Pular para o conteúdo principal

Ciclo do amor...


      - Não sei como chegamos até aqui sendo completamente diferentes.
     - Nós chegamos aqui por discordâncias irreconciliáveis. Nossa relação foi um erro.
     - Como um erro, se estivemos casados por vinte anos?
     - Mas nestes vinte anos nos fizemos muito mal. Desperdiçamos tempo ao tentar tornar o nosso amor viável. Pelo menos é o que eu penso.
     - Realmente somos diferentes. Mas nunca achei que nosso casamento foi um erro. Fui muito feliz ao teu lado.
     - Nestes anos, tu pode me dizer quantos foram realmente felizes ao meu lado?
     - Não podemos mensurar este tipo de sentimento. A felicidade é um conjunto de pequenos momentos felizes. Tu sempre buscou algo fora de ti. Nunca consegui achar esta felicidade interior e buscava no outro ou no teu entorno.
     - Não estou afirmando que fui infeliz, mas sim que esta vida não foi a que esperei para mim.
     - Sempre olhando somente o teu lado, sempre senti que na verdade tu era muito egoísta, mas eu tinha a convicção de que tu iria mudar, ou que fosse consequência da tua imaturidade. Mas te acalma, já estamos terminando.
     - Estou calmo. Mas ao mesmo tempo sinto um vazio dentro de mim, parece que só cometi erros nestes vinte anos. E sei que não é isso, mas dentro do meu coração é o que sinto.
     - Nunca imaginei que iríamos terminar num lugar com este. Tão impessoal. Sinto necessidade de chorar, mas não tenho mais lágrimas.
     - Tá vendo como te faço mal. Nestes últimos anos tu chora quase todos os dias. Como podes dizer que ainda há amor entre nós?
     - O amor foi o que embalou nossos anos. É verdade que nestes últimos tempos estamos vivendo só crises. Mas sempre pensei que era apenas uma coisa passageira. Mas não foi. Tanto é que estamos aqui. Só suportei estes anos de relaltivo sofrimento por amor. Somente amor. Eu te amei com todas as minhas forças. Não tenho mais forças para te amar. Mas saiba que lutei pelo que pensei que era o nosso amor.
     - Bárbara. Não quero virar teu inimigo. Preciso seguir minha vida, seguir minhas loucuras, tentar viver uma vida diferente da que estamos vivendo. Quero começar do zero. Não vou esquecer o que vivemos. Será que é tão difícil entender?
     No alto-falante uma voz grave:
     - Senhor André Moreira Caldeira e Senhora Bárbara Moisés Caldeira, dirijam-se a quarta vara de família. Primeira chamada. Processo número: 0001614-55.2009.8.21.0106
     - André chegou nossa hora. Vamos lá começar uma nova vida.
     E aquele casal se direciona para a sala de audiências. Mais uma vida que se encerra. Talvez outras duas começem. Mas o sentimento de perda é inevitável. Afinal, foi uma tentativa que durou vinte anos.
     Ao sairem da audiência não formavam mais um casal. Se despediram e cada um foi para um lado da cidade.
     Talvez tenham chegado a conclusão que o amor vivido não foi em vão, afinal, amar é uma experiência única. Lutamos por muitas coisas em nossas vidas. Alcançar nossas realizações profissionais, melhorar nosso padrão de vida ou comprar isto ou aquilo. Mas, muitas vezes, esquecemos de reforçar nosso amor. esquecemos que a pessoa que está ao nosso lado precisa do nosso amor. A relação precisa ser refeita todos os dias. Não podemos acionar o piloto automático e simplesmente seguir. Precisamos dar e receber atenção.
     Mesmo que façamos tudo certo, às vezes a relação acaba. E não é por falta de algo. Simplesmente acaba porque seguiu o seu ciclo. O amor entre duas pessoas pode ser para sempre, mas também pode não ser. E é simples assim. É difícil entender. Mas este é o ciclo básico da vida que nos cerca e com o amor não seria diferente. Nascemos, vivemos e morremos. Como as relações afetivas que começam, são vividas intensamente ou não e acabam.
     André e Bárbara viveram o ciclo do seu amor. Eu estou vivendo o meu, você pode estar vivendo o seu. Sempre esperamos que o nosso ciclo de amor será diferente. Lutemos por isso, mas se um dia nos depararmos com o final não nos desesperemos, na próxima esquina poderemos encontrar um novo amor ou não. Este é o mistério da vida.

