Pular para o conteúdo principal

O Pacta Sunt Servanda que Otaviano nunca mais esqueceu

     Uma taça de vinho, este era mais um desejo naquela noite. Mas nem este desejo seria atingido. Somente dois corpos nus e nada mais. Aqueles dois não se veriam mais, pelo menos este era o acordo. Estes tempos Otaviano ouvira numa das aulas enfadonhas de direito um tal de Pacta Sunt Servanda. Mas claro que ela nunca ouvira falar neste brocardo latino.
     - Lívia, este é o teu nome, né. Quero te ver outras vezes.
     - Gatinho nem sei teu nome e nem quero saber. Lembra do que combinamos no início da noite? Era só por esta noite. E nada mais...
     - Mas Lívia, hoje foi a melhor noite da minha vida. Por isso quero repetir, quero ficar contigo em outras noites e mais outras...
     - Gatinho, tu conhece o tal de Pacta Sunt Servanda?
     - Tu só pode estar de sacanagem.
     - Gatinho é isto mesmo... Pacta Sunt Servanda...
     Neste momento Otaviano lembrou que o professor definiu Pacta Sunt Servanda  como "os pactos devem ser respeitados" ou mesmo "os acordos devem ser cumpridos" e era um princípio base do Direito Civil, mas também falou numa forma de romper esta certeza dos contratos... Infelizmente não lembrava da tal forma de romper os contratos. Para variar o mundo do direito nunca foi muito a praia dele...
     - Lívia, espera um pouco, eu sei que existe uma forma... Mas não me lembro, no direito tem uma forma de desconsiderar a certeza dos contratos, pena que não me lembro...
     - Gatinho, faz assim. Vou tomar um banho e se tu lembrar o que foi dito em aula, eu ficarei contigo outras vezes. Mas se tu não lembrar hoje será nossa primeira e a última noite.
     Neste momento ela levanta e anda até a banheira, com a toalha apenas roçando aquele corpo escultural. A mulher mais linda que Otaviano teve a sorte de encontrar. E agora o próximo encontro dependia de lembrar de um princípio de Direito Civil. Impossível ser verdade o que estava vivendo. Olhava o entorno, espelho no teto, iluminação suave, aroma de sexo no ar e o cara tinha que tentar lembrar de um princípio de Direito Civil. Estes tempos um amigo do Otaviano disse que leu Machado de Assis num motel e ele achou que era impossível. E agora tentava lembrar de um princípio de Direito Civil e chegou a lamentar que não tinha nenhum livro de Direito naquele quarto de motel. A vida era muito estranha. E olhou aquela mulher tomando banho, a mais linda que já tivera a chance de ver nua, sensual até o último fio de cabelo. Um olhar desnorteador... Continuava a olhar aquela mulher que se chamava, Lívia. Nem sabia se este era o nome dela. E disse de supetão:
     - Lívia, não lembro o tal princípio. Minha cabeça está um Rebu só.
     - Gatinho, presta atenção no que tu disse. Sem saber tu já começou a descobrir o tal princípio. Mas o teu tempo está acabando. Meu banho está quase no fim e se não me disser o tal princípio esta será nossa última noite...
     - Como assim, comecei a descobrir o princípio?
     - Isso mesmo que tu ouviu. Presta atenção no que tu disse. Ué não quer ficar comigo outras vezes? Então faz um esforço e tenta lembrar...
     Otaviano lembrou de uma frase do professor de Direito Civil I "vocês têm que prestar atenção nos princípios que iremos ver nesta aula, pois serão o ganha pão de vocês no futuro". E o pior que ele estava quase certo. Não seria meu ganha pão, mas muito mais do que isso, seria uma forma de conquistar um banquete de não sei quantos talheres. Com certeza a Lívia era a mulher mais linda e atraente do mundo. Infelizmente a cabeça do Otaviano era só povoada de pensamentos libidinosos com aquela mulher, mas nada de princípios de Direito Civil. Tentou de todas as formas. Mas chegou o momento crucial. Lívia vestiu a sua minissaia colante ao corpo, nem calcinha colocou, pois segundo suas palavras atrapalhavam. E de soslaio perguntou:
     - Gatinho, tu descobriu o tal princípio? Se sim, teremos mais noites como estas. Caso contrário serão lembranças de uma noite de verão.
     - Lívia, infelizmente sou um mau aluno. Não lembro nada além de Pacta Sunt Servanda.
     - Então, até nunca mais. E ela começa a deixar o quarto, mas antes de partir em definitivo diz com um sorriso nos olhos, Rebus Sic Stantibus, representa a Teoria da Imprevisão e constitui uma exceção à regra do Princípio da Força Obrigatória dos ContratosTrata da possibilidade de que um pacto seja alterado sempre que as circunstâncias que envolveram a sua formação não forem as mesmas no momento da execução da obrigação contratual, de modo a prejudicar uma parte em benefício da outra. Há necessidade de um ajuste no contrato. Rebus Sic Stantibus pode ser lido como "estando as coisas assim" ou "enquanto as coisas estão assim". Ah, esqueci de te dizer que sou muito CDF... Estou no último semestre de direito gatinho.
     - Espera aí, eu te encontrei...
     - Sei muito bem onde tu me encontrou, mas tenho que pagar a faculdade. Então te dou um conselho, vê se estuda.
     Otaviano, nunca mais esqueceu destes dois princípios do Direito Civil, Pacta Sunt Servanda e Rebus Sic Estantibus...E foi da forma mais estranha possível.


