Pular para o conteúdo principal

As idiossincrasias de Cláudio

      - Como cruzamos por pessoas que tem verdades e que não se permitem ouvir outras verdades. O mundo está cheio de reis e rainhas da verdade. Não se pode contestá-las sob o risco de nos enviarem à fogueira. Eu só tenho dúvidas. Me pergunto o porquê de tantas certezas? Aprendi a ponderar qualquer assertiva. Desde de a mais tenra idade me ensinaram a ouvir todos e formar a minha opinião depois de muito ouvir.
     - De uns tempos para cá a certeza impera em nossa sociedade. Todos devem ser assertivos, não deixam espaço para dúvidas. Como isso? Será que sou um ser de outro planeta.
     - Calma Cláudio. Tu está nervoso. Vai pescar.
     - Eu nervoso, só estou fazendo uma ponderação.
     - E isso só porque o atendente perguntou o que tu quer comer?
     - Sim. Estou em dúvida. Este cardápio tem muitas opções.
     - Cláudio, te define. Tu só está escolhendo o que vai comer no almoço e não está tomando a decisão que irá mudar a tua vida.
     - Carmem. Eu sou assim. Gosto de ponderar todas as possibilidades para não me arrepender depois.
     - Sei bem disso. Quando tu troca de carro, fica analisando todas as revistas, pesquisa na internet, busca opiniões de consumidores daquele carros. E quando decide o carro já saiu de linha. Por isso andamos naquele Escorte XR3. Nem sei o ano daquela joça.
     - Carmem. Aquele carro é de luxo.
     - Mas de que ano. É do século passado Cláudio. Estou cansada desta tua indecisão.
     - Indecisão não! Ponderação. Sou ponderado. E até hoje sempre fiz as escolhas corretas.
     - Cláudio. Lembra quando namorávamos. Quanto tempo tu esperou para noivar comigo? E depois ficamos quantos anos para casar? Tu é quase um louco. Tu já pensou em se tratar? Quem sabe um psicólogo ou quem sabe um psiquiatra?
     - Sabe que estou pesquisando uns psicólogos para consultar. Estou quase me decidindo.
     - Sei...
     - Sério, na lista só restaram 537 profissionais. Está tudo anotado no notebook.
     - Não acredito. Cláudio, tu é maluco. Casei com um louco.
     - Já me decidi, vou comer esta massa ao molho de aspargos com filé de merlusa.
     - Cláudio, sempre que viemos neste restaurante tu escolhe o mesmo prato e sempre fica um dúvida sobre o que comer. Não suporto mais esta loucura.
     - Carmem, são idiossincrasias. Só isso. Mas não sou louco.
     Neste instante Cláudio começa a pensar como irá pagar a conta, com cartão ou dinheiro. No débito ou crédito. Muitas dúvidas. Sorte que ainda tem todo o almoço para decidir.
     - Cláudio! Tu está me ouvindo? Estou falando e tu nada de responder. Agora além de indeciso tu também está ficando surdo. Desculpe indeciso não, tu é ponderado...
     Carmem dá uma risada gostosa, vive esta vida por muitos anos e no fundo adora esta "ponderação" do Cláudio. Mas o carro não suporta mais. Um Escorte XR3 ninguém merece. Então resolve tocar no assunto.
     - Cláudio. Vamos deixar de brincadeiras. Nosso carro não dá mais. Está um caco. Sei que é um carro de luxo, mas está ultrapassado. Temos que trocá-lo.
     - Sei disso. Quando eu estava quase decidido entraram estes carros chineses e embaralhou toda minha cabeça. Por isso e sou favorável de se vender carros nacionais no Brasil. Nada de Chinês, Japonês, Coreano... Confunde nossas cabeças.
     - Mas Cláudio... Não dá mais. Temos que nos decidir.
     - Acho que estou quase lá. Me decidi por um Cadenza. Lindo um preço bom. Eu iria te dizer depois do almoço. Mas como tu está nervosa decidi, depois de algumas ponderações internas, te contar. Hoje iremos fechar o negócio.
     - Não brinca comigo. Este é aquele que fizemos quatro testes drives? Não este que tu te refere é o Mercedes. O Cadenza é o que fizemos a viagem a praia. Lembra?
     - Lembro. No Cadenza fizemos SETE testes drives.
     - Este mesmo. Eu tinha que me certificar que em todos os terrenos ele é um carro bom...
     - Não importa. Vamos comer logo para ir à concessionária. Não suporto mais aquele Escorte.
     - Saiba que foi difícil me decidir. O Escorte é um baita carro.
     O casal comeu apressado. Pagou a conta. Não sem antes ficarem discutindo de que forma pagariam a conta. Afinal, decidiram pagar com cartão de débito. E se dirigiram à concessionária. E quando chegaram lá o vendedor se dirigiu ao Cláudio e disse:
     - Seu Cláudio tenho duas notícias. Nenhuma das duas muito boas, pelo que conheço do senhor acho que temos um problemão. Um não, dois...
     - Deixa para lá. Não diz nada só vamos acertar o negócio. Já estamos nisso há quase dez anos.
     - Carmem deixa o Carlos falar.
     - Seu Cláudio. Primeiramente, o IPI dos carros importados subiu. Uma decisão do governo. Sempre para aumentar a arrecadação. E a outra notícia é que o Cadenza 2012 já está lançado. Então não sei se o senhor irá querer o carro. Depois de tudo que conversamos.
     O vendedor pensa. Nestes seis anos quase vendemos todos os carros para este senhor "ponderado". Justo agora que ele iria, enfim, acertar a compra acontece isso.
      - É Roberto. O cenário mudou. Que pena.
      - Como assim Cláudio, tu não irá comprar o carro.
      - Não sei. Tenho que pensar. Primeira vez na vida que estou em dúvida.
      - Faz assim Roberto. Como eu estava em dúvida entre o Sonata e o Cadenza. Me vê os dois, claro que no modelo 2012. E saiba que vou pagar na borracha.
      Os dois ficam paralisados com a decisão firme de Cláudio O vendedor esboça um sorriso e agradece aos céus que vende os carros da Kia a da Hyundai. A Esposa não se contém de felicidade, enfim, trocaram de carro, depois de quase 20 anos com o Escorte. Mas não era bem assim..
      Agora o drama de Cláudio é escolher com que carro ele sai. Ele agora acorda sempre por volta das quatro da manhã, toma café e desce para a garagem e fica a analisar a situação. "Com que carro vou hoje". É um suplício. Está pensando em vender um dos carros. Mas os dois são tão bons, cada um tem suas vantagens... a vida segue e Cláudio luta diariamente para escolher com que carro irá trabalhar.