Ps. Neste texto faço uma citação para uma cidade que gosto muito, mas tem que ter muito atenção para descobrir a cidade e como se dá esta citação. Quem descobrir coloca nos comentários e explica como se dá esta citação. Mas duvido que alguém descubra. Entretanto, tudo é possível.


Trilha sonora
No Woman, No Cry Bob - Marley & The Wailers - Rolling Stone Magazine's 500 Greatest Songs Of All Time
Landlord - The Police - Message in a Box
That's All Right - Elvis Presley - Rolling Stone Magazine's 500 Greatest Songs Of All Time
A Kind of Loving - The Police - Message in a Box
Pale Clouded White - Cocteau Twins - Stars & Topsoil: A Collection (1982-1990)
Surrender - U2 - War
Heavy Horses - Jethro Tull - Heavy Horses
For Your Precious Love - Jerry Butler & The Impressions - Rolling Stone Magazine's 500 Greatest 
ongs Of All Time
Yellow - Coldplay - Trouble Norvegian Live2001
Mannish Boy - Muddy Waters - Rolling Stone Magazine's 500 Greatest Songs Of All Time
Let Me Sleep Beside You (Previously Unreleased Stereo Mix) - David Bowie - David Bowie (Deluxe Edition)
Trouble - Coldplay - Singles
School - Supertramp - Orpheum Theatre, 1976-03-05 Boston, MA
Maybe I'm Amazed - Paul McCartney - Rolling Stone Magazine's 500 Greatest Songs Of All Time
Your Love (Once Upon A Time In The West) - Dulce Pontes & Ennio Morricone - Focus
Mr Magic (Through The Smoke) (Janice Long Session) - Amy Winehouse - Frank


Comentários

  1. Dr.
    Esse casal já poderia utilizar o sistema do divórcio direto no cartório, com isso ajudaria a desafogar o Poder Judiciário.
    Além disto, ficou muito mais "fácil" partirmos para o nosso novo amor.

    ResponderExcluir
  2. Olá Leandro,

    tudo bem ctg?

    Minha intuição captou de cara a tua citação, embora eu tenha levado um bom tempo para desvendá-la.
    Corrija-me se estiver errado.

    Ao colocar o numero do processo 0001614-55.2009.8.21.0106

    Chamou-me a atenção o 55, código de DDD da cidade de Iraí, que sei que vc gostava muito.

    Também me despertou interesse a data 2009.8.21 que me parecia aproximadamente o ano que vc foi embora daqui. Pesquisei em muitos lugares para descobrir o motivo desta data exata, mas não achei. Pouco depois vi isso aqui no seu blog:

