Pular para o conteúdo principal

Um amor na Comissão

     - Não consigo mais. Tentei de todas as formas, mas não consigo ser quem tu é. Só isso. Você me impõe condições que não suporto mais.
     - Como assim imponho condições?
     - Isso mesmo. As tuas expectativas depositadas sobre mim me anulam.
     - Então, deixa assim.
     Se estabeleceu uma espécie de silêncio sepulcral entre os dois. Nada mais poderia ou deveria ser dito. Os dois continuavam a se olhar, mas o amor até então existente não estava mais ali.
     Já enfrentaram muitas lutas juntos. Preconceitos, dissabores diários, mas sempre o amor era o que os uniam. Atualmente tudo que os cercavam estava desmoronando.
     - Onde erramos?
     - Nem sei se erramos.
     A conversa esbarrava nesta falta de sintonia. Nunca mais tiveram aquelas conversas lá do início do namoro. Um namoro escondido. Uma namoro longe de todos e de tudo. Ficou pior com o correr dos anos quando passaram a ocupar posições sólidas na República.
     - Acho que tu tem medo de assumir nosso amor.
     - Mas tu também. Nunca pensou em gritar para todos os cantos que nos amamos. Talvez seja tarde para este ato de libertação, quem sabe não nos amemos mais.
      A gritaria lá fora aumentava. Ali dentro daquela Comissão da Câmara dos Deputados quase lotada por assessores, líderes sindicais, jornalistas, aposentados, todos tinham algum interesse na Comissão mista do orçamento. Ninguém imaginaria a conversa que estava sendo travada numa das mesas daquela Comissão.
     - Não estou escutando o discurso do líder do governo.
     - Tu tem que me escutar, estou dizendo que tu não tem coragem de assumir nosso amor.
     - E eu disse que nós não temos esta coragem.
     - Eu tenho coragem, sim senhor!
     - Sabe de uma coisa, tu tem medo dos eleitores, tu tem medo da reação da base, tu tem medo da tua família, enfim, tu tem medo até da tua sombra, nunca assumiria este amor entre nós.
     O barulho na entrada da Comissão aumentou, membros de várias  categorias de servidores públicos tomavam os espaços no fundo da Comissão. Aquela sala estava cada vez mais cheia, um burburinho se formava por todos os cantos. Cada vez mais não se ouviam os discursos enfadonhos dos Deputados.
     - Então tu vai ver se não tenho coragem.
     Neste momento o Deputado Machadinho pede a palavras.
     - Questão de ordem Presidente.
     - Questão de ordem concedida Deputado Machadinho.
     - Preciso de alguns minutos para dizer algo muito importante para mim. Esta discussão sobre o orçamento da União tem muito pouca importância para minha vida.
     Neste instante a plateia atônita vaia unissonamente o Deputado. Todos estranharam aquelas palavras, pois o Deputado Machadinho estivera sempre ao lado das categorias naquela luta dentro da Comissão Mista do Orçamento.
     - Peço desculpas aos presentes, mas é a mais pura realidade. Minha vida está desmoronando neste instante. E tenho que dizer que amo de paixão o Deputado Carlos Xanti. Aliás, acho que posso dizer, que nosso amor vem desde a nossa adolescência. E estamos enfrentando a maior crise deste nosso longo amor.
      O Presidente da Comissão não sabe o que dizer, mas intervém:
     - Digníssimo Deputado Machadinho. Não quero ser grosseiro, mas penso que este não é o local mais apropriado para esta declaração de amor.
     - Muito antes pelo contrário nobre Presidente. Sim este é o local da salvação do meu amor. A salvação da minha vida. Só espero que o Deputado Carlos Xanti entenda o momento crucial que estamos vivendo.
     Neste instante o Deputado Carlos Xanti pede a palavra. Ao que o Presidente responde que não há forma de lhe dar a palavra. A reação dos presentes é de espanto e o Presidente capitula e, contra sua vontade, concede a palavra ao Deputado Carlos Xanti.
     - Prezados Deputados, Deputadas, representantes das mais diversas categorias profissionais aqui presentes, senhores e senhoras jornalistas, eu só tenho que dizer o seguinte. Eu amo o Deputado Machadinho e quero me casar com ele, quero constituir família, enfim, quero ser feliz aos olhos de toda a sociedade, não posso e não quero mais vivendo escondido de todos.
     Quando o Deputado encerrou sua fala era um silêncio nunca antes vivenciado em nenhuma Comissão do Congresso Nacional. Todos estavam com os olhos arregalados. Naquele instante tudo parecia estar parado no tempo e no espaço. Então do fundo da Comissão se ouve o grito:
     - Que sejam felizes, mas votem o nosso projeto. E depois seremos padrinhos de casamento.
     Os dois Deputados se olham e se beijam amorosamente, enfim, iriam viver o seu amor na sua forma mais livre. Se comprometeram a lutar pelo projeto dos servidores ali presentes. E desde então estão juntos na luta daquela categoria que soube entender que o amor vale mais do que uma votação.
     Machadinho e Carlos Xanti viraram representantes de outras lutas, uma delas contra a homofobia e a favor do casamento homoafetivo.

