Pular para o conteúdo principal

Um amor de petshop

    Andava sem rumo e sem destino. Tinha desistido da vida. Este era Paulo Eduardo. Nunca sua vida apresentara algum sentido. Havia conseguido um bom emprego num destes bancos de investimento, ou melhor, bancos que lidam com especulação financeira. Claro que estes bancos não gostam da nomenclatura "especulação financeira", mas é exatamente o que são. Paulo Eduardo tinha uma opinião bastante clara sobre este assunto. Para ele estes  Bancos de Investimentos eram a antessala dos cassino... Somente isso e trabalhar neste ambiente lhe fazia muito mal. Por trabalhar neste mundo dos investimentos foi obrigado a se mudar para São Paulo e a partir de então só convive com prédios, carros, viadutos e solidão, muita solidão. A vida de Paulo Eduardo era somente de casa para o trabalho e do trabalho para casa. Já pensara em viver no interior, numa cidade pequena, mas nunca teve coragem de largar o emprego e a vida confortável que levava, apesar de ser solitária, ainda assim era confortável.
     O que Paulo Eduardo queria era somente um grande amor, nada mais do que amar e ser amado. Mesmo que fosse por poucas horas. Até hoje nunca amou e tão pouco foi amado. Este fato era o calcanhar de Aquiles da sua vida.
     Ao andar sem destino Paulo Eduardo pensava em como seria amar de verdade. Como seria viver com e para um grande amor? Neste momento alguém lhe pergunta onde ficava a Estação da Luz. Uma voz doce, acompanhado de um perfume suave. Imediatamente olhou nos olhos daquela mulher desconhecida. Palavras não podem descrever o que vivenciou naquele momento, tudo a sua volta perdeu o sentido, nada mais importava, até mesmo a sua respiração parecia ter parado. Respondeu a primeira coisa que veio na sua cabeça:
     - Estou indo para lá, se você quiser podemos ir juntos?
     - Desculpe. Não disse que estava indo para lá, quero saber somente onde fica, pois a Estação da Luz é apenas um ponto de referência.
     - Eu que te peço desculpas. Fui incoveniente. A estação da Luz fica a mais ou menos umas quatro quadras na rua de trás.
     Naquele momento o peso de uma vida de tristezas se fez sentir sobre os ombros do Paulo Eduardo. Ele percebia que tinha que dizer alguma coisa, pois parecia que o amor da sua vida estava à  sua frente. Mas não sabia o que dizer.
     A desconhecida tenta se despedir:
     - Então muito obrigado. Estou indo fazer uma entrevista de emprego numa petshop que fica bem perto da Estação da Luz.
     - Você ficaria braba se lhe perguntasse em qual petshop será a entrevista?
     Ela achou estranho, pois ele só usava pronomes oblíquos. Mas tudo bem, o cara era simpático. Logo respondeu:
     - Claro que não. É na Auauquemia, uma petshop. Preciso muito deste emprego.
     - Vou torcer que você consiga o emprego. Aliás, você já está contratada. Eu sou o proprietário da petshop. Mentiu descaradamente, não sabia o que dizer, mas sentia que deveria estender o máximo a conversa.
     - Não brinca!!!!!
     - Estou brincando, claro, quem é o dono é o meu irmão, mas eu sou o administrador, então vamos lá para formalizarmos a contratação. A mentira estava cada vez maior.
     - Nem nos apresentamos. Meu Nome é Paulo Eduardo. E o seu?
     - Jéssica Moraes. Mas como o senhor vai me contratar se nem sabe se tenho algum conhecimento? E já estou te avisando, não quero ser contratada por outros motivos que não sejam profissionais. Não sou dessas que fazem tudo por um emprego.
     - Calma Jéssica. Não estou insinuando nada, apenas sou uma pessoa que percebe algumas coisas, você tem uma alma muito boa e os bichinhos da pet necessitam deste amor que vem de dentro de ti.
     - Que estranho, o senhor me conhece a uns quatro minutos e já sabe como sou por dentro?
     - Se eu lhe falasse outros sentimentos que vivencio neste momento você me consideraria louco.
aliás, acho que sou um pouco louco. Mas deixemos de conversa fiada e vamos para a pet. Lá damos encaminhamento da papelada.
     Ao começarem a caminhar parecia que estavam numa outra dimensão. O som dos carros não eram mais ouvidos, o burburinho não se fazia perceber. Jéssica achou tudo tão estranho, aquele barbudo falando coisas estranhas sobre sentimentos e animais. Mas pelo menos este estranho gostara dela e lhe garantiu o emprego. Mas ele não tinha cara de trabalhar em uma petshop. De terno e gravata não fazia o tipo de administrador de petshop.
     Ao chegarem em frente da petshop Jéssica sentiu que algo esta um pouco errado.
     O Paulo Eduardo parou na frente da loja e falou:
     - Jéssica, entra lá e diz que tu está vindo para a vaga anunciada. Eu vou esperar aqui fora.
     - Mas o senhor não é o administrador?
     - Sou e não sou. Depende do que acontecer na tua entrevista. Entra ai e se apresenta. Vou ficar aqui lhe esperando.
     Jéssica entra na petshop estranhando aquele monte de pronomes oblíquos e se dirige ao atendente dizendo que quer entregar o currículo para a vaga de veterinária.
     - Olha, a vaga já foi preenchida.
     - Não pode ser, eu falei com o administrador e ele me assegurou que a vaga era minha.
     - Mocinha, eu sou o proprietário desta petshop. E só para constar também sou o administrador, então acho que eu posso contratar quem eu quiser.
     - Desculpa.
     Imediatamente Jéssica sai chorando da petshop. Ao chegar na calçada encontra o Paulo Eduardo que a vê as lágrimas e pergunta o que houve.
     - Simples, a vaga já tinha sido preenchida. O senhor me enganou.
     - Espera um pouco aqui. Que vou dar uma solução para o teu caso.
     Paulo Eduardo entra na pet e começa a falar com o proprietário. A Jéssica lá de fora acompanhava tudo. Eles não pareciam irmãos. Uns 15 minutos depois Paulo Eduardo sai acompanhado da petshop.
     - Jéssica entra lá que agora nós somos donos da Auauquemia.
     - Como assim somos os donos?
     - Acabo de comprá-la. Agora vou no banco pedir demissão e depois venho para cá. Enquanto isso vai tomando conta da pet. Só se tu não me quiser como sócio?
      Neste momento Paulo Eduardo olha para Jéssica e tem a certeza de que está fazendo a coisa certa. Nunca na vida sentiu esta emoção. Era o amor invadindo a sua vida... Finalmente. Que sensação estranha o amor. Nos faz cometer loucuras. Paulo Eduardo nunca cometera uma loucura, desta vez tinha a impressão que estava fazendo a única coisa certa em sua vida. Todos lhe falavam deste sentimento nobre que é o amor, mas era a primeira vez que sentia esta sensação de leveza.
     Algum tempo depois Paulo Eduardo e Jéssica se casaram, estão com um casal de filhos e uma rede de petshop´s espalhadas pelo Brasil.
     Paulo Eduardo, enfim,  conheceu o amor, depois de muitos anos sozinho hoje ele tem certeza de que sabe o que é amar e ser amado. E quem diria que conheceu o amor exatamente quando havia desistido de viver... Hoje em dia só tem uma tristeza, não ter encontrado a Jéssica antes, não teria sofrido tanto e por todos aqueles anos. Mas isto é passado hoje o presente é de felicidade e muito amor, cercado por bichos e longe do cassino da especulação financeira. A única especulação que se permite é sobre onde passar as férias com Jéssica e os filhos...

