Pular para o conteúdo principal

Amizade Vira-lata

     Hoje indo para o trabalho vi uma cena comum às cidades grandes, mas que mexeu comigo.
     Vinha um papeleiro puxando seu carrinho repleto de papelão e outros objetos. Mas o que me chamou a atenção era um grupo de cachorros que o acompanhava. Tenho certeza que aquele homem não tinha nada a oferecer à matilha, a não ser amor e companheirismo.
     Aqueles cachorros são o retrato do que nós desejamos para nossas vidas. Amigos fiéis, amigos que nos acompanhem aconteça o que acontecer, mesmo que não tenhamos muito coisa a oferecer. Eu tenho certeza que conquistei alguns amigos vira-latas. Não são muitos, para dizer a verdade são dois, vivem em cidades diferentes da minha, mas somos como uma matilha. Claro que no decorrer da vida tive amigos fiéis, mas que por contingências da vida se afastaram, tomaram rumos diferentes, mas também podem ser considerados amigos.
     No mundo de hoje é cada vez mais difícil conquistarmos amigos deste naipe. Por quê?  Não sei, mas tenho a impressão que a vida competitiva nos afasta dos nossos semelhantes, nos transformamos em fortalezas isoladas no alto de um morro, protegidos não sei de que.
     Não sei onde iremos parar com atitudes tão isolacionistas, vivemos com medo de tudo, medo até de termos amigos. A cultura do medo está a nossa volta e tenho impressão que é estimulada pelos meios de comunicação. Estando isolados e com medo é mais fácil sermos comandados e fazermos o que os donos do poder querem. Mas isto é uma outra história. Aliás, faz parte desta história. Cada vez temos menos amigos sinceros, menos pessoas em quem podemos acreditar. Parece um tanto quanto soturno, mas é assim mesmo, temos muitos conhecidos mas pouquíssimos amigos. Não é um problema individual, mas sim uma conjuntura dos tempos modernos. Tenho convicção disto. Nossos filhos, ficam cada vez mais isolados em nossas residências, não há a interação que havia em outras gerações.  Não quero cair naquele saudosismo rastaquera de dizer que no passado tudo era melhor. Mas, neste caso específico, penso que o convívio das pessoas era mais intenso, éramos mais sinceros em nossos sentimentos. Começa aí a explicação para a falta de amigos.
     Este texto tem a finalidade de exaltar os amigos vira-latas de todos nós, são poucos, mas são aqueles que nos acompanham pela vida, até mesmo se estivermos puxando um carrinho, sem destino certo... obrigado amigos vira-latas e espero ser um amigo vira-latas de vocês.

Trilha Sonora
Thank God I'm A Country Boy - John Denver - Rock 70´s
Armando Albuquerque No Laboratorio - Vitor Ramil - A Paixao De V Segundo Ele Proprio
One Way Or Another - Blondie - Rolling Stone Magazine's 500 Greatest Songs Of All Time
Cheap Day Return - Jethro Tull - AqualungYes - I've Seen All Good People - Rock 70´s
Ferry Cross the Mersey - Pat Metheny - One Quiet Night
Pipeline - Alan Parsons Project, The - The Ultimate Collection (Disc 2)
Lost! - Coldplay - Viva La Vida or Death And All His Friends
Tundra - Jethro Tull - Under Wraps
Raspberry - Jam Delta-V - Joe Satriani - Crystal Planet

Comentários

  1. Li o texto por indicação do Prévidi (tá podendo, hein?)!! Ficou muito bom mesmo!!
    Abraço, Luciana

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Interaja com Ledventure...

Postagens mais visitadas deste blog

Os conflitos de Lucas

- Hoje você me disse que tudo estava acabado. Mas estamos aqui neste motel.
     - Não retiro o que te disse. Estar aqui é mais uma prova que o nosso amor acabou e que o único lugar onde ele ainda pulsa é aqui. O que é uma pena.
     - Mas ainda tem um lugar onde somos felizes.
     - Tu acha que felicidade é isso que vivemos? Se tu acha que isto aqui é felicidade, tenho que te dizer que você nunca foi feliz...
     - Eu aqui nos teus braços sou a mulher mais feliz deste mundo e isto é felicidade para mim.
     - Pois eu queria algo mais.
     - Lucas, tu é o primeiro homem que me diz isso, talvez por isso você seja tão especial.
     - Não sou especial, apenas quero ser feliz e formar uma família. Só isso, será que é pedir demais?
     - Com certeza para uma mulher como eu é pedir demais... Nem meu nome tu sabe. Só meu nome de guerra.
     - Como assim, tu não se chama Sharon?
     - Claro que não. Meu nome é comum e não combina com o que faço.
     - Então se revele, pelo menos…

"Como fazer sexo"

O Google a cada ano nos revela as trends, em nosso amado português podemos traduzi-lo como tendências. Ou no português mais nosso ainda são os termos mais pesquisados no ano. É interessante dar uma olhada para vermos como somos fúteis. No Brasil para se ter uma ideia o termo mais pesquisado foi o BBB13. Estamos reduzidos a quase nada. Ou um nada completo.
     Mas o que mais me chamou a atenção foi um o tal tópico de "Como fazer". São todas as pesquisas com tem como intenção descobrir como fazer determinada coisa e pasmem está em quarto lugar a pesquisa "como fazer sexo". Não acreditam, então acessem o link: Trends: Como fazer sexo. Fico imaginando a pessoa "googleando" antes daquela noite (manhã ou tarde) de sexo. "Já sei como fazer, mas quero dar uma recordada, hoje promete e não quero decepcionar". É o fim da várzea.
      Eu sei que o google faz parte da nossa vida, não nos vemos sem esta ferramenta dos tempos modernos, mas pesquisar c…

Vida em anacruse

Já escrevi vários inícios. Muitos refeitos ou deletados.
     Tentativas vãs. Ou melhor, tentativas desfeitas, mas não vãs, pois todas, absolutamente todas me ensinaram alguma coisa. Na verdade pouco importa, porque a cada início tudo se repete. Queria que fosse diferente. Talvez como a música que está tocando. Follow Me do disco Imaginary Day do Pat Metheny  é a música perfeita para retratar o que quero dizer. Esta música já inicia no meio de um compasso, o que recebe o nome de anacruse, acho que é este o nome.
     A vida poderia ser uma grande anacruse. Explico. Primeiramente tenho que tentar definir anacruse como a ausência de tempos no primeiro compasso de uma melodia. Não sou músico, por isso defino a anacruse de forma tão simplória e tosca. O que quero dizer com esta figura de linguagem é que seria mais fácil se a vida fosse em anacruse, ou seja, quando menos esperássemos já estaríamos vivendo, sem nenhum subterfúgio ou intróito. Não prepararíamos nada. Não desperdiçaríamo…