Pular para o conteúdo principal

Troca de turno

     Mariana e Otávio se casaram fazia pouco tempo.
     Como estavam começando uma vida nova, muitos gastos surgiam diariamente. Reforma da casa, compra de móveis, enxoval, enfim, tudo que um casal em início de vida em comum tem.
     Otávio já trabalhava numa grande metalúrgica da cidade. O turno era o da noite, um dos mais difíceis. Um trabalho pesado  Mas ele desempenha suas tarefas sem reclamar, afinal,  agora era o esteio da família.
     Mas as coisas não estavam fáceis para este casal. O parco salário de Otávio terminava e o mês teimava em continuar.  Num domingo durante o almoço Mariana perguntou:
     - Amorzinho, tu não se importa se eu arranjar um emprego?
     - Benzinho, eu prefiro que tu fique em casa, cuidando de tudo aqui. Afinal sou o homem da casa.
     - Amorzinho, estamos muito apertados de grana. Está difícil assim.
     Otávio não queria dar o braço a torcer, mas no íntimo sabia que Mariana tinha razão. Então, muito a contragosto concordou com a proposta da esposa. 
     Na segunda, enquanto Otávio estava dormindo, afinal trabalhara a noite inteira, ela foi procurar emprego. Rodou a cidade inteira, largou currículos, fez entrevistas durante toda a semana, mas nada de surgir algum emprego. Se foi a semana, passou o mês e nada de surgir uma oportunidade para ela.
     Entre eles estava surgindo um pesadelo, até hoje ela não foi até a metalúrgica onde Otávio trabalhava, pois lá o emprego era certo, mas tinha um incoveniente, o trabalho era duro. Duríssimo. Mais um mês passou e nada de surgir uma vaga para a Mariana. Então não sobrou alternativa, Mariana foi à metalúrgica e já saiu empregada. Mas foi com tristeza que deu a notícia a Otávio. Os dois sabiam que a vida iria melhorar no sentido financeiro, mas não teriam mais uma vida de casal.
     De fato foi o que aconteceu.
     Eles se encontram somente na portaria da metalúrgica. Ele saindo do seu turno de trabalho e ela entrando. Falam de algumas coisas da casa, tais como compra do gás, pagamento de alguma conta, se beijavam e se desencontram novamente. Esta é a vida deles. Não sei se é vida, mas é o que a vida proporcionou a este casal, assim como muitos outros deste Brasil afora.
     Poderia dizer que é o mesmo que acontece com o Brasil. É verdade que o país está mais rico, mas a vida não melhorou, aliás, em alguns aspectos piorou muito. Não adianta o Brasil ter  um produto interno de um pais rico, se não tivermos qualidade de vida, se não houver a oportunidade de compartilharmos o que estamos adquirindo. Não adianta o país crescer se este crescimento não se reflete na população e na vida diária de todos nós. Um antigo ministro da economia dizia "É preciso fazer o bolo crescer para depois reparti-lo". O bolo cresceu, mas a repartição não foi feita. Enquanto isso Mariana e Otávio se encontram na portaria da metalúrgica, e já fazem planos para um filho, só não sabem como, já que na portaria não é possível...

Trilha sonora:

Politik (Live) - Coldplay -  Singles
Ride Like the Wind - Christopher Cross - Christopher Cross
Second Hand - Bachman-Turner Overdrive - Not Fragile
Show Me the Way - Peter Frampton - Rock 70´s
Stagger Lee - Lloyd Price - Rolling Stone Magazine's 500 Greatest Songs Of All Time
The Other Way of Stopping - The Police - Message in a Box
Point Me At The Sky - Pink Floyd - The Pink Floyd Early Singles
Live And Let Die - Guns N' Roses - Use Your Illusion I
Things I Don't Understand - Coldplay - Singles
Look My Way - Joe Satriani - Joe Satriani
All the Young Dudes - Mott the Hoople - Rock 70´s
Twilight - U2 - Boy (2008 Bonus CD)

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Os conflitos de Lucas

- Hoje você me disse que tudo estava acabado. Mas estamos aqui neste motel.
     - Não retiro o que te disse. Estar aqui é mais uma prova que o nosso amor acabou e que o único lugar onde ele ainda pulsa é aqui. O que é uma pena.
     - Mas ainda tem um lugar onde somos felizes.
     - Tu acha que felicidade é isso que vivemos? Se tu acha que isto aqui é felicidade, tenho que te dizer que você nunca foi feliz...
     - Eu aqui nos teus braços sou a mulher mais feliz deste mundo e isto é felicidade para mim.
     - Pois eu queria algo mais.
     - Lucas, tu é o primeiro homem que me diz isso, talvez por isso você seja tão especial.
     - Não sou especial, apenas quero ser feliz e formar uma família. Só isso, será que é pedir demais?
     - Com certeza para uma mulher como eu é pedir demais... Nem meu nome tu sabe. Só meu nome de guerra.
     - Como assim, tu não se chama Sharon?
     - Claro que não. Meu nome é comum e não combina com o que faço.
     - Então se revele, pelo menos…

"Como fazer sexo"

O Google a cada ano nos revela as trends, em nosso amado português podemos traduzi-lo como tendências. Ou no português mais nosso ainda são os termos mais pesquisados no ano. É interessante dar uma olhada para vermos como somos fúteis. No Brasil para se ter uma ideia o termo mais pesquisado foi o BBB13. Estamos reduzidos a quase nada. Ou um nada completo.
     Mas o que mais me chamou a atenção foi um o tal tópico de "Como fazer". São todas as pesquisas com tem como intenção descobrir como fazer determinada coisa e pasmem está em quarto lugar a pesquisa "como fazer sexo". Não acreditam, então acessem o link: Trends: Como fazer sexo. Fico imaginando a pessoa "googleando" antes daquela noite (manhã ou tarde) de sexo. "Já sei como fazer, mas quero dar uma recordada, hoje promete e não quero decepcionar". É o fim da várzea.
      Eu sei que o google faz parte da nossa vida, não nos vemos sem esta ferramenta dos tempos modernos, mas pesquisar c…

Vida em anacruse

Já escrevi vários inícios. Muitos refeitos ou deletados.
     Tentativas vãs. Ou melhor, tentativas desfeitas, mas não vãs, pois todas, absolutamente todas me ensinaram alguma coisa. Na verdade pouco importa, porque a cada início tudo se repete. Queria que fosse diferente. Talvez como a música que está tocando. Follow Me do disco Imaginary Day do Pat Metheny  é a música perfeita para retratar o que quero dizer. Esta música já inicia no meio de um compasso, o que recebe o nome de anacruse, acho que é este o nome.
     A vida poderia ser uma grande anacruse. Explico. Primeiramente tenho que tentar definir anacruse como a ausência de tempos no primeiro compasso de uma melodia. Não sou músico, por isso defino a anacruse de forma tão simplória e tosca. O que quero dizer com esta figura de linguagem é que seria mais fácil se a vida fosse em anacruse, ou seja, quando menos esperássemos já estaríamos vivendo, sem nenhum subterfúgio ou intróito. Não prepararíamos nada. Não desperdiçaríamo…