Pular para o conteúdo principal

Os gênios de coisa nenhuma

     A cada dia surge uma mente brilhante com uma solução para um problema do Brasil.
     Fico impressionado como temos gênios neste país abençoado por Deus. Nenhum destes próceres têm dúvida, tudo que propõem é definitivo. Seja em que campo for, sempre têm a solução.
     Por que então vivemos nesta situação de caos total? Por que as soluções quando implementadas revelam-se inapropriadas. Não ficarei a relacionar exemplos infindáveis que surgem na minha cabeça. Mas trarei apenas alguns exemplos.
     No trânsito de nossas cidades temos os conhecidos "gargalos", onde não há maneira de trafegar. E por anos a fio convivemos com estes problemas. De uma hora para outra surge, não se sabe de onde, um especialista de coisa nenhuma e dá a solução para o problema. Por exemplo implementa uma rótula, uma sinaleira ou quem sabe uma elevada. Não importa qual solução seja colocada em prática, pois na esmagadora maioria das vezes é inapropriada. O tal especialista de coisa nenhuma é útil para criticar, mas quando seus ideias são postas em práticas se revelam inúteis. Muitos de nós já vivenciamos alguma situação parecida.
     Outro exemplo que me vêm a mente se refere à inflação que assolou este país entre as décadas de 1980 e 1990, quando convivíamos com uma inflação de mais de 80% ao mês, constantemente éramos brindados com soluções mágicas para o problema da inflação. Seja congelamento, tabelamento, racionamento ou outra solução mágica da hora. Nenhuma delas deu resultado, mas os especialistas continuavam a frequentar os mesmos programas de televisão. Sempre com a denominação de especialistas. Quando raramente questionados sobre soluções aplicadas por eles, tergiversavam colocando a culpa no mercado, na população ou mesmo no momento histórico. Nunca confessavam alguma falha. Afinal, eram os especialistas.
     No futebol este fato ocorre constantemente. De hora em hora nos deparamos com um mágico apresentando a solução para o problema de algum time que está vivendo uma maré ruim. Seja a troca do sistema de jogo, de algumas peças ou quem sabe trocar o administrador da equipe. Mas todos tem "a solução". Muitas vezes quando assumem uma equipe não conseguem implementar solução nenhuma. No futebol a desculpa é falta de pegada ou mesmo de atitude.
     Os gênios de plantão propugnam pela terra arrasada e "vendem" suas soluções. Esquecem que solução mágica não existe, esquecem que a vida não dá saltos. Tudo é resultado de uma lenta e gradual evolução. Soluções mágicas é mais uma forma de enganar a todos nós. Definitivamente não existe solução mágica.
     Hoje mais uma vez fui surpreendido com a solução mágica do momento proposta por um administrador qualquer. Mais uma vez senti que ele só está jogando para a torcida. Estou cansado de soluções mágicas, quero somente um começo de solução, quero uma proposta que exija sacrifícios, mas que no fim tenhamos algo de positivo e não somente promessas vazias. Não gostamos de remédios amargos, mas em muitas ocasiões é a forma de enfrentarmos algum problema.
     Chega de soluções mágicas de especialistas de coisa nenhuma, queremos soluções os problemas que assolam este país desde sua fundação. E os nossos gênios de coisa nenhuma podem dar expediente em outro país, pois aqui já causaram muitos estragos e esta na hora de começarmos nossa caminhada para sairmos deste atoleiro. Sem eles será menos difícil.

Trilha sonora
Killing Me Softly With His Song - Roberta Flack - Rolling Stone Magazine's 500 Greatest Songs Of All Time
Atlantic - Keane  - Under The Iron Sea
Every Breath You Take - The Police - Message in a Box
The Eagle Will Rise Again - Alan Parsons Project - The Ultimate Collection Disc 1
November Rain - Guns N' Roses - Use Your Illusion I
Kashmir - Led Zeppelin - Rock 70´s
Black Dog - Led Zeppelin - Rolling Stone Magazine's 500 Greatest Songs Of All Time

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Os conflitos de Lucas

- Hoje você me disse que tudo estava acabado. Mas estamos aqui neste motel.
     - Não retiro o que te disse. Estar aqui é mais uma prova que o nosso amor acabou e que o único lugar onde ele ainda pulsa é aqui. O que é uma pena.
     - Mas ainda tem um lugar onde somos felizes.
     - Tu acha que felicidade é isso que vivemos? Se tu acha que isto aqui é felicidade, tenho que te dizer que você nunca foi feliz...
     - Eu aqui nos teus braços sou a mulher mais feliz deste mundo e isto é felicidade para mim.
     - Pois eu queria algo mais.
     - Lucas, tu é o primeiro homem que me diz isso, talvez por isso você seja tão especial.
     - Não sou especial, apenas quero ser feliz e formar uma família. Só isso, será que é pedir demais?
     - Com certeza para uma mulher como eu é pedir demais... Nem meu nome tu sabe. Só meu nome de guerra.
     - Como assim, tu não se chama Sharon?
     - Claro que não. Meu nome é comum e não combina com o que faço.
     - Então se revele, pelo menos…

"Como fazer sexo"

O Google a cada ano nos revela as trends, em nosso amado português podemos traduzi-lo como tendências. Ou no português mais nosso ainda são os termos mais pesquisados no ano. É interessante dar uma olhada para vermos como somos fúteis. No Brasil para se ter uma ideia o termo mais pesquisado foi o BBB13. Estamos reduzidos a quase nada. Ou um nada completo.
     Mas o que mais me chamou a atenção foi um o tal tópico de "Como fazer". São todas as pesquisas com tem como intenção descobrir como fazer determinada coisa e pasmem está em quarto lugar a pesquisa "como fazer sexo". Não acreditam, então acessem o link: Trends: Como fazer sexo. Fico imaginando a pessoa "googleando" antes daquela noite (manhã ou tarde) de sexo. "Já sei como fazer, mas quero dar uma recordada, hoje promete e não quero decepcionar". É o fim da várzea.
      Eu sei que o google faz parte da nossa vida, não nos vemos sem esta ferramenta dos tempos modernos, mas pesquisar c…

Vida em anacruse

Já escrevi vários inícios. Muitos refeitos ou deletados.
     Tentativas vãs. Ou melhor, tentativas desfeitas, mas não vãs, pois todas, absolutamente todas me ensinaram alguma coisa. Na verdade pouco importa, porque a cada início tudo se repete. Queria que fosse diferente. Talvez como a música que está tocando. Follow Me do disco Imaginary Day do Pat Metheny  é a música perfeita para retratar o que quero dizer. Esta música já inicia no meio de um compasso, o que recebe o nome de anacruse, acho que é este o nome.
     A vida poderia ser uma grande anacruse. Explico. Primeiramente tenho que tentar definir anacruse como a ausência de tempos no primeiro compasso de uma melodia. Não sou músico, por isso defino a anacruse de forma tão simplória e tosca. O que quero dizer com esta figura de linguagem é que seria mais fácil se a vida fosse em anacruse, ou seja, quando menos esperássemos já estaríamos vivendo, sem nenhum subterfúgio ou intróito. Não prepararíamos nada. Não desperdiçaríamo…