Pular para o conteúdo principal

Um outro 11 de setembro


     Um amigo postou um comentário lembrando o 11 de setembro de 1973. Poucos sabem a verdadeira história deste 11 de setembro. Poucos se importam com o 11 de setembro de 1973. Por quê? Fácil responder. Este 11 de setembro foi provocado e estimulado pelos Estados Unidos quando seus interesses econômicos estavam sendo ameçados no Chile de Allende.
     Como é interessante a história da humanidade. Fatos semelhantes são tratados de forma absolutamente diversas. O que os EUA fizeram no Chile foi uma intervenção para impor a sua forma de pensamento, impor o modo norte-americano de viver. Por outro lado, o que os terroristas fizeram no 11 de setembro de 2001 foi esta mesma tentativa de imposição de ideias. Os dois atentados ferem os mesmos direitos e os mesmos princípios éticos e morais.
     O caso do Chile de Allende é um dos maiores atentados à soberania de um país. O Chile resolveu seguir um caminho diferente, buscou ser um país socialista com pendores democráticos. Mas esta opção livre e soberana dos chilenos feriu interesses transnacionais. Em particular interesses de empresas norte-americanas. Então o grande império resolveu sabotar esta experiência. Estimulou movimentos paredistas de trabalhadores, sabotagens de minas (principal fonte de renda do Chile dos anos 70), enfim, tentou instalar o caos no Chile. O povo chileno tentou resistir através das urnas, mas quando os tanques entraram em ação, não houve mais como lutar contra esta força econômica e militar do norte. A consequência direta foi a assunção ao poder de um desconhecido general, Augusto Pinochet, alinhado com os interesses norte-americanos. O obscuro general atuou de acordo com os mandamentos impostos pelos EUA e sua doutrina econômica. Os Chicago Boys aplicaram direitinho os mandamentos do grande império do norte. Até porque muitos dos integrantes do Governo Ditatorial do Pinochet estudaram na Universidade de Chicago, tendo contatos direto com Milton Friedman. Quem tiver interesse pesquise um pouco sobre este economista e ficará surpreso com alguns dados da sua biografia.
     Estes dois episódios quando retratados pela imprensa, historiadores e acima de tudo pelo império norte-americano, adquire outras matizes, o Golpe no Chile é minimizado, enquanto que o 9/11 é superdimensionado. Os Estados Unidos a partir de 2001 iniciaram uma caçada aos responsáveis pelos ataques ao seu país, invadiram países, implementaram o conceito de guerra preventiva, sequestraram pessoas, torturaram suspeitos, inclusive criaram uma prisão específica para estes suspeitos. Guantánamo é o símbolo deste terror ao terror. Um país que até então não tolerava o desrespeito aos direitos humanos, encontrou uma forma de praticar a tortura. Os doutos na matéria afirmaram que a Sistema Jurídico Americano não permitia a tortura no limite territorial americano, mas hipocritamente afirmaram que não existia tal empecilho para as torturas perpetradas por americanos fora do território americano. Então, como Guantánamo fica fora dos limites territoriais americanos a tortura poderia ser usada, bem como em diversas outras prisões espalhadas pelo mundo, como por exemplo, Abu Ghraib. Muitas outras devem existir e nós não sabemos...
     É estranho que um país que sempre se autoproclamou defensor dos direitos humanos, um país que sempre se posicionou contra qualquer tipo de violação aos direitos humanos, de uma hora para outra tenha rasgado todas as suas convicções. Alguém poderia dizer que este fato foi em represália a um ato inominável. Mas os EUA se igualaram aos terroristas ao agirem da mesma forma que eles.
     Mas se formos analisar a história, veremos os Estados Unidos já praticavam o terrorismo de Estado. Um exemplo é o 11 de setembro de 1973 no Chile socialista de Allende. Mas não é o único exemplo. Poderia citar um número infindável de exemplos, me vem a lembrança a Nicarágua, caso conhecido por Irã-Contras, também me lembro da invasão da Baía do Porcos em Cuba, a invasão de Granada (operação Fúria Urgente) e até o golpe militar no Brasil. Poderia enumerar muitos outros casos, todos estimulados ou com a presença ostensiva dos Estados Unidos. Não há justificativas ao 11 de setembro de 2001, mas será que não foi uma consequência terrível das atitudes deste país imperialista? Será que a política externa dos Estados Unidos não teve como consequência a total insatisfação de muitos outros povos? São perguntas que ficam no ar para você formar suas conclusões. Todo o extremismo é nefasto para a humanidade, seja de direita, esquerda, religioso ou qualquer outra linha ideológica.
     Nada justifica a violência. Ponto. Entretanto, a vida não é tão simples, nós não somos tão simples. Eu entendo aquele que sempre foi oprimido tentar atacar o opressor. Não justifico, mas entendo. Apenas entendo.
     O grande império do norte, de todas as formas, impõe a sua forma de viver, impõe suas crenças e suas certezas. Às vezes nós temos as nossas certezas, nós temos nossas formas de pensar, queremos errar ou acertar por nós mesmos. Não é diferente com os países. As culturas espalhadas pelo mundo querem continuar existindo e não serem apenas um apêndice da cultura de terceiros. Ou então, tornarem-se apenas mais um mercado consumidor da cultura norte-americana.
     Não gostaria de testemunhar outros 11 de setembro, mas para estes fatos não ocorrem mais deveríamos mudar completamente conceitos e atitudes. Não vejo os países alterando suas ações, muito antes pelo contrário, vejo diariamente os grandes impérios tentando impor suas convicções. Não tardará para a corda romper novamente, é uma pena...