Trilha sonora
For What It's Worth - Buffalo Springfield - Rolling Stone Magazine's 500 Greatest Songs Of All Time
Coldplay - Now My Feet Won't Touch The Ground - Vários Artistas - EP's
Made in England - Elton John - Greatest Hits 1970-2002 (Disc 2)
Who Do You Love Bo Diddley - Rolling Stone Magazine's 500 Greatest Songs Of All Time
Miss Gradenko - The Police - Message in a Box
Paseo De Gracia - The Alan Parsons Project - The Ultimate Collection (Disc 2)
Ameba - Soda Stereo - Dynamo
Old Man - Neil Young - Greatest Hits
April Wine - Roller -  Rock 70´s
Styx - Come Sail Away - Rock 70´s
My Sharona - The Knack - Rock 70´s
Ain't Got Nobody - Grand Funk Railroad - We're An American Band
Try A Little Tenderness - Otis Redding - Rolling Stone Magazine's 500 Greatest Songs Of All Time
4th of July - U2 - The Unforgettable Fire
Flip The Switch - The Rolling Stones - Bridges To Babylon
O Que Vou Fazer Se Não Te Encontrar - Tambo Do Bando - 20 Mais
No Lullaby - Jethro Tull - Heavy Horses
Law Years - Pat Metheny, Dave Holland & Roy Haynes - Question and Answer
Satellite of Love (Reprise) - The MDH Band - The Million Dollar Hotel
Give It All You Got - Chuck Mangione - Fun and Games
Kreisler: Elegia (A Henri) With Introduction & Epilogue From Liebeslied - Dave Grusin, Gil Shaham, Etc. - Two Worlds

