Pular para o conteúdo principal

O homem que não gostava de chocolate

     - Não, obrigado. Não gosto de chocolate.
     - Como assim? Não gosta de chocolate! Todo mundo gosta de chocolate.
     - Pois é, mas eu não gosto.
     Carlos Eduardo já não suportava mais. Era sempre assim ou o chamavam de louco ou de doente, quando não o adjetivavam de outras formas... Sempre era excluído dos grupos sociais por não gostar de chocolate. A última passagem foi marcante.
     Estava num longo período "single". Para falar  a verdade fazia cinco anos que estava sem namorada, nem um beijinho tinha dado neste período. Então, numa festa do trabalho, um colega apresentou a irmã, Milene. Até o nome era bonito. Uma Deusa para dizer o mínimo. Foi  amor à primeira vista, pelo menos da parte do Carlos Eduardo. Ela foi um pouco refratária às suas investidas, mas Cadu sentiu que ela gostara dele.
     Trocaram telefones. E dias depois se encontraram. Eram um inverno rigoroso. Então Milene deu a ideia de irem num Fondue, pois ela conhecia um maravilhoso e era perto da sua casa. Carlos Eduardo pensou "Vamos no tal Fondue e depois damos uma esticadinha no apartamento da Milene." Ledo engano. Ao chegarem no Fondue Brasil sentaram numa mesa isolada. Tudo transcorrendo na maior alegria. Pediram um vinho e foram escolher o Fondue. Carlos Eduardo começou a suar frio, só tinha Fondue de CHOCOLATE. As mais variadas combinações, mas todas com chocolate, branco, meio amargo, amargo, só chocolate. Agora ele estava ferrado. Perdeu a chance da sua vida. Ele não podia comer nada com chocolate, afinal, detestava este subproduto do cacau...
     - Milene. Eu tenho que te dizer algo. Nem sei como começar.
     - Não vai me dizer que tu é viado? Eu tenho uma liga para atrair viados na minha vida...
     - Não. Nada disso. Eu tenho um gosto meio estranho...
     - Então já sei, tu tem umas taras. Nem me fala então, sou moça direita.
     - Espera, deixa eu falar. Eu fico constrangido. Mas vou te falar. Nem sei por onde começar. Eu não gosto de chocolate. Pronto falei.
     - Tu é louco. Só doido para não gostar de chocolate.
     - Mas é isso, não gosto nem de sentir o aroma de cacau que me embrulha o estômago.
     - Olha Cadu. Não me leve a mal. Mas não entendo alguém que não goste de chocolate, ainda mais numa Restaurante que só serve chocolate. Eu tinha planos maravilhosos para hoje à noite.
     - Como assim, tinha. Não tem mais?
     - Não tem mais clima... É uma pena, mas acho que vou para casa.
     - Quem sabe vou junto e tentamos reativar o clima?
     - Cadu, eu perdi o tesão... é uma pena.
     E os dois saíram do tal Fondue Brasil, indo cada uma para um lado. E deixaram de se falar.
     Esta passagem foi mais uma entre tantas. Cadu se sentia meio ET. Todos seus amigos tiravam sarro dele. E agora era motivo de chacota, pois saiu com uma Deusa e foi dispensado porque não gostava de chocolate.
     Tomou uma atitude. Resolveu consultar um psicólogo. O nome era estranho, mas muitas pessoas recomendava o trabalho dele. Dr. Magayver Silva. Todo mundo diz que o cara é fera na psicologia.
      No dia da consulta foi ansioso para o consultório do Dr. Magayver. Na antessala do consultório sua atenção foi despertada, havia muitos pôsteres do ator que fazia o personagem da série  Profissão Perigo. Aquilo não parecia muito normal. A música de fundo era a mesma do tal seriado. Mas o Doutor era recomendado por muitas pessoas. Resolveu continuar esperando, mas não deixou de pensar "cheguei no fundo do poço".
      Mais ou menos dez minutos depois foi chamado. Sua consulta iria começar.
      Ao entrar no consultório foi recebido por uma rapaz, não conseguiu identificar a idade, mas era um jovem:
     - Boa tarde. Vamos começar a sessão. O senhor pode se acomodar no divã como for do seu gosto.
     Cadu deitou-se no divã, era seu sonho deitar no divã e falar das suas neuras.
     - Dr. Nem sei por onde começar.
     - Não se preocupe, vamos conversar somente isso.
     Cadu pensou "que conversa cara", mas não verbalizou este pensamento.
     - Meu problema é muito sério, minha vida está está sendo afetada por este problema que eu pensava ser ínfimo, mas hoje vejo que é um problemão.
     - Se você se sentir à vontade pode falar sobre este fato que lhe incomoda.
     - Não sei se consigo, ainda está muito dolorido... Mas eu tenho que enfrentar isso. Eu não gosto de .chocolate.
     O dr. Magayver quase gritou louco, doido. Mas lembrou da suas aulas na faculdade. E foi profissional.
     - Fale mais sobre isso.
     - Não tenho mais nada para falar, simplesmente não gosto de chocolate e este fato está pertubando a minha vida. E contou sobre o ocorrido com a Milene.
     Muitas consultas depois aconteceu a revelação da causa da aversão por chocolate por parte do Cadu, do nada saiu a seguinte revelação:
     - Dr. Magayver, estes dias os senhor me perguntou se tinha vivido uma experiência traumatizante com chocolates. Na hora respondi que não, mas ao chegar em casa me lembrei de uma Páscoa que minha família passou no interior do Rio Grande do Sul e naquela Páscoa não recebi nenhum ninho, nada, nenhuma lembrancinha. E diante da casa chorei muito e talvez ali tenha surgido esta aversão por chocolate.
     - Só pode estar aí o seu trauma, acho que chegamos à causa do seu problema. Vamos fazer uma pequena experiência, tenta comer este pedaço de chocolate.
     - Não sei não.
     - Cadu, só enfrentando este medo que tu superará o problema.
     E no mesmo instante começou a comer aquele pedaço de chocolate. No começo com um certo cuidado, depois foi se soltando e só parou de comer quando esvaziou toda a caixa. A partir daquele dia tornou-se um chocólatra e não passa um dia sem comer um bom pedaço de chocolate.
    Dias depois desta revelação Cadu ligou para Milene e a convidou para jantar. Para surpresa de Milene, Cadu propôs que jantasse no Fondue Brasil. Apreciaram um belo Fondue de chocolate e depois deram uma esticadinha no apartamento de Milene. A partir daquele jantar não se largaram mais, e já estão pensando em casamento, afinal, formam um casal que adora chocolate. E isto tudo devem ao Dr. Magayver...