Trilha Sonora
The Specials - A Message To You Rudy - Rock 70´s
O Milho E A Inteligencia - Vitor Ramil - A Paixao De V Segundo Ele Proprio
ea in the Sahara (Live) - The Police  - Message in a Box
Rehab - Amy Winehouse - Back to black
Wild Horses - The Rolling Stones - Rolling Stone Magazine's 500 Greatest Songs Of All Time
No Time This Time - The Police - Message in a Box
Leaving So Soon - Keane Under The - Iron Sea
Glorious - Muse - Black Holes And Revelations (Japanese Release)
Little T & A - The Rolling Stones - Tattoo You
Peanuts - The Police - Message in a Box
Swept Away - Spyro Gyra - Breakout
The Small Print (Earls Court) - Muse - Absolution Tour
The Forgotten (Part Two) - Joe Satriani - Flying In A Blue Dream
Gordon Lightfoot - Carefree Highway - Rock 70´s
A Resposta - Vitor Ramil - A Beça
When A Man Loves A Woman - Percy Sledge - Rolling Stone Magazine's 500 Greatest Songs Of All Time
Who's Driving Your Plane? - The Rolling Stones - Singles Collection - The London Years (Disc 2)
Silence And I - Alan Parsons Project - The Ultimate Collection Disc 1
Sing For Absolution - Muse - Absolution

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Os conflitos de Lucas

- Hoje você me disse que tudo estava acabado. Mas estamos aqui neste motel.
     - Não retiro o que te disse. Estar aqui é mais uma prova que o nosso amor acabou e que o único lugar onde ele ainda pulsa é aqui. O que é uma pena.
     - Mas ainda tem um lugar onde somos felizes.
     - Tu acha que felicidade é isso que vivemos? Se tu acha que isto aqui é felicidade, tenho que te dizer que você nunca foi feliz...
     - Eu aqui nos teus braços sou a mulher mais feliz deste mundo e isto é felicidade para mim.
     - Pois eu queria algo mais.
     - Lucas, tu é o primeiro homem que me diz isso, talvez por isso você seja tão especial.
     - Não sou especial, apenas quero ser feliz e formar uma família. Só isso, será que é pedir demais?
     - Com certeza para uma mulher como eu é pedir demais... Nem meu nome tu sabe. Só meu nome de guerra.
     - Como assim, tu não se chama Sharon?
     - Claro que não. Meu nome é comum e não combina com o que faço.
     - Então se revele, pelo menos…

"Como fazer sexo"

O Google a cada ano nos revela as trends, em nosso amado português podemos traduzi-lo como tendências. Ou no português mais nosso ainda são os termos mais pesquisados no ano. É interessante dar uma olhada para vermos como somos fúteis. No Brasil para se ter uma ideia o termo mais pesquisado foi o BBB13. Estamos reduzidos a quase nada. Ou um nada completo.
     Mas o que mais me chamou a atenção foi um o tal tópico de "Como fazer". São todas as pesquisas com tem como intenção descobrir como fazer determinada coisa e pasmem está em quarto lugar a pesquisa "como fazer sexo". Não acreditam, então acessem o link: Trends: Como fazer sexo. Fico imaginando a pessoa "googleando" antes daquela noite (manhã ou tarde) de sexo. "Já sei como fazer, mas quero dar uma recordada, hoje promete e não quero decepcionar". É o fim da várzea.
      Eu sei que o google faz parte da nossa vida, não nos vemos sem esta ferramenta dos tempos modernos, mas pesquisar c…

Vida em anacruse

Já escrevi vários inícios. Muitos refeitos ou deletados.
     Tentativas vãs. Ou melhor, tentativas desfeitas, mas não vãs, pois todas, absolutamente todas me ensinaram alguma coisa. Na verdade pouco importa, porque a cada início tudo se repete. Queria que fosse diferente. Talvez como a música que está tocando. Follow Me do disco Imaginary Day do Pat Metheny  é a música perfeita para retratar o que quero dizer. Esta música já inicia no meio de um compasso, o que recebe o nome de anacruse, acho que é este o nome.
     A vida poderia ser uma grande anacruse. Explico. Primeiramente tenho que tentar definir anacruse como a ausência de tempos no primeiro compasso de uma melodia. Não sou músico, por isso defino a anacruse de forma tão simplória e tosca. O que quero dizer com esta figura de linguagem é que seria mais fácil se a vida fosse em anacruse, ou seja, quando menos esperássemos já estaríamos vivendo, sem nenhum subterfúgio ou intróito. Não prepararíamos nada. Não desperdiçaríamo…