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Os conflitos de Lucas

- Hoje você me disse que tudo estava acabado. Mas estamos aqui neste motel.
     - Não retiro o que te disse. Estar aqui é mais uma prova que o nosso amor acabou e que o único lugar onde ele ainda pulsa é aqui. O que é uma pena.
     - Mas ainda tem um lugar onde somos felizes.
     - Tu acha que felicidade é isso que vivemos? Se tu acha que isto aqui é felicidade, tenho que te dizer que você nunca foi feliz...
     - Eu aqui nos teus braços sou a mulher mais feliz deste mundo e isto é felicidade para mim.
     - Pois eu queria algo mais.
     - Lucas, tu é o primeiro homem que me diz isso, talvez por isso você seja tão especial.
     - Não sou especial, apenas quero ser feliz e formar uma família. Só isso, será que é pedir demais?
     - Com certeza para uma mulher como eu é pedir demais... Nem meu nome tu sabe. Só meu nome de guerra.
     - Como assim, tu não se chama Sharon?
     - Claro que não. Meu nome é comum e não combina com o que faço.
     - Então se revele, pelo menos…

"Como fazer sexo"

O Google a cada ano nos revela as trends, em nosso amado português podemos traduzi-lo como tendências. Ou no português mais nosso ainda são os termos mais pesquisados no ano. É interessante dar uma olhada para vermos como somos fúteis. No Brasil para se ter uma ideia o termo mais pesquisado foi o BBB13. Estamos reduzidos a quase nada. Ou um nada completo.
     Mas o que mais me chamou a atenção foi um o tal tópico de "Como fazer". São todas as pesquisas com tem como intenção descobrir como fazer determinada coisa e pasmem está em quarto lugar a pesquisa "como fazer sexo". Não acreditam, então acessem o link: Trends: Como fazer sexo. Fico imaginando a pessoa "googleando" antes daquela noite (manhã ou tarde) de sexo. "Já sei como fazer, mas quero dar uma recordada, hoje promete e não quero decepcionar". É o fim da várzea.
      Eu sei que o google faz parte da nossa vida, não nos vemos sem esta ferramenta dos tempos modernos, mas pesquisar c…

Vida em anacruse

Já escrevi vários inícios. Muitos refeitos ou deletados.
     Tentativas vãs. Ou melhor, tentativas desfeitas, mas não vãs, pois todas, absolutamente todas me ensinaram alguma coisa. Na verdade pouco importa, porque a cada início tudo se repete. Queria que fosse diferente. Talvez como a música que está tocando. Follow Me do disco Imaginary Day do Pat Metheny  é a música perfeita para retratar o que quero dizer. Esta música já inicia no meio de um compasso, o que recebe o nome de anacruse, acho que é este o nome.
     A vida poderia ser uma grande anacruse. Explico. Primeiramente tenho que tentar definir anacruse como a ausência de tempos no primeiro compasso de uma melodia. Não sou músico, por isso defino a anacruse de forma tão simplória e tosca. O que quero dizer com esta figura de linguagem é que seria mais fácil se a vida fosse em anacruse, ou seja, quando menos esperássemos já estaríamos vivendo, sem nenhum subterfúgio ou intróito. Não prepararíamos nada. Não desperdiçaríamo…