    "17 de agosto de 2009
    O amanhã chegou.
    Estranho quando o amanhã chega... meu último post foi elaborado no dia 31 de julho, estava em Garibaldi. Iria escrever mais sobre aquela cidade, mas os acontecimentos não me permitiram completar os sentimentos vividos lá. Talvez seja porque estou num processo de mudança relativamente doloroso... Muitas mudanças num mesmo período, o que de uma forma ou de outra mexe como meu emocional.
    Hoje estou providenciando a mudança de apartamento, saindo de Iraí e indo para Caxias do Sul, mas eu somente me mudo no dia 05 de setembro. Estão indo as coisas materiais.
    O que sinto neste momento é um sentimento não muito claro, muitas coisas misturadas. Mas o que prepondera é um imenso vazio, uma tristeza. Os amigos que aqui fiz me farão falta. Os rios de Iraí me farão falta, sentirei falta de tudo que diz respeito a Iraí.
    Quando vim para cá foi o início de uma nova fase da minha vida, tinha convicção de que ficaria muito tempo por aqui, mas a vida deu mais uma reviravolta. Agora estou prestes a iniciar uma nova caminhada, está sendo bem mais difícil sair de Iraí do que foi sair de Porto Alegre.
    Como encarar esta despedida? Como começar esta nova fase? Não sei, somente o tempo me mostrará, mas tenho certeza que sentirei falta de Iraí, sentirei falta desta vida repleta de momentos inesquecíveis... Não quero me fechar à novidade que está por vir, mas não tem como não sentir este aperto no coração. O tempo curará esta dor dilacerante.
    Claro que nem tudo é tristeza, dentro de mim também há uma parcela de alegria por ir para um lugar muito legal, por viver esta nova experiência de vida. Quem me conhece sabe que meu maior sonho era viver na serra gaúcha. Estou realizando este sonho muito antes do que eu poderia imaginar, por isso, e somente por isso minha dor é de uma forma ou outra amaciada... Quero viver esta mudança de vida na totalidade das suas emoções, quero aqui retratar o que viverei, portanto, novos capítulos desta história da vida real surgirão... até breve..."


    A data do processo é muito próxima a esta postagem e como na época vc vivia esta mudança intensamente, imaginei que necessariamente teria a ver com sua mudança.

    É possível que mais numeros tenham relação com sua estada aqui em Iraí (talvez numero de apartamento, telefone ou algo desse genero), mas confesso que já esgotei meu faro de detetive, hehe.

    Estou curioso para saber se desvendei a charada. Gostei muito deste enigma, hehe.


    Aliás, provavelmente eu esteja indo para Caxias no feriado de 20 de setembro e quero ver se a gente se encontra por lá.

    Abração para vc e para a Raquel.

    Eduardo Aita - Iraí
    e-mail: dudaaita@yahoo.com.br

    ResponderExcluir
  3. O grande mito do amor romântico é a causa de todas as desilusões amorosas. O estabelecimento de um casal que vive sempre junto destrói a identidade individual de cada um e cria uma grande confusão. Somos empurrados a isso desde que nascemos como se existesse um grande complô para sermos infelizes e para garantir clientela dos médicos e terapeutas da emoção. As esperanças de felicidade não podem ser depositadas em outra pessoa.

    ResponderExcluir
  4. Leandro!
    Eu também sabia que tinha a ver com o número do processo, mas o Duda foi mais perspicaz, aliás, como sempre.
    E o Poder Judiciário com um talento desses, hein, Leandro? Desejo felicidades para vocês aí em Caxias, também adoro a serra gaúcha. É verdade que vcs moram perto do parque dos macaquinhos? Lugar bom de correr, sei que vc gosta muito...
    No mais, concordo com o comentarista anônimo aí em cima.
    Abraços,
    Ana

    ResponderExcluir
  5. Surpreendente. Simplesmente surpreendente. O Eduardo formulou uma bela pesquisa. E encontrou duas pistas deixadas por mim. Primeiramente, foi em 2009 que deixei a cidade que fiz a citação. O digito verificador do processo, de forma indireta, também faz menção. Mas a grande citação ainda continua escondida, ainda, não foi revelada. Não sei se revelo, mas tem relação com o número do processo. Para se chegar a resposta tem que haver uma certa pesquisa ou então ser um operador do direito e acostumado com uma inovação. Deixo uma dica a mais. Tem relação com um Conselho Nacional... Uma criação deste conselho. Mas o Eduardo encontrou duas dicas no número do processo. Realmente a cidade é Iraí. Espero que vocês adivinhem onde esta esta revelação. Gostei da pesquisa feita pelo Eduardo. Surpreendente como chegou a descobrir as dicas escondidas neste texto.