Ps.: Valeu Carlos Fischborn pela lembrança do 11 de setembro de 1973... parece que estamos do mesmo lado da história. E isso me agrada. Me agrada saber que fomos colegas de colégio e fiquei feliz com nosso encontro numa assembleia da nossa categoria. Abraços.

Trilha sonora
Rocksong - Muse - Arcana
I Won't Back Down - Tom Petty & the Heartbreakers - Greatest Hits
I Go Wild - The Rolling Stones - Voodoo Lounge
Paranoid - Black Sabbath - Rolling Stone Magazine's 500 Greatest Songs Of All Time
Focus (Vocal) - Focus - In And Out Of Focus
The Wall Street Shuffle - 10CC - Rock 70´s
Piece Of My Heart - Big Brother & The Holding Company - Live At Winterland '68
Endless Deep - U2 -  War (2008 Bonus CD)
Guinevere - Rick Wakeman - The Myths and Legends of King Arthur and the Knights of the Round Table
The Groove In The States (San Diego) - Muse - Absolution Tour
Highway 61 Revisited - Bob Dylan - Rolling Stone Magazine's 500 Greatest Songs Of All Time
Dharma For One - Jethro Tull - This Was
Wond'ring Aloud - Jethro Tull - Aqualung
Peg - Steely Dan - Rock 70´s
Your Love (Once Upon A Time In The West) - Dulce Pontes & Ennio Morricone - Focus

Comentários

  1. Carlos EXOMAN Fischborn says:
    Meu grande amigo Ledventure,
    Excelente post. Hoje mais que nunca sei que estamos do mesmo lado sim, o lado oposto as ingerências dos mais ricos e poderosos deste mundo.
    Deixo aqui também o meu muito obrigado pela resposta e Um Grande Abraço!

    PS: Já que tu bem citou a Nicarágua, eis aqui a trilha sonora desse meu post.
    .
    http://www.youtube.com/watch?v=F6kahuS6AfQ
    .

    ResponderExcluir
  2. Oi, ótimo texto! Mas, faltou uma música na tua trilha: YO PISARÉ LAS CALLES NUEVAMENTE de Pablo Milanes
    Pra quem quiser ouvir
    http://www.4shared.com/audio/rOLfsik5/ad_Yo_pisare_las_calles_nuevam.html?

