Pular para o conteúdo principal

A chegada de uma mãe...

     Hoje fui esperar minha mãe, sempre é legal este reencontro mãe e filho. Mas ao esperá-la fiquei pensando em que eu poderia escrever hoje. De uns tempos para cá notei que fico com o olhar mais apurado para ver se encontro algo para escrever. Este blog me transformou numa pessoa mais observadora, e por vezes meus amigos e minha companheira de vida me dão dicas sobre o que escrever. Todos estão envolvidos nesta minha loucura diária. Fico feliz com este envolvimento das pessoas que gostam de mim.
     Nesta espera me veio à mente o trabalho dos colunistas de jornais que necessitam escrever colunas diárias, faça sol ou faça chuva e, ainda por cima, tem que ser interessante e agregar leitores. Uma tarefa prazerosa que é a escrita, por vezes, pode se transformar no maior dos martírios. Imagino estes cronistas em frente ao computador tendo que escrever algo interessante e que prenda a atenção do leitor. Admiro cada vez mais esta profissão de jornalista.
     Aqui neste blog, numa escala bem menor, às vezes passo pelos mesmos dilemas. A vida cotidiana é em muitos aspecto sem nenhum encanto. Por exemplo, hoje na rodoviária só aconteciam situações comuns, homens arrumando o piso da rodoviária, ônibus chegando e saindo ou pessoas com olhares distraídos, parecendo sem rumo. Mas tudo absolutamente comum. Eu com meus pensamentos, imaginando a tarefa do escritor de coluna de jornal. Quem me olhasse veria apenas mais um a espera de alguém. Mas minha cabeça ia longe. Talvez vivendo uma fantasia, quem sabe ali todos estivessem vivendo suas fantasias. Indo e vindo de seus sonhos e, por vezes, caindo na dura realidade da vida.
     O cronista de jornal passa diariamente o seu pesadelo. Ter que escrever sua coluna. O ser humano tem a capacidade de transformar coisas boas em processos terríveis.
     Ao encontrar minha mãe me senti acolhido, mesmo ela não entendendo, mas parecia que enfim tinha chegado a minha inspiração. Na minha infância sempre que eu precisava de ajuda ela estava lá, me dando apoio. Hoje senti o mesmo. Ao vê-la descendo do ônibus o seu sorriso foi como se dissesse, "filho, estou tendo uma ideia para o o texto de hoje no teu blog" e ao chegar perto de mim  disse apenas "como tu está bem, meu filho". Foi a maior injeção de ânimo. As mães são assim mesmo, sabem o que dizer e em que momento dizer. Continuei sem inspiração, mas muito mais feliz, afinal, estava bem...
     Por vezes nossas vidas são tão normais, não acontece nada que poderia ser retratado numa coluna ou blog, mas a vida é assim mesmo. Estes pequenos momentos de felicidade, como e encontro de mãe e filho, são as coisas mais comuns, mas como são importantes em nossas vidas. Podem não ser interessantes para um blog ou colunas diárias em jornais, mas é o que nos mantém vivos.
     Hoje apenas escrevi o que meu coração queria dizer. Obrigado mãe. E tu estava certa, estou muito bem hoje e o motivo é a tua chegada.

Trilha Sonora
No Necesito Verte (Para Saberlo) (Candombe Mix) - Soda Stereo - Rex Mix (EP)
I Threw A Brick Through A Window  - U2 - October (2008 Remaster)
Radio Free Moscow - Jethro Tull - Under Wraps
Television - Marquee Moon - Rock 70´s
Little Red Rooster - The Rolling Stones - Singles Collection - The London Years (Disc 1)
Might As Well Get Juiced - The Rolling Stones - Bridges To Babylon


Este texto foi produzido com intervenções da minha mãe, Dona Maria, do tipo: "Como está bonita a tua casa", "tu não quer nada?", "quem sabe aquele café batido que tu gosta?".

Comentários

  1. Sem duvida, o melhor texto do "brog". Todos que conseguii ler gostei muito, mas este em especial é o melhor de todos. Ler o texto, tomando o café batido da Dona Maria,com certeza não tem preço!
    Abraços a todos aí em Caxias! Márcio.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Interaja com Ledventure...

Postagens mais visitadas deste blog

Os conflitos de Lucas

- Hoje você me disse que tudo estava acabado. Mas estamos aqui neste motel.
     - Não retiro o que te disse. Estar aqui é mais uma prova que o nosso amor acabou e que o único lugar onde ele ainda pulsa é aqui. O que é uma pena.
     - Mas ainda tem um lugar onde somos felizes.
     - Tu acha que felicidade é isso que vivemos? Se tu acha que isto aqui é felicidade, tenho que te dizer que você nunca foi feliz...
     - Eu aqui nos teus braços sou a mulher mais feliz deste mundo e isto é felicidade para mim.
     - Pois eu queria algo mais.
     - Lucas, tu é o primeiro homem que me diz isso, talvez por isso você seja tão especial.
     - Não sou especial, apenas quero ser feliz e formar uma família. Só isso, será que é pedir demais?
     - Com certeza para uma mulher como eu é pedir demais... Nem meu nome tu sabe. Só meu nome de guerra.
     - Como assim, tu não se chama Sharon?
     - Claro que não. Meu nome é comum e não combina com o que faço.
     - Então se revele, pelo menos…

"Como fazer sexo"

O Google a cada ano nos revela as trends, em nosso amado português podemos traduzi-lo como tendências. Ou no português mais nosso ainda são os termos mais pesquisados no ano. É interessante dar uma olhada para vermos como somos fúteis. No Brasil para se ter uma ideia o termo mais pesquisado foi o BBB13. Estamos reduzidos a quase nada. Ou um nada completo.
     Mas o que mais me chamou a atenção foi um o tal tópico de "Como fazer". São todas as pesquisas com tem como intenção descobrir como fazer determinada coisa e pasmem está em quarto lugar a pesquisa "como fazer sexo". Não acreditam, então acessem o link: Trends: Como fazer sexo. Fico imaginando a pessoa "googleando" antes daquela noite (manhã ou tarde) de sexo. "Já sei como fazer, mas quero dar uma recordada, hoje promete e não quero decepcionar". É o fim da várzea.
      Eu sei que o google faz parte da nossa vida, não nos vemos sem esta ferramenta dos tempos modernos, mas pesquisar c…

Vida em anacruse

Já escrevi vários inícios. Muitos refeitos ou deletados.
     Tentativas vãs. Ou melhor, tentativas desfeitas, mas não vãs, pois todas, absolutamente todas me ensinaram alguma coisa. Na verdade pouco importa, porque a cada início tudo se repete. Queria que fosse diferente. Talvez como a música que está tocando. Follow Me do disco Imaginary Day do Pat Metheny  é a música perfeita para retratar o que quero dizer. Esta música já inicia no meio de um compasso, o que recebe o nome de anacruse, acho que é este o nome.
     A vida poderia ser uma grande anacruse. Explico. Primeiramente tenho que tentar definir anacruse como a ausência de tempos no primeiro compasso de uma melodia. Não sou músico, por isso defino a anacruse de forma tão simplória e tosca. O que quero dizer com esta figura de linguagem é que seria mais fácil se a vida fosse em anacruse, ou seja, quando menos esperássemos já estaríamos vivendo, sem nenhum subterfúgio ou intróito. Não prepararíamos nada. Não desperdiçaríamo…