Trilha Sonora
The Needle And The Damage Done - Neil Young - Greatest Hits
Orff: Carmina Burana - Cour D'Amours: Circa Mea Pectora - Franz Welser-Möst: London Philharmonic Orchestra
Perfect Lover - Kansas - The Best Of Kansas
Not Fragile - Bachman-Turner Overdrive - Not Fragile
Uncle Arthur (The Original Stereo Album Mix) - David Bowie - David Bowie (Deluxe Edition)
Layla - Derek & The Dominos - Rolling Stone Magazine's 500 Greatest Songs Of All Time
The Dogs Of War - Pink Floyd - A Momentary Lapse of Reason
Being For The Benefit Of Mr. Kite! - The Beatles - Sgt. Pepper's Lonely Hearts Club Band
Dreamer - Supertramp - Orpheum Theatre, 1976-03-05 Boston, MA
Beggar's Farm - Jethro Tull - This Was
Eu Também Vou Reclamar - Raul Seixas - Millenium
London Bye Ta-Ta (Previously Unreleased) - David Bowie - David Bowie (Deluxe Edition)
Tangled Up In Blue - Bob Dylan - Rolling Stone Magazine's 500 Greatest Songs Of All Time
Trooper - We're Here For A Good Time - Rock 70´s
Semeadura - Vitor Ramil - A Paixao De V Segundo Ele Próprio
Sing For Absolution - Muse - Absolution Tour
Bloody Well Right - Supertramp - Orpheum Theatre, 1976-03-05 Boston, MA
Don't forget to reme - Bee Gees - The very best of the Bee Gees
Runnin' Down a Dream - Tom Petty & the Heartbreakers - Greatest Hits
The Cars - Dangerous Type - Rock 70´s
Elton John - Your Song - Rock 70´s
Don't Worry Baby - The Beach Boys - Rolling Stone Magazine's 500 Greatest Songs Of All Time
In My Bed - Amy Winehouse - Frank
Into The Light - Joe Satriani - Flying In A Blue Dream
It's All Over Now - The Rolling Stones - Singles Collection - The London Years (Disc 1)
Glory Row [*] - Jethro Tull - War Child

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Os conflitos de Lucas

- Hoje você me disse que tudo estava acabado. Mas estamos aqui neste motel.
     - Não retiro o que te disse. Estar aqui é mais uma prova que o nosso amor acabou e que o único lugar onde ele ainda pulsa é aqui. O que é uma pena.
     - Mas ainda tem um lugar onde somos felizes.
     - Tu acha que felicidade é isso que vivemos? Se tu acha que isto aqui é felicidade, tenho que te dizer que você nunca foi feliz...
     - Eu aqui nos teus braços sou a mulher mais feliz deste mundo e isto é felicidade para mim.
     - Pois eu queria algo mais.
     - Lucas, tu é o primeiro homem que me diz isso, talvez por isso você seja tão especial.
     - Não sou especial, apenas quero ser feliz e formar uma família. Só isso, será que é pedir demais?
     - Com certeza para uma mulher como eu é pedir demais... Nem meu nome tu sabe. Só meu nome de guerra.
     - Como assim, tu não se chama Sharon?
     - Claro que não. Meu nome é comum e não combina com o que faço.
     - Então se revele, pelo menos…

"Como fazer sexo"

O Google a cada ano nos revela as trends, em nosso amado português podemos traduzi-lo como tendências. Ou no português mais nosso ainda são os termos mais pesquisados no ano. É interessante dar uma olhada para vermos como somos fúteis. No Brasil para se ter uma ideia o termo mais pesquisado foi o BBB13. Estamos reduzidos a quase nada. Ou um nada completo.
     Mas o que mais me chamou a atenção foi um o tal tópico de "Como fazer". São todas as pesquisas com tem como intenção descobrir como fazer determinada coisa e pasmem está em quarto lugar a pesquisa "como fazer sexo". Não acreditam, então acessem o link: Trends: Como fazer sexo. Fico imaginando a pessoa "googleando" antes daquela noite (manhã ou tarde) de sexo. "Já sei como fazer, mas quero dar uma recordada, hoje promete e não quero decepcionar". É o fim da várzea.
      Eu sei que o google faz parte da nossa vida, não nos vemos sem esta ferramenta dos tempos modernos, mas pesquisar c…

Vida em anacruse

Já escrevi vários inícios. Muitos refeitos ou deletados.
     Tentativas vãs. Ou melhor, tentativas desfeitas, mas não vãs, pois todas, absolutamente todas me ensinaram alguma coisa. Na verdade pouco importa, porque a cada início tudo se repete. Queria que fosse diferente. Talvez como a música que está tocando. Follow Me do disco Imaginary Day do Pat Metheny  é a música perfeita para retratar o que quero dizer. Esta música já inicia no meio de um compasso, o que recebe o nome de anacruse, acho que é este o nome.
     A vida poderia ser uma grande anacruse. Explico. Primeiramente tenho que tentar definir anacruse como a ausência de tempos no primeiro compasso de uma melodia. Não sou músico, por isso defino a anacruse de forma tão simplória e tosca. O que quero dizer com esta figura de linguagem é que seria mais fácil se a vida fosse em anacruse, ou seja, quando menos esperássemos já estaríamos vivendo, sem nenhum subterfúgio ou intróito. Não prepararíamos nada. Não desperdiçaríamo…