Pular para o conteúdo principal

Quando o amanhã chegar

     Quando houver amanhã.
     Tudo será diferente, pelo menos aos meus olhos. Olhos envelhecidos mas não adormecidos. Que por alguns momentos deixam de sonhar, mas nunca esquecem que o amanhã sempre chega.
     E quando o amanhã chega o que fazemos? Simplesmente o olhamos com os mesmos olhos, com as mesmas inseguranças. Não.
     Os erros experimentados pelo caminho devem nos ensinar. Ou serão apenas erros.
     Por que escrevo isso? Por que hoje me deu vontade de sentar e simplesmente escrever? Sinceramente, não sei. Hoje estou apenas escrevendo sem pensar muito, deixando fluir o que estou sentindo.
     Não sei o porquê. Não quero saber, quero somente escrever. Nem quero ser lido, quero apenas deixar as palavras tomarem forma, como acordes de uma música improvisada em cima de um palco na beirada de um Arco-iris.
      Se você está lendo este post. Pare por aqui. não continue lendo-o. Poderá ser envolto por estas letras sem sentido. Por este texto sem amanhã. Mas o amanhã sempre chega. E é bom que seja assim, mas às vezes somos tragados por esta rotina de sempre chegar o que esperamos, todos os dias, dia após dia.
      Mas a vida não é só isso, não pode e não deve. Hoje pela manhã, saindo de casa experimentei o meu nirvana. Como somos surpreendidos pela vida. Ao sair da garagem, fiz uma barberagem e o carro apagou. Logo o liguei de novo, mas foi diferente, tudo a minha volta não era mais a mesma coisa, tudo havia mudado, pelo menos aos meus olhos. Experimentava, sem aviso algum, mais uma dose de felicidade sem origem certa, sem sentido determinado, porquanto tudo estava sendo feito da mesma forma como sempre faço. No som do carro começava a tocar Blinded By Rainbows. Como de tempos em tempos vivenciamos certas experiências sem a mínima conexão com nossa vida cotidiana. Talvez estes momentos nos mantenham vivos, talvez sem eles não suportássemos a vida como ela é. O carro foi invadido por um solo de guitarra rascante que preencheu tudo a minha volta... Acelerei, cheguei na primeira esquina e ao olhar para os lado percebo que a vida estava da mesma forma que ontem. O amanhã chegara, mas a vida continuava a mesma. Mas eu já recebera a minha dose de felicidade, poderia continuar mais algum tempo, porque pouco ou quase nada a minha volta importava.
     À noite experimentarei mais uma dose de extrema felicidade, receberei amigos aqui em casa. E tenha certeza isto me faz feliz. O nirvana é formado por amigos que encontramos no meio desta jornada cercada por arco-iris, dias ensolarados ou nebulosos. Hoje é um dia daqueles que podemos definir como magnífico. Não sei o que é felicidade ou se em superdoses ela é deletéria, o que sei, é que hoje sou feliz, pouco importando se o amanhã chegar.

Trilha sonora
Love is a losing game - Amy Winehouse - Back to black
Streetheart - Under My Thumb - Rock 70´s
Gimme Shelter - The Rolling Stones - Live Licks
Blinded By Rainbows - The Rolling Stones - Voodoo Lounge

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Os conflitos de Lucas

- Hoje você me disse que tudo estava acabado. Mas estamos aqui neste motel.
     - Não retiro o que te disse. Estar aqui é mais uma prova que o nosso amor acabou e que o único lugar onde ele ainda pulsa é aqui. O que é uma pena.
     - Mas ainda tem um lugar onde somos felizes.
     - Tu acha que felicidade é isso que vivemos? Se tu acha que isto aqui é felicidade, tenho que te dizer que você nunca foi feliz...
     - Eu aqui nos teus braços sou a mulher mais feliz deste mundo e isto é felicidade para mim.
     - Pois eu queria algo mais.
     - Lucas, tu é o primeiro homem que me diz isso, talvez por isso você seja tão especial.
     - Não sou especial, apenas quero ser feliz e formar uma família. Só isso, será que é pedir demais?
     - Com certeza para uma mulher como eu é pedir demais... Nem meu nome tu sabe. Só meu nome de guerra.
     - Como assim, tu não se chama Sharon?
     - Claro que não. Meu nome é comum e não combina com o que faço.
     - Então se revele, pelo menos…

"Como fazer sexo"

O Google a cada ano nos revela as trends, em nosso amado português podemos traduzi-lo como tendências. Ou no português mais nosso ainda são os termos mais pesquisados no ano. É interessante dar uma olhada para vermos como somos fúteis. No Brasil para se ter uma ideia o termo mais pesquisado foi o BBB13. Estamos reduzidos a quase nada. Ou um nada completo.
     Mas o que mais me chamou a atenção foi um o tal tópico de "Como fazer". São todas as pesquisas com tem como intenção descobrir como fazer determinada coisa e pasmem está em quarto lugar a pesquisa "como fazer sexo". Não acreditam, então acessem o link: Trends: Como fazer sexo. Fico imaginando a pessoa "googleando" antes daquela noite (manhã ou tarde) de sexo. "Já sei como fazer, mas quero dar uma recordada, hoje promete e não quero decepcionar". É o fim da várzea.
      Eu sei que o google faz parte da nossa vida, não nos vemos sem esta ferramenta dos tempos modernos, mas pesquisar c…

Vida em anacruse

Já escrevi vários inícios. Muitos refeitos ou deletados.
     Tentativas vãs. Ou melhor, tentativas desfeitas, mas não vãs, pois todas, absolutamente todas me ensinaram alguma coisa. Na verdade pouco importa, porque a cada início tudo se repete. Queria que fosse diferente. Talvez como a música que está tocando. Follow Me do disco Imaginary Day do Pat Metheny  é a música perfeita para retratar o que quero dizer. Esta música já inicia no meio de um compasso, o que recebe o nome de anacruse, acho que é este o nome.
     A vida poderia ser uma grande anacruse. Explico. Primeiramente tenho que tentar definir anacruse como a ausência de tempos no primeiro compasso de uma melodia. Não sou músico, por isso defino a anacruse de forma tão simplória e tosca. O que quero dizer com esta figura de linguagem é que seria mais fácil se a vida fosse em anacruse, ou seja, quando menos esperássemos já estaríamos vivendo, sem nenhum subterfúgio ou intróito. Não prepararíamos nada. Não desperdiçaríamo…