Pular para o conteúdo principal

O guerrilheiro moderno

     Sonhos nos fazem cometer loucuras. Pelo menos aos olhos dos que vivem a vida real...
     Por incrível que pareça cruzei ontem com uma destas pessoas. Ela tinha os seus sonhos e lutou por eles, mas o resultado não foi o esperado. Foi preso e enquadrado na Lei de Segurança Nacional. Sempre ouvi falar desta famigerada Lei, mas até hoje nunca tinha conversado com alguém que tivesse recebido o duro peso da LSN.
    A dita Segurança Nacional vem sendo protegida há muito tempo. No wikipédia encontramos um bom resumo sobre como este tema foi tratado pela Legislação pátria:

  • A Lei nº 38, de 4 de abril de 1935, reforçada pela Lei nº 136 de 14 de dezembro do mesmo ano, pelo Decreto-lei nº 431, de 18 de maio de 1938 e pelo decreto-lei nº 4.766 de 1 de outubro de 1942, que definia crimes militares e contra a segurança do Estado.
  • A Lei 1.802 de 5 de janeiro de 1953.
  • O Decreto-Lei 314 de 13 de março de 1967. Transformava em legislação a doutrina de Segurança Nacional, que era fundamento do Estado após o golpe militar de 1964.
  • O Decreto-Lei 898 de 29 de setembro de 1969. Essa lei de Segurança Nacional foi a que vigorou por mais tempo durante o regime militar.
  • Lei 6.620 de 17 de dezembro de 1978. Lei mais branda que as anteriores.
  • Lei nº 7.170, de 14 de dezembro de 1983, promulgada durante o governo do presidente João Figueiredo e ainda em vigor.
Durante o regime militar, as duas primeiras versões da LSN (a de 1967 e a de 1969) implementavam, segundo os juristas, a doutrina de Segurança Nacional influenciada pela Guerra Fria. Nela há uma preocupação acentuada em proteger o Estado contra um "inimigo interno", em nosso caso, naquela conjuntura, pessoas tidas como comprometidas com ideais políticos diferentes daqueles preconizados pelos militares. Fonte: Wikipédia - Lei de Segurança Nacional.
     Fui impactado pela história contada por um daqueles que ousou enfrentar a estrutura vigente. Por alguém que ousou pensar e agir diferentemente do que o Estado impunha.
     Sempre li sobre o tema da luta armada no tempo da ditadura, é um assunto que me interessa. Sempre me interessou. Mas nunca havia cruzado com alguém que pegou em armas para defender seus ideais.
     Algumas vezes me questionei sobre o que eu faria naquela época. Será que eu entraria naquela luta a ponto de pegar em armas? Tenho a impressão que não. Não teria este desprendimento. Admiro quem teve. E este não pegar em armas não é porque não acredito na luta armada. Mas acho que eu não teria o desapego necessário. Claro que esta análise é feita distante dos fatos, talvez no calor dos acontecimentos eu tomasse outra decisão. Sou muito afeito a tomar decisões baseadas na emoção. Então, dentro de mim, sempre ficará está dúvida, pegaria em armas ou não?
     Mas o "guerrilheiro" que encontrei lutou nos tempos "modernos". Um sonhador, talvez. Um inconformado, com certeza. Mas ele foi domado pelo sistema repressor, e o instrumento usado foi a Lei de Segurança Nacional. Mas quem ele ameaçava? Como ele ameaçava? Me considero uma pessoa razoavelmente informado, mas nunca ouvi falar sobre a luta dele. Talvez seja até uma alucinação desta pessoa que cruzou meu caminho ontem. Talvez não. Mas ele falou com tanta convicção que aquela conversa entre nós me revelou um fato consolidado. Segundo o sou relato ele pegou em armas pela separação do Rio Grande em relação ao Brasil. Imaginem alguém lutando pela independência do Rio Grande do Sul nos idos de 1987. Não me refiro somente a luta pelo separatismo, que tem no senhor Irton Marx seu maior expoente, mas sim pegar em armas para implementar esta secessão. Procurei alguma notícia sobre este fato, mas não encontrei nada.
     Acho um despropósito sem tamanho alguém pegar em armas por querer que um estado se separe do Brasil. Não vejo o mínimo sentido numa luta com este objetivo. Mas esta avaliação é completamente racional, desprovida de paixão, portanto, mais fácil de ser formulada.
     Mas o que me fascina nesta história é como o ideal de alguém pode levar a um rompimento de todos os limites, sejam eles físicos, morais ou sociais. Sem mencionar que o racional é colocado ao largo desta decisão limite. Tenho a impressão que estes rompimentos somente são possíveis quando o racional é sobrepujado pelo amor à causa. Respeito quem tem este desprendimento, mesmo quando a luta é completamente inconsequente ou impossível de ser vencida. A história deste guerrilheiro moderno me fez lembrar Don Quixote com suas fantasias e suas lutas imaginárias. Como o mundo seria menos fascinante sem estas pessoas sonhadoras...
     Precisamos de pessoas que lutem pelos seus ideais. Precisamos também de pessoas que têm os pés no chão. Aliás, precisamos do equilíbrio entre estas duas formas de encarar o mundo, um meio termo entre os sonhadores e os racionais aos extremo. Mas mesmo sabendo que a virtude está no meio, admiro quem luta pelos seus sonhos, mesmo quando a luta esteja marcada pela derrota certa.

