Pular para o conteúdo principal

Plano Diretor de Acessibilidade, ainda há esperança.

     Faz algum tempo que não me sento para escrever. Talvez porque me faltasse inspiração. Mas ontem li uma notícia de que Porto Alegre estabeleceu um Plano Diretor de Acessibilidade. No link a seguir a notícia completa. Fonte Jornal do Comércio de Porto Alegre: Capital ganha primeiro Plano Diretor de Acessibilidade do País.
     Diante desta notícia fiquei surpreso. Nenhuma cidade tem um planejamento para a locomoção de pessoas com necessidades especiais? Este fato é inconcebível. Um país que tenha um mínimo de atenção com o seu povo já teria um Plano Nacional, Planos Estaduais e Municipais para minorar as dificuldades de locomoção dos portadores de necessidades especiais. Me pergunto o porquê desta falta de atenção. Talvez por que os governantes estejam mais preocupados em preencherem os cargos de confiança ou quem sabe estejam preparando as suas reeleições. Mas nós também somos responsáveis. Não cobramos os eleitos, deixamos que fiquem encastelados e despreocupados com a realidade de todos os dias.
     Claro que este plano é importante, mas se não sair do papel é apenas um plano e nada mais do que isso. Ou melhor, pode ser ainda mais nefasto, pois como estamos em período pré-eleitoral pode ser mais um daqueles projetos que passadas as eleições serão engavetados em uma mesa esquecida da burocracia. Cabe, mais uma vez a nós não deixarmos cair no esquecimento.
     O surgimento deste plano é como um tapa na nossa cara. Estamos convivendo com as dificuldades de nossos semelhantes e não fizemos nada para mudar este estado de coisas. Muitos outros exemplos estão por aí a espera de uma atitude nossa. Não podemos deixar nas mãos de nossos governantes, temos que dar os primeiros passos e cobrar deles soluções. Caso estes não façam nada, a sociedade tem que tomar a dianteira e implementar soluções. Um exemplo pequeno que me deparei são os dejetos dos nossos animais de estimação. Alguns anos atrás não existia esta cultura de recolhê-los da calçada com sacolas e depositar depois no local correto. Uma associação de bairro disponibilizou nas ruas sacos plásticos para o recolhimento destes dejetos. Após esta iniciativa particular, o poder público encampou a ideia. É simples assim. É um exemplo pequeno, mas é basilar no que quero dizer. Nós somos parte desta sociedade e as soluções dos problemas passam por nós.
     Sempre testemunhamos dificuldades de locomoção de algum portador de necessidade especial, seja cadeirante, obeso ou alguém de muletas. Talvez nos indignemos momentaneamente, às vezes ajudamos a superar aquela dificuldade, depois fechamos os vidros de nossos carros ou de nossas casas e voltamos para as nossas vidas. Chegou o tempo de encamparmos algumas lutas para que mudemos tudo que nos cerca. Soluções existem, basta que lutemos por elas. Com certeza não caem do céu.
     Esta notícia sobre o Plano Diretor de Acessibilidade me despertou muitos sentimentos. Surpresa, felicidade, desconfiança, mas acima de tudo esperança. Talvez estejamos dando os primeiros passos em direção a uma sociedade mais humanizada. Espero que daqui alguns anos eu releia este texto e perceba que a esperança tenha se tornado uma realidade.


Trilha sonora
God Part II - U2 - Rattle And Hum
Summer Breeze - Seals and Crofts - Rock 70´s
The Star Spangled Banner - U2 - Rattle And Hum
Don't Miss You At All - Norah Jones - Feels Like Home
Flying Colours - Jethro Tull - The Broadsword and the Beast [vinyl rip]
Styx - Babe - Rock 70´s
The End - The Doors - Rolling Stone Magazine's 500 Greatest Songs Of All Time
Ride Like the Wind - Christopher Cross - Christopher Cross
Intros - The Rolling Stones - Get Your Leeds Lungs Out, Revisited - Leeds, England
In the Flesh - Pink Floyd - The Wall - Disc II
Cream - Sunshine of Your Love - Rock 70´s
Treasure (Whatever Happened To Pete The Chop) - U2 - War (2008 Bonus CD)
Shiver (Live In Rotterdam Nov.5 2002) - Coldplay - Singles
Ito Okashi - Passengers - Original Soundtracks 1
A Time For Everything - Jethro Tull - Benefit
Ni Un Segundo - Soda Stereo - Soda Stereo

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Os conflitos de Lucas

- Hoje você me disse que tudo estava acabado. Mas estamos aqui neste motel.
     - Não retiro o que te disse. Estar aqui é mais uma prova que o nosso amor acabou e que o único lugar onde ele ainda pulsa é aqui. O que é uma pena.
     - Mas ainda tem um lugar onde somos felizes.
     - Tu acha que felicidade é isso que vivemos? Se tu acha que isto aqui é felicidade, tenho que te dizer que você nunca foi feliz...
     - Eu aqui nos teus braços sou a mulher mais feliz deste mundo e isto é felicidade para mim.
     - Pois eu queria algo mais.
     - Lucas, tu é o primeiro homem que me diz isso, talvez por isso você seja tão especial.
     - Não sou especial, apenas quero ser feliz e formar uma família. Só isso, será que é pedir demais?
     - Com certeza para uma mulher como eu é pedir demais... Nem meu nome tu sabe. Só meu nome de guerra.
     - Como assim, tu não se chama Sharon?
     - Claro que não. Meu nome é comum e não combina com o que faço.
     - Então se revele, pelo menos…

"Como fazer sexo"

O Google a cada ano nos revela as trends, em nosso amado português podemos traduzi-lo como tendências. Ou no português mais nosso ainda são os termos mais pesquisados no ano. É interessante dar uma olhada para vermos como somos fúteis. No Brasil para se ter uma ideia o termo mais pesquisado foi o BBB13. Estamos reduzidos a quase nada. Ou um nada completo.
     Mas o que mais me chamou a atenção foi um o tal tópico de "Como fazer". São todas as pesquisas com tem como intenção descobrir como fazer determinada coisa e pasmem está em quarto lugar a pesquisa "como fazer sexo". Não acreditam, então acessem o link: Trends: Como fazer sexo. Fico imaginando a pessoa "googleando" antes daquela noite (manhã ou tarde) de sexo. "Já sei como fazer, mas quero dar uma recordada, hoje promete e não quero decepcionar". É o fim da várzea.
      Eu sei que o google faz parte da nossa vida, não nos vemos sem esta ferramenta dos tempos modernos, mas pesquisar c…

Vida em anacruse

Já escrevi vários inícios. Muitos refeitos ou deletados.
     Tentativas vãs. Ou melhor, tentativas desfeitas, mas não vãs, pois todas, absolutamente todas me ensinaram alguma coisa. Na verdade pouco importa, porque a cada início tudo se repete. Queria que fosse diferente. Talvez como a música que está tocando. Follow Me do disco Imaginary Day do Pat Metheny  é a música perfeita para retratar o que quero dizer. Esta música já inicia no meio de um compasso, o que recebe o nome de anacruse, acho que é este o nome.
     A vida poderia ser uma grande anacruse. Explico. Primeiramente tenho que tentar definir anacruse como a ausência de tempos no primeiro compasso de uma melodia. Não sou músico, por isso defino a anacruse de forma tão simplória e tosca. O que quero dizer com esta figura de linguagem é que seria mais fácil se a vida fosse em anacruse, ou seja, quando menos esperássemos já estaríamos vivendo, sem nenhum subterfúgio ou intróito. Não prepararíamos nada. Não desperdiçaríamo…