Trilha sonora
Dancing on a highwire - The Alan Parsons Project - Ammonia Avenue
O Sonho - Madredeus - Antologia
Exodo II - Bajofondo TangoClub - Bajofondo TangoClub
The ruins of Athens Overture - London Philarmonic Orchestra - The Best of Beethoven
Carry On Wayward Son - Kansas - The Best Of Kansas
Angel Electrico - Soda Stereo - Comfort Y Musica Para Volar
There Is A Happy Land (The Original Stereo Album Mix) - David Bowie - David Bowie (Deluxe Edition)
O Vento - Jota Quest - De Volta ao Planeta
Camaleon - Soda Stereo - Dynamo
Honky Cat - Elton John - Greatest Hits 1970-2002 (Disc 1)
The Gallery - Muse - Hyper Music (Japanese Boxset)
Up in Flames - Joe Satriani - Is There Love in Space?
Living in the past - Jethro Tull - Living in the past
Gita - Raul Seixas - Millenium
Nada Personal - Soda Stereo - Nada Personal

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Os conflitos de Lucas

- Hoje você me disse que tudo estava acabado. Mas estamos aqui neste motel.
     - Não retiro o que te disse. Estar aqui é mais uma prova que o nosso amor acabou e que o único lugar onde ele ainda pulsa é aqui. O que é uma pena.
     - Mas ainda tem um lugar onde somos felizes.
     - Tu acha que felicidade é isso que vivemos? Se tu acha que isto aqui é felicidade, tenho que te dizer que você nunca foi feliz...
     - Eu aqui nos teus braços sou a mulher mais feliz deste mundo e isto é felicidade para mim.
     - Pois eu queria algo mais.
     - Lucas, tu é o primeiro homem que me diz isso, talvez por isso você seja tão especial.
     - Não sou especial, apenas quero ser feliz e formar uma família. Só isso, será que é pedir demais?
     - Com certeza para uma mulher como eu é pedir demais... Nem meu nome tu sabe. Só meu nome de guerra.
     - Como assim, tu não se chama Sharon?
     - Claro que não. Meu nome é comum e não combina com o que faço.
     - Então se revele, pelo menos…

"Como fazer sexo"

O Google a cada ano nos revela as trends, em nosso amado português podemos traduzi-lo como tendências. Ou no português mais nosso ainda são os termos mais pesquisados no ano. É interessante dar uma olhada para vermos como somos fúteis. No Brasil para se ter uma ideia o termo mais pesquisado foi o BBB13. Estamos reduzidos a quase nada. Ou um nada completo.
     Mas o que mais me chamou a atenção foi um o tal tópico de "Como fazer". São todas as pesquisas com tem como intenção descobrir como fazer determinada coisa e pasmem está em quarto lugar a pesquisa "como fazer sexo". Não acreditam, então acessem o link: Trends: Como fazer sexo. Fico imaginando a pessoa "googleando" antes daquela noite (manhã ou tarde) de sexo. "Já sei como fazer, mas quero dar uma recordada, hoje promete e não quero decepcionar". É o fim da várzea.
      Eu sei que o google faz parte da nossa vida, não nos vemos sem esta ferramenta dos tempos modernos, mas pesquisar c…

Vida em anacruse

Já escrevi vários inícios. Muitos refeitos ou deletados.
     Tentativas vãs. Ou melhor, tentativas desfeitas, mas não vãs, pois todas, absolutamente todas me ensinaram alguma coisa. Na verdade pouco importa, porque a cada início tudo se repete. Queria que fosse diferente. Talvez como a música que está tocando. Follow Me do disco Imaginary Day do Pat Metheny  é a música perfeita para retratar o que quero dizer. Esta música já inicia no meio de um compasso, o que recebe o nome de anacruse, acho que é este o nome.
     A vida poderia ser uma grande anacruse. Explico. Primeiramente tenho que tentar definir anacruse como a ausência de tempos no primeiro compasso de uma melodia. Não sou músico, por isso defino a anacruse de forma tão simplória e tosca. O que quero dizer com esta figura de linguagem é que seria mais fácil se a vida fosse em anacruse, ou seja, quando menos esperássemos já estaríamos vivendo, sem nenhum subterfúgio ou intróito. Não prepararíamos nada. Não desperdiçaríamo…