Pular para o conteúdo principal

Inspiração ou sua falta

     O ato da escrita nunca se completa. A cada leitura encontro um novo jeito de escrever o que já foi escrito. Este é o sentimento que tenho ao ler algum texto deste blog. Nunca fico satisfeito com o resultado do que está publicado. Talvez nem você, caro leitor. Mas esta é uma outra história.
     Cada texto tem sua pulsação, sua forma, sua vida. Parece estranho, mas é assim mesmo. Por isso é difícil publicar algo. É como um nascimento de um filho.
     Às vezes fico imaginando o drama de quem escreve diariamente em algum jornal. A cada dia tendo que produzir uma coluna. Imagino estes colunistas tentando encontrar um assunto interessante e depois desenvolvendo o texto, mantendo dia após dia o interesse da leitura. Não deve ser fácil. Ou melhor, não é fácil.
     A falta de assunto é o pior dos dramas destes escritores. A edição do jornal se aproximando e o colunista sem a coluna pronta e sem perspectiva de ser aprontada. O tempo correndo e a necessidade de produzir a coluna ainda lá. Ao fim e ao cabo a coluna sempre é produzida, faça sol ou faça chuva. Quando pegamos o jornal pela manhã e procuramos a coluna de nossa preferência ela está lá plasmada numa folha de jornal. Ao lê-la não imaginamos como foi difícil produzi-la. Às vezes pensamos "hoje a coluna está perfeita", ou então, "o fulano está perdendo a inspiração, pois hoje a coluna está muito ruim". Mas nem imaginamos o drama do colunista. A procura da inspiração ou quem sabe a procura do tema perfeito. Às vezes o entorno conspira a favor do colunista, o cotidiano proporciona o tema perfeito. Mas e quando o dia a dia não tem nenhum assunto interessante para a coluna? O que fazer? Como produzir a tal coluna?
     Escrevo isso, pois guardadas as devidas proporções, este blog volta e meia vive este drama. Sobre o que escrever? Não surge nenhum assunto. Muitas vezes o cotidiano deste blogueiro não proporciona nenhum texto, nem uma mísera linha. A vida na maioria dos seus dias, é absolutamente comum. O que fazer? Sobre o que escrever? Acho que este blog vive  este dilema. Alguns amigos, de forma galhofeira, me dizem para mudar o foco do blog. Dizem que tenho que escrever sobre temas pornográficos. Talvez alguns vídeos ou mesmo histórias mais picantes. Quem sabe até trocar o nome do blog, para algo mais apelativo. Poderia ser  blogdasacanagem.blogspot.com, aquitemsacanagem.blogspot.com ou chupetinhafrenteeverso.blogspot.com. Com certeza não faltaria assunto nestes blogs. Mas não sei se eu poderia ser blogueiro de sacanagens. Talvez eu não tenha este perfil. Ou quem sabe tenha.
     Lá no início do LedVenture eu tinha a intenção de escrever todos os dias um texto diferente. Na verdade nunca consegui esta produção, mesmo nos dias mais inspirados, se é que existiram dias assim inspiração. Mas vou tentando escrever com uma certa regularidade.
     No texto de hoje não escrevi sobre nada. Hoje é mais um dia sem inspiração. Quem sabe eu siga os conselhos dos meus amigos e escreva um blog sobre sacanagem. Enquanto isso vou seguindo na minha luta de escrever este blog.
     Por fim cabe esclarecer aos parcos leitores do LedVenture que este post não é o fim do blog, como poderia transparecer, mas somente um dia pouco inspirado. A falta de inspiração foi o dínamo do texto de hoje. 

Trilha Sonora:
End Of The Game - Pat Metheny Group - First Circle
Walk To The Water - U2 - The B-Sides 1980-1990
God Knows I'm Good - David Bowie - Space Oddity (German RCA)
Gunface - The Rolling Stones - Bridges To Babylon
Grace - U2 - All That You Can't Leave Behind
Laugh I Nearly Died - The Rolling Stones - A Bigger Bang
Dreamer - Supertramp - Rock 70´s
Brown Sugar - The Rolling Stones - Get Your Leeds Lungs Out, Revisited - Leeds, England
Canto Invierno - Dave Grusin/Lee Ritenour - Two Worlds
Hide In Your Shell - Supertramp - Orpheum Theatre, 1976-03-05 Boston, MA
Out Of Control (Don Was Live Remix) - The Rolling Stones - More For Promotional Use Only
Flower In The Sun - Big Brother & The Holding Company - Live At Winterland '68
Suite Compostelana - Cuna - Dave Grusin/Lee Ritenour - Two Worlds
Folsom Prison Blues - Johnny Cash - Rolling Stone Magazine's 500 Greatest Songs Of All Time
Lost! - Coldplay - Viva La Vida or Death And All His Friends
Brain Damage - Pink Floyd - The Dark Side Of The Moon
Angel of Harlem - U2 - Rattle And Hum
That Lady (Parts & 2) - The Isley Brothers - Rock 70´s
The Other Way of Stopping - The Police - Message in a Box
Exit - U2 - The Joshua Tree
Deixem Seus Olhos Fixos - Tambo do Bando - 20 Mais

Comentários

  1. Caro Led:

    Falta de inspiração se torna um problema quando ela se torna crônica... É o seu caso??
    Abraços do velho e bom anônimo.