    Yo pisaré las calles nuevamente
    De lo que fué Santiago ensangrentada
    Y en una hermosa plaza liberada
    Me detendré a llorar por los ausentes

    Yo vendré del desierto calcinante
    Y saldré de los bosques y los lagos
    Y evocaré en un cerro de Santiago
    A mis hermanos que murieram antes

    Yo me volque al que hizo mucho y poco
    al que quiere la Patria liberada
    dispararé las primeras balas
    más temprano que tarde sin reposo
    Retornarán los libros, las canciones
    Que quemaran las manos asesinas
    Renascerá mi pueblo de su ruína
    Y pagarán su culpa los traidores

    Un niño jugará en una alameda
    Y cantará con sus amigos nuevos
    Y ese canto será el canto del suelo
    A una vida cegada en La Moneda

    Yo pisaré las calles nuevamente
    De lo que fué Santiago ensangrentada
    Y en una hermosa plaza, liberada
    Me detendré a llorar por los ausentes

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Interaja com Ledventure...

Postagens mais visitadas deste blog

Os conflitos de Lucas

- Hoje você me disse que tudo estava acabado. Mas estamos aqui neste motel.
     - Não retiro o que te disse. Estar aqui é mais uma prova que o nosso amor acabou e que o único lugar onde ele ainda pulsa é aqui. O que é uma pena.
     - Mas ainda tem um lugar onde somos felizes.
     - Tu acha que felicidade é isso que vivemos? Se tu acha que isto aqui é felicidade, tenho que te dizer que você nunca foi feliz...
     - Eu aqui nos teus braços sou a mulher mais feliz deste mundo e isto é felicidade para mim.
     - Pois eu queria algo mais.
     - Lucas, tu é o primeiro homem que me diz isso, talvez por isso você seja tão especial.
     - Não sou especial, apenas quero ser feliz e formar uma família. Só isso, será que é pedir demais?
     - Com certeza para uma mulher como eu é pedir demais... Nem meu nome tu sabe. Só meu nome de guerra.
     - Como assim, tu não se chama Sharon?
     - Claro que não. Meu nome é comum e não combina com o que faço.
     - Então se revele, pelo menos…

"Como fazer sexo"

O Google a cada ano nos revela as trends, em nosso amado português podemos traduzi-lo como tendências. Ou no português mais nosso ainda são os termos mais pesquisados no ano. É interessante dar uma olhada para vermos como somos fúteis. No Brasil para se ter uma ideia o termo mais pesquisado foi o BBB13. Estamos reduzidos a quase nada. Ou um nada completo.
     Mas o que mais me chamou a atenção foi um o tal tópico de "Como fazer". São todas as pesquisas com tem como intenção descobrir como fazer determinada coisa e pasmem está em quarto lugar a pesquisa "como fazer sexo". Não acreditam, então acessem o link: Trends: Como fazer sexo. Fico imaginando a pessoa "googleando" antes daquela noite (manhã ou tarde) de sexo. "Já sei como fazer, mas quero dar uma recordada, hoje promete e não quero decepcionar". É o fim da várzea.
      Eu sei que o google faz parte da nossa vida, não nos vemos sem esta ferramenta dos tempos modernos, mas pesquisar c…

Vida em anacruse

Já escrevi vários inícios. Muitos refeitos ou deletados.
     Tentativas vãs. Ou melhor, tentativas desfeitas, mas não vãs, pois todas, absolutamente todas me ensinaram alguma coisa. Na verdade pouco importa, porque a cada início tudo se repete. Queria que fosse diferente. Talvez como a música que está tocando. Follow Me do disco Imaginary Day do Pat Metheny  é a música perfeita para retratar o que quero dizer. Esta música já inicia no meio de um compasso, o que recebe o nome de anacruse, acho que é este o nome.
     A vida poderia ser uma grande anacruse. Explico. Primeiramente tenho que tentar definir anacruse como a ausência de tempos no primeiro compasso de uma melodia. Não sou músico, por isso defino a anacruse de forma tão simplória e tosca. O que quero dizer com esta figura de linguagem é que seria mais fácil se a vida fosse em anacruse, ou seja, quando menos esperássemos já estaríamos vivendo, sem nenhum subterfúgio ou intróito. Não prepararíamos nada. Não desperdiçaríamo…