Trilha Sonora:

Rain Fall Down (Radio Edit) - The Rolling Stones - Rain Fall Down Promo CD
Off The Hook - The Rolling Stones - Singles Collection - The London Years 
What A Shame - The Rolling Stones Singles Collection - The London Years 
The Under Assistant West Coast Promotion Man (Version 1) - The Rolling Stones - Singles Collection - The London Years (Disc 1)
Time Is On My Side (Version 2) - The Rolling Stones - Singles Collection - The London Years
Tell Me (You're Coming Back) - The Rolling Stones Singles Collection - The London Years
Voices Inside My Head - The Police - Message in a Box
Brown Sugar - The Rolling Stones - Rolling Stone Magazine's 500 Greatest Songs Of All Time
Zona de Promesas - Soda Stereo - Zona de Promesas (Mixes 1984-1993)
Travels - Pat Metheny - Trio 99->00
Focus II - Focus - Live At The Rainbow
One - U2 - Achtung Baby
Rolling Stones - Miss You - Rock 70´s
He can only hold her - Amy Winehouse - Back to black
I Don't Wanna Go Home - The Alan Parsons Project  - Turn Of A Friendly Card
Sleeping With The Dog - Jethro Tull - Catfish Rising
China Grove - The Doobie Brothers - Rock 70´s
Summertime - Big Brother & The Holding Company - Live At Winterland '68
Getting Better - The Beatles - Sgt. Pepper's Lonely Hearts Club Band
What Am I To You - Norah Jones - Feels Like Home

Comentários

  1. Senti pelo que li aí que você nem sabe bem o que admira..rs rs

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Interaja com Ledventure...

Postagens mais visitadas deste blog

Os conflitos de Lucas

- Hoje você me disse que tudo estava acabado. Mas estamos aqui neste motel.
     - Não retiro o que te disse. Estar aqui é mais uma prova que o nosso amor acabou e que o único lugar onde ele ainda pulsa é aqui. O que é uma pena.
     - Mas ainda tem um lugar onde somos felizes.
     - Tu acha que felicidade é isso que vivemos? Se tu acha que isto aqui é felicidade, tenho que te dizer que você nunca foi feliz...
     - Eu aqui nos teus braços sou a mulher mais feliz deste mundo e isto é felicidade para mim.
     - Pois eu queria algo mais.
     - Lucas, tu é o primeiro homem que me diz isso, talvez por isso você seja tão especial.
     - Não sou especial, apenas quero ser feliz e formar uma família. Só isso, será que é pedir demais?
     - Com certeza para uma mulher como eu é pedir demais... Nem meu nome tu sabe. Só meu nome de guerra.
     - Como assim, tu não se chama Sharon?
     - Claro que não. Meu nome é comum e não combina com o que faço.
     - Então se revele, pelo menos…

"Como fazer sexo"

O Google a cada ano nos revela as trends, em nosso amado português podemos traduzi-lo como tendências. Ou no português mais nosso ainda são os termos mais pesquisados no ano. É interessante dar uma olhada para vermos como somos fúteis. No Brasil para se ter uma ideia o termo mais pesquisado foi o BBB13. Estamos reduzidos a quase nada. Ou um nada completo.
     Mas o que mais me chamou a atenção foi um o tal tópico de "Como fazer". São todas as pesquisas com tem como intenção descobrir como fazer determinada coisa e pasmem está em quarto lugar a pesquisa "como fazer sexo". Não acreditam, então acessem o link: Trends: Como fazer sexo. Fico imaginando a pessoa "googleando" antes daquela noite (manhã ou tarde) de sexo. "Já sei como fazer, mas quero dar uma recordada, hoje promete e não quero decepcionar". É o fim da várzea.
      Eu sei que o google faz parte da nossa vida, não nos vemos sem esta ferramenta dos tempos modernos, mas pesquisar c…

Vida em anacruse

Já escrevi vários inícios. Muitos refeitos ou deletados.
     Tentativas vãs. Ou melhor, tentativas desfeitas, mas não vãs, pois todas, absolutamente todas me ensinaram alguma coisa. Na verdade pouco importa, porque a cada início tudo se repete. Queria que fosse diferente. Talvez como a música que está tocando. Follow Me do disco Imaginary Day do Pat Metheny  é a música perfeita para retratar o que quero dizer. Esta música já inicia no meio de um compasso, o que recebe o nome de anacruse, acho que é este o nome.
     A vida poderia ser uma grande anacruse. Explico. Primeiramente tenho que tentar definir anacruse como a ausência de tempos no primeiro compasso de uma melodia. Não sou músico, por isso defino a anacruse de forma tão simplória e tosca. O que quero dizer com esta figura de linguagem é que seria mais fácil se a vida fosse em anacruse, ou seja, quando menos esperássemos já estaríamos vivendo, sem nenhum subterfúgio ou intróito. Não prepararíamos nada. Não desperdiçaríamo…