    ResponderExcluir
  2. Ex-anônimo.
    Como bom geminiano sou uma metamorfose ambulante. Agora deixei de lado aquela neura de escrever todos os dias (que era a finalidade inicial do brog). Estou escrevendo quando dá vontade. E este lance de inspiração também é uma espécie de mito, temos que provocar a escrita para sair algo. O problema que em alguns momentos, mesmo provocando não sai nada. Mas vou seguindo neste prazer que é a escrita. Quando deixar de ser um prazer estará na hora de parar.
    Outra coisa, já estava sentindo falta da participação deste ex-anônimo. Continua no barco para ajudar este blogueiro neófito. Abraços

    ResponderExcluir
  3. Ok.. só quis dar uma empurradinha, ou como tu disse, uma provocação...
    Não esquenta com a inspiração, dizem por aí que mais vale 1 % de inspiração do que 99% de transpiração.

    Heitor

    ResponderExcluir
  4. Com ou sem inspiração, sou leitora assídua do blog. Já inclui na minha rotina diária a leitura dos teus textos. Abraço. Lis

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Interaja com Ledventure...

Postagens mais visitadas deste blog

Os conflitos de Lucas

- Hoje você me disse que tudo estava acabado. Mas estamos aqui neste motel.
     - Não retiro o que te disse. Estar aqui é mais uma prova que o nosso amor acabou e que o único lugar onde ele ainda pulsa é aqui. O que é uma pena.
     - Mas ainda tem um lugar onde somos felizes.
     - Tu acha que felicidade é isso que vivemos? Se tu acha que isto aqui é felicidade, tenho que te dizer que você nunca foi feliz...
     - Eu aqui nos teus braços sou a mulher mais feliz deste mundo e isto é felicidade para mim.
     - Pois eu queria algo mais.
     - Lucas, tu é o primeiro homem que me diz isso, talvez por isso você seja tão especial.
     - Não sou especial, apenas quero ser feliz e formar uma família. Só isso, será que é pedir demais?
     - Com certeza para uma mulher como eu é pedir demais... Nem meu nome tu sabe. Só meu nome de guerra.
     - Como assim, tu não se chama Sharon?
     - Claro que não. Meu nome é comum e não combina com o que faço.
     - Então se revele, pelo menos…

"Como fazer sexo"

O Google a cada ano nos revela as trends, em nosso amado português podemos traduzi-lo como tendências. Ou no português mais nosso ainda são os termos mais pesquisados no ano. É interessante dar uma olhada para vermos como somos fúteis. No Brasil para se ter uma ideia o termo mais pesquisado foi o BBB13. Estamos reduzidos a quase nada. Ou um nada completo.
     Mas o que mais me chamou a atenção foi um o tal tópico de "Como fazer". São todas as pesquisas com tem como intenção descobrir como fazer determinada coisa e pasmem está em quarto lugar a pesquisa "como fazer sexo". Não acreditam, então acessem o link: Trends: Como fazer sexo. Fico imaginando a pessoa "googleando" antes daquela noite (manhã ou tarde) de sexo. "Já sei como fazer, mas quero dar uma recordada, hoje promete e não quero decepcionar". É o fim da várzea.
      Eu sei que o google faz parte da nossa vida, não nos vemos sem esta ferramenta dos tempos modernos, mas pesquisar c…

Vida em anacruse

Já escrevi vários inícios. Muitos refeitos ou deletados.
     Tentativas vãs. Ou melhor, tentativas desfeitas, mas não vãs, pois todas, absolutamente todas me ensinaram alguma coisa. Na verdade pouco importa, porque a cada início tudo se repete. Queria que fosse diferente. Talvez como a música que está tocando. Follow Me do disco Imaginary Day do Pat Metheny  é a música perfeita para retratar o que quero dizer. Esta música já inicia no meio de um compasso, o que recebe o nome de anacruse, acho que é este o nome.
     A vida poderia ser uma grande anacruse. Explico. Primeiramente tenho que tentar definir anacruse como a ausência de tempos no primeiro compasso de uma melodia. Não sou músico, por isso defino a anacruse de forma tão simplória e tosca. O que quero dizer com esta figura de linguagem é que seria mais fácil se a vida fosse em anacruse, ou seja, quando menos esperássemos já estaríamos vivendo, sem nenhum subterfúgio ou intróito. Não prepararíamos nada. Não desperdiçaríamo…