Pular para o conteúdo principal

Sacola Retornável

     Ao olhar para o lado percebemos o quanto somos pequenos e quão pouca importância temos. Para nossa família somos importantes, talvez para alguns amigos também. Mas que importância temos para o mundo que nos cerca? O que fazemos de relevante para o mundo que vivemos? Muito pouco, talvez nada...
     Somos nada neste mundo. Mas se ao menos não atrapalhássemos. Ontem no supermercado, talvez tardiamente, me dei conta de que através das pequenas ações podemos começar a fazer a diferença.  Eu e minha esposa levamos nossas sacolas retornáveis quando fizemos o rancho do mês. Se não me engano eram oito, usamos todas e algumas caixas de papelão, não utilizamos nenhuma sacola plástica. Em outras ocasiões já usamos as tais sacolas retornáveis. Mas naquele dia tomamos consciência do que estávamos fazendo. Um pequeno ato, que analisado separadamente não era nada. Mas ao olharmos para o lado notamos algumas famílias com outras sacolas retornáveis. Pequenas atitudes que podem mudar o mundo. Tenho convicção que aquelas atitudes isoladas não são quase nada, mas quando espraiadas, aí sim, começarão a mudar o mundo. Acertei com minha esposa que iremos sempre fazer assim e das próximas vezes não iremos de carro ao supermercado. Estamos fazendo nossa parte. Mas é tão pouco.
     No último dia 31 de março ocorreu a Hora do Planeta - uma hora sem a utilização de energia elétrica. Tenho convicção que estes atos são o começo da mudança. Mas não são a mudança. Explico. Enquanto ficarmos adstritos a estes atos isolados não começaremos a verdadeira mudança, não daremos nenhum passo na direção de novas atitudes. Enquanto esperarmos que governantes comecem a mudança, enquanto esperarmos que outros façam o que nós devemos fazer, nada será feito. Tudo continuará como Dantes no quartel de Abrantes. Ou seja, estaremos cada vez mais próximos do fim... Este fim pode parecer distante, mas não está tão longe. Se cada um de nós tomar alguma atitude, talvez ainda haja tempo.
     Se você começar a escovar os dentes com a torneira fechada. Se diminuir alguns minutos do banho. Se lavar a louça utilizando menos água. Se procurar ter um consumo mais consciente. Se usar menos o carro. Se poupar energia elétrica. Se separar o lixo. Se deixar de lado o "se" e partir para ação, talvez façamos parte da solução e deixemos de ser o problema.
     Não há uma solução mágica que irá solucionar todos nossos problemas, mas existe uma forma de mudarmos aos poucos tudo que nos cerca. E nós somos este caminho, nós somos a mudança. Deve partir de cada um de nós, não importando o tamanho de cada ação. A cada pequena atitude começaremos a mudar nosso destino. Existe também a possibilidade de não fazermos nada. Neste caso devemos sentar e esperar o futuro chegar, talvez não haja futuro. Mas aí depende de cada um de nós. Eu quero mudar e acho que ainda há tempo. Não muito, mas ainda é possível vislumbrar alguma esperança, basta querermos e fazermos nossa parte...



Trilha sonora:
Carry On Wayward Son  Kansas - The Best Of Kansas
Already Over Me  The Rolling Stones - Bridges To Babylon
Cheia de Manha - Móveis Coloniais De Acaju - C_mpl_te
Budapest - Jethro Tull - Crest of a Knave [2005 remaster]
Amélia Por Amor- - Dulce Pontes & Ennio Morricone - Focus
Jumping Jack Flash - Peter Frampton - Frampton Comes Alive
Civil War - Guns N´ Roses - Greatest Hits
Forced In - Muse - Hullabaloo Soundtrack [Selection of b-sides]  (Disc 1)
Samba do avião - Antônio Carlos Jobim - Inédito
Modinha - Antônio Carlos Jobim - Inédito
You Are Everything - Michael McDonald - Motown2
The Pine Marten's Jig - Jethro Tull - A (Remastered)
Black Dog - Led Zeppelin - Clássicos Rock 500
Michael Jackson - Thriller - Thriller

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Os conflitos de Lucas

- Hoje você me disse que tudo estava acabado. Mas estamos aqui neste motel.
     - Não retiro o que te disse. Estar aqui é mais uma prova que o nosso amor acabou e que o único lugar onde ele ainda pulsa é aqui. O que é uma pena.
     - Mas ainda tem um lugar onde somos felizes.
     - Tu acha que felicidade é isso que vivemos? Se tu acha que isto aqui é felicidade, tenho que te dizer que você nunca foi feliz...
     - Eu aqui nos teus braços sou a mulher mais feliz deste mundo e isto é felicidade para mim.
     - Pois eu queria algo mais.
     - Lucas, tu é o primeiro homem que me diz isso, talvez por isso você seja tão especial.
     - Não sou especial, apenas quero ser feliz e formar uma família. Só isso, será que é pedir demais?
     - Com certeza para uma mulher como eu é pedir demais... Nem meu nome tu sabe. Só meu nome de guerra.
     - Como assim, tu não se chama Sharon?
     - Claro que não. Meu nome é comum e não combina com o que faço.
     - Então se revele, pelo menos…

"Como fazer sexo"

O Google a cada ano nos revela as trends, em nosso amado português podemos traduzi-lo como tendências. Ou no português mais nosso ainda são os termos mais pesquisados no ano. É interessante dar uma olhada para vermos como somos fúteis. No Brasil para se ter uma ideia o termo mais pesquisado foi o BBB13. Estamos reduzidos a quase nada. Ou um nada completo.
     Mas o que mais me chamou a atenção foi um o tal tópico de "Como fazer". São todas as pesquisas com tem como intenção descobrir como fazer determinada coisa e pasmem está em quarto lugar a pesquisa "como fazer sexo". Não acreditam, então acessem o link: Trends: Como fazer sexo. Fico imaginando a pessoa "googleando" antes daquela noite (manhã ou tarde) de sexo. "Já sei como fazer, mas quero dar uma recordada, hoje promete e não quero decepcionar". É o fim da várzea.
      Eu sei que o google faz parte da nossa vida, não nos vemos sem esta ferramenta dos tempos modernos, mas pesquisar c…

Vida em anacruse

Já escrevi vários inícios. Muitos refeitos ou deletados.
     Tentativas vãs. Ou melhor, tentativas desfeitas, mas não vãs, pois todas, absolutamente todas me ensinaram alguma coisa. Na verdade pouco importa, porque a cada início tudo se repete. Queria que fosse diferente. Talvez como a música que está tocando. Follow Me do disco Imaginary Day do Pat Metheny  é a música perfeita para retratar o que quero dizer. Esta música já inicia no meio de um compasso, o que recebe o nome de anacruse, acho que é este o nome.
     A vida poderia ser uma grande anacruse. Explico. Primeiramente tenho que tentar definir anacruse como a ausência de tempos no primeiro compasso de uma melodia. Não sou músico, por isso defino a anacruse de forma tão simplória e tosca. O que quero dizer com esta figura de linguagem é que seria mais fácil se a vida fosse em anacruse, ou seja, quando menos esperássemos já estaríamos vivendo, sem nenhum subterfúgio ou intróito. Não prepararíamos nada. Não desperdiçaríamo…