    ResponderExcluir
  6. Ai, Leandro... quantos mistérios! hehe
    0001614-55.2009.8.21.0106 é um número do CNJ que agora consta em todos os processos, para fins de fiscalização do Conselho. Todos os processos tem 2 números: do sistema Themis e do CNJ. Só que este número aí é inválido e sempre remete à Comarca de Iraí. Está desvendado o mistério ou tem mais?? por favor acabe logo com isso! heheh
    abraço!!
    Ana

    ResponderExcluir
  7. "Uma história é capaz de iluminar nossa relação com os outros, de fortalecer nossa compaixão, de transformar o olhar com que contemplamos os nossos semelhantes, confirmando a crença de que estamos todos juntos na tarefa de viver." (Ruth Stotter)
    Ana

    ResponderExcluir
  8. Bom, vamos dar mais uns passos:

    "PPPPPPP-CI.AAAA.SCT.UNID
    O modelo acima é composto por letras que, além de representarem o significado do campo, indicam o número de dígitos utilizados na nova numeração.

    P:Sete dígitos e contém o real número do processo;
    CI:Dois dígitos que significam o dígito de integridade criado através de um algoritmo segundo a Norma ISO7064:2003;
    A:Quatro dígitos indicando o ano em que o processo foi iniciado;

    S: Um dígito indicando o segmento do Poder Judiciário:
    •Supremo Tribunal Federal: 1 ;
    •Conselho Nacional de Justiça: 2;
    •Superior Tribunal de Justiça: 3;
    •Justiça Federal: 4;
    •Justiça do Trabalho: 5;
    •Justiça Eleitoral: 6;
    •Justiça Militar da União: 7;
    •Justiça dos Estados e do Distrito Federal e Territórios: 8;
    •Justiça Militar Estadual: 9.

    CT=Dois dígitos indicando o código do Tribunal do respectivo segmento do Poder Judiciário:
    •STF, CNJ, STJ, TST, TSE e STM: 00;
    •Conselho da Justiça Federal e do Conselho Superior da Justiça do Trabalho: 90 (noventa);
    •Tribunais Regionais Federais: 01 a 05, observadas as respectivas regiões;
    •Tribunais Regionais do Trabalho: 01 a 24, observadas as respectivas regiões;
    •Tribunais Regionais Eleitorais: 01 a 27, observados os Estados da Federação, em ordem alfabética;
    •Circunscrições Judiciárias Militares: 01 a 12, observada a subdivisão vigente;
    •Tribunais de Justiça Estaduais: 01 a 27, observados os Estados da Federação e o Distrito Federal, em ordem alfabética;
    •Tribunais Militares dos Estados: Minas Gerais (13), Rio Grande do Sul (21) e São Paulo (26).

    UNID=Quatro dígitos indicando a unidade física onde se encontra o processo, podendo ser de 0001 a 8999, abrangendo:"


    e aqui está:
    Iraí Foro de Iraí 0106
    Estado do Rio Grande do Sul 21
    Justiça estadual 8
    ano 2009
    ddd de Iraí 55


    Falta só descobrir o significado do número inicial que corresponde a um numero de processo q não sei se existe 0001614


    Estou certo?

    Eduardo

    ResponderExcluir
  9. É isto aí Eduardo. A homenagem que tentei fazer a Iraí é esta. Na composição do número deste processo coloquei que ele era originário de Iraí. E isto se revela pelo indicativo da comarca. O número 0106 é designativo da comarca de Iraí. Estava escondido a espera de ser revelado aqui. Obrigado por participarem desta brincadeira... Quanto ao número 0001614 não quer dizer nada, somente coloquei um número qualquer.

    ResponderExcluir
  10. Meu deus!! Eu não disse? Hahahahahahahah! O Eduardo é implacável...

    ResponderExcluir
  11. E o ciclo de mais um amor se encerra.....

    ResponderExcluir
  12. Puxa vida, mas em Iraí tem uma QUARTA VARA DE FAMILIA, e o fórum chama as audiências pelo sistema de som, mas é uma MEGALOPODE mesmo.

