu marido e declaro o imposto certinho... e se beijaram.
    A vida é assim mesmo, temos que nos cuidar, porque somos vigiados em todos os momentos de nossas vidas, até mesmo nas redes sociais. É o 1984 de George Orwell se materializando diante de nossos olhos...

Comentários

  1. Muito bom o texto, seja lá qual for o autor ,rsrsrs...
    Estes dia ouvi uma frase: " compramos coisas que não precisamos, com dinheiro que não temos, para impressionar pessoas que não gostamos."

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Interaja com Ledventure...

Postagens mais visitadas deste blog

Os conflitos de Lucas

- Hoje você me disse que tudo estava acabado. Mas estamos aqui neste motel.
     - Não retiro o que te disse. Estar aqui é mais uma prova que o nosso amor acabou e que o único lugar onde ele ainda pulsa é aqui. O que é uma pena.
     - Mas ainda tem um lugar onde somos felizes.
     - Tu acha que felicidade é isso que vivemos? Se tu acha que isto aqui é felicidade, tenho que te dizer que você nunca foi feliz...
     - Eu aqui nos teus braços sou a mulher mais feliz deste mundo e isto é felicidade para mim.
     - Pois eu queria algo mais.
     - Lucas, tu é o primeiro homem que me diz isso, talvez por isso você seja tão especial.
     - Não sou especial, apenas quero ser feliz e formar uma família. Só isso, será que é pedir demais?
     - Com certeza para uma mulher como eu é pedir demais... Nem meu nome tu sabe. Só meu nome de guerra.
     - Como assim, tu não se chama Sharon?
     - Claro que não. Meu nome é comum e não combina com o que faço.
     - Então se revele, pelo menos…

"Como fazer sexo"

O Google a cada ano nos revela as trends, em nosso amado português podemos traduzi-lo como tendências. Ou no português mais nosso ainda são os termos mais pesquisados no ano. É interessante dar uma olhada para vermos como somos fúteis. No Brasil para se ter uma ideia o termo mais pesquisado foi o BBB13. Estamos reduzidos a quase nada. Ou um nada completo.
     Mas o que mais me chamou a atenção foi um o tal tópico de "Como fazer". São todas as pesquisas com tem como intenção descobrir como fazer determinada coisa e pasmem está em quarto lugar a pesquisa "como fazer sexo". Não acreditam, então acessem o link: Trends: Como fazer sexo. Fico imaginando a pessoa "googleando" antes daquela noite (manhã ou tarde) de sexo. "Já sei como fazer, mas quero dar uma recordada, hoje promete e não quero decepcionar". É o fim da várzea.
      Eu sei que o google faz parte da nossa vida, não nos vemos sem esta ferramenta dos tempos modernos, mas pesquisar c…

Vida em anacruse

Já escrevi vários inícios. Muitos refeitos ou deletados.
     Tentativas vãs. Ou melhor, tentativas desfeitas, mas não vãs, pois todas, absolutamente todas me ensinaram alguma coisa. Na verdade pouco importa, porque a cada início tudo se repete. Queria que fosse diferente. Talvez como a música que está tocando. Follow Me do disco Imaginary Day do Pat Metheny  é a música perfeita para retratar o que quero dizer. Esta música já inicia no meio de um compasso, o que recebe o nome de anacruse, acho que é este o nome.
     A vida poderia ser uma grande anacruse. Explico. Primeiramente tenho que tentar definir anacruse como a ausência de tempos no primeiro compasso de uma melodia. Não sou músico, por isso defino a anacruse de forma tão simplória e tosca. O que quero dizer com esta figura de linguagem é que seria mais fácil se a vida fosse em anacruse, ou seja, quando menos esperássemos já estaríamos vivendo, sem nenhum subterfúgio ou intróito. Não prepararíamos nada. Não desperdiçaríamo…