Trilha sonora:
Start Me Up - The Rolling Stones - Live Licks
Longe De Você - Vitor Ramil - Longes
Paint It, Black - The Rolling Stones Rolling - Stone Magazine's 500 Greatest Songs Of All Time
LaBelle - Lady Marmalade - Rock 70´s
That's All Right - Elvis Presley - Rolling Stone Magazine's 500 Greatest Songs Of All Time
Sledgehammer - Bachman-Turner Overdrive - Not Fragile
Tiny Dancer - Elton John - Greatest Hits 1970-2002 (Disc 1)
Nada Personal (Remix) - Soda Stereo - Zona De Promesas (Mixes 1984-1993)
Whatever You Want - Status Quo - Rock 70´s
Who's Driving Your Plane? - The Rolling Stones - Singles Collection - The London Years (Disc 2)
I'm So Lonesome I Could Cry - Hank Williams - Rolling Stone Magazine's 500 Greatest Songs Of All Time
The Who - Baba O'Riley - Rock 70´s
The Whistler - Jethro Tull - Songs From the Wood
Midwestern Nights Dream - Pat Metheny - Bright Size Life
Alone Again Or Love - Rolling Stone - Magazine's 500 Greatest Songs Of All Time
Many Rivers To Cross - Jimmy Cliff - Rolling Stone Magazine's 500 Greatest Songs Of All Time
Numb (New Mix) - U2 - The Best Of 1990-2000
Dire Straits - Down To The Waterline - Rock 70´s
We Will Rock You - Queen - Rock 70´s
Hold Back The Water - Bachman-Turner Overdrive - The Collection