    ResponderExcluir
  13. Hahahahahahahaah! Vocês vão me matar de tanto rir!!!
    Iraí é um paraíso natural escondido no meio do mato, tem Vara única e a voz do estagiário(a) que faz o pregão das audiências ecoa no átrio do Fórum, que raramente está cheio desde que foi instalado o sistema de gravação dos depoimentos... Mas claro que o Leandro, como um bom futurólogo, aliás como os mentores do novo prédio do Foro (que já está quase pronto), já está prevendo Iraí em 2050! heheheh Acho que tem lugar para umas 10 Varas no prédio novo, e certamente o pregão terá que ser pelo sistema de som... enquanto isso não acontece, vamos aproveitando os dois salões de festas do prédio!!! heheheh
    Ana

    ResponderExcluir
  14. Com o devido respeito aos que me antecederam neste
    comentário, o número 55 não é o DDD da cidade, mas sim, o DV (dígito verificador) do processo. O que identifica a cidade é o último grupo de números.

    Abraços a todos.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Interaja com Ledventure...

Postagens mais visitadas deste blog

Os conflitos de Lucas

- Hoje você me disse que tudo estava acabado. Mas estamos aqui neste motel.
     - Não retiro o que te disse. Estar aqui é mais uma prova que o nosso amor acabou e que o único lugar onde ele ainda pulsa é aqui. O que é uma pena.
     - Mas ainda tem um lugar onde somos felizes.
     - Tu acha que felicidade é isso que vivemos? Se tu acha que isto aqui é felicidade, tenho que te dizer que você nunca foi feliz...
     - Eu aqui nos teus braços sou a mulher mais feliz deste mundo e isto é felicidade para mim.
     - Pois eu queria algo mais.
     - Lucas, tu é o primeiro homem que me diz isso, talvez por isso você seja tão especial.
     - Não sou especial, apenas quero ser feliz e formar uma família. Só isso, será que é pedir demais?
     - Com certeza para uma mulher como eu é pedir demais... Nem meu nome tu sabe. Só meu nome de guerra.
     - Como assim, tu não se chama Sharon?
     - Claro que não. Meu nome é comum e não combina com o que faço.
     - Então se revele, pelo menos…

"Como fazer sexo"

O Google a cada ano nos revela as trends, em nosso amado português podemos traduzi-lo como tendências. Ou no português mais nosso ainda são os termos mais pesquisados no ano. É interessante dar uma olhada para vermos como somos fúteis. No Brasil para se ter uma ideia o termo mais pesquisado foi o BBB13. Estamos reduzidos a quase nada. Ou um nada completo.
     Mas o que mais me chamou a atenção foi um o tal tópico de "Como fazer". São todas as pesquisas com tem como intenção descobrir como fazer determinada coisa e pasmem está em quarto lugar a pesquisa "como fazer sexo". Não acreditam, então acessem o link: Trends: Como fazer sexo. Fico imaginando a pessoa "googleando" antes daquela noite (manhã ou tarde) de sexo. "Já sei como fazer, mas quero dar uma recordada, hoje promete e não quero decepcionar". É o fim da várzea.
      Eu sei que o google faz parte da nossa vida, não nos vemos sem esta ferramenta dos tempos modernos, mas pesquisar c…

Vida em anacruse

Já escrevi vários inícios. Muitos refeitos ou deletados.
     Tentativas vãs. Ou melhor, tentativas desfeitas, mas não vãs, pois todas, absolutamente todas me ensinaram alguma coisa. Na verdade pouco importa, porque a cada início tudo se repete. Queria que fosse diferente. Talvez como a música que está tocando. Follow Me do disco Imaginary Day do Pat Metheny  é a música perfeita para retratar o que quero dizer. Esta música já inicia no meio de um compasso, o que recebe o nome de anacruse, acho que é este o nome.
     A vida poderia ser uma grande anacruse. Explico. Primeiramente tenho que tentar definir anacruse como a ausência de tempos no primeiro compasso de uma melodia. Não sou músico, por isso defino a anacruse de forma tão simplória e tosca. O que quero dizer com esta figura de linguagem é que seria mais fácil se a vida fosse em anacruse, ou seja, quando menos esperássemos já estaríamos vivendo, sem nenhum subterfúgio ou intróito. Não prepararíamos nada. Não desperdiçaríamo…