Comentários

Postar um comentário

Interaja com Ledventure...

Postagens mais visitadas deste blog

Os conflitos de Lucas

- Hoje você me disse que tudo estava acabado. Mas estamos aqui neste motel.
     - Não retiro o que te disse. Estar aqui é mais uma prova que o nosso amor acabou e que o único lugar onde ele ainda pulsa é aqui. O que é uma pena.
     - Mas ainda tem um lugar onde somos felizes.
     - Tu acha que felicidade é isso que vivemos? Se tu acha que isto aqui é felicidade, tenho que te dizer que você nunca foi feliz...
     - Eu aqui nos teus braços sou a mulher mais feliz deste mundo e isto é felicidade para mim.
     - Pois eu queria algo mais.
     - Lucas, tu é o primeiro homem que me diz isso, talvez por isso você seja tão especial.
     - Não sou especial, apenas quero ser feliz e formar uma família. Só isso, será que é pedir demais?
     - Com certeza para uma mulher como eu é pedir demais... Nem meu nome tu sabe. Só meu nome de guerra.
     - Como assim, tu não se chama Sharon?
     - Claro que não. Meu nome é comum e não combina com o que faço.
     - Então se revele, pelo menos…

"Como fazer sexo"

O Google a cada ano nos revela as trends, em nosso amado português podemos traduzi-lo como tendências. Ou no português mais nosso ainda são os termos mais pesquisados no ano. É interessante dar uma olhada para vermos como somos fúteis. No Brasil para se ter uma ideia o termo mais pesquisado foi o BBB13. Estamos reduzidos a quase nada. Ou um nada completo.
     Mas o que mais me chamou a atenção foi um o tal tópico de "Como fazer". São todas as pesquisas com tem como intenção descobrir como fazer determinada coisa e pasmem está em quarto lugar a pesquisa "como fazer sexo". Não acreditam, então acessem o link: Trends: Como fazer sexo. Fico imaginando a pessoa "googleando" antes daquela noite (manhã ou tarde) de sexo. "Já sei como fazer, mas quero dar uma recordada, hoje promete e não quero decepcionar". É o fim da várzea.
      Eu sei que o google faz parte da nossa vida, não nos vemos sem esta ferramenta dos tempos modernos, mas pesquisar c…

Vida em anacruse

Já escrevi vários inícios. Muitos refeitos ou deletados.
     Tentativas vãs. Ou melhor, tentativas desfeitas, mas não vãs, pois todas, absolutamente todas me ensinaram alguma coisa. Na verdade pouco importa, porque a cada início tudo se repete. Queria que fosse diferente. Talvez como a música que está tocando. Follow Me do disco Imaginary Day do Pat Metheny  é a música perfeita para retratar o que quero dizer. Esta música já inicia no meio de um compasso, o que recebe o nome de anacruse, acho que é este o nome.
     A vida poderia ser uma grande anacruse. Explico. Primeiramente tenho que tentar definir anacruse como a ausência de tempos no primeiro compasso de uma melodia. Não sou músico, por isso defino a anacruse de forma tão simplória e tosca. O que quero dizer com esta figura de linguagem é que seria mais fácil se a vida fosse em anacruse, ou seja, quando menos esperássemos já estaríamos vivendo, sem nenhum subterfúgio ou intróito. Não prepararíamos nada. Não desperdiçaríamo…