Pular para o conteúdo principal

Um homem em busca de esperança

     Me surpreende as contribuições que começo a receber. Hoje recebi um texto de quem somente conheço neste mundo virtual. Este leitor é de São Paulo e a sua contribuição é cheia de um sentimento próprio dos grandes centros. Ao ler senti uma certa tristeza, mas na verdade é um texto realista... Obrigado Ernesto José Dumas.

Por Ernesto José Dumas     


     O sol se põe. Com ele a esperança se vai... A esperança de um dia melhor se perde neste pôr do sol. Por que insistimos em ter este sentimento. Por que nos enganamos em esperar um dia melhor que teima em não vir.
     Sempre nos enganamos com este sentimento chamado esperança. Ou quem sabe a esperança seja uma droga natural, criada para nos manter vivos.
     Hoje ao passar em frente a um destes templos vi um grupo de pessoas saindo de lá, pareciam abençoadas pelo Senhor, talvez estivessem esperançosas de uma vida melhor. Gostaria de ter cruzado com elas antes de entrarem naquele templo. Será que elas são como eu, desesperançosas. Será que lá dentro são distribuídas doses de esperanças? Se for isso, acho que no sábado que vem estarei lá para receber o meu quinhão...
      Pena que não é tão simples assim, se fosse, eu que sou tão desesperançoso já teria entrado em alguma desta seitas. Eu procuro durante toda a minha vida esta esperança que muitos dizem possuir. Gostaria de ter esperanças do surgimento de um mundo melhor. Sempre sou invadido por este sentimento de total descrença em nossa querida humanidade. Não que isso afete minha vida, continuo minha história de vida, mas totalmente descrente num futuro promissor para o conjunto da população. De uma forma egoísta penso em mim e de quem está próximo de mim, não quero mais mudar o mundo, pois tenho certeza de que este não tem mais solução.
     Me incomodava pensar somente em mim. Me incomodava a minha omissão em tentar mudar o mundo. Olhava para trás e queria encontrar de novo aquele menino que tinha todas as soluções para os problemas do mundo, aquele jovem que tinha nos olhos a certeza da mudança. Hoje ao me olhar no espelho somente vejo um senhor que foi cooptado pelo sistema. Um homem que deixou de lado seus sonhos para viver uma vida sem compromissos sociais. Sem atuação na mudança. Claramente a vida vergou este cara que aparece refletido no espelho. É com tristeza que vejo o jazigo daquele menino que iria mudar o mundo...
     O menino deu lugar ao homem que tem suas responsabilidades, que somente faz o seu melhor, que contribui para a mudança, mas não faz parte da mudança. É dura esta constatação mas ela é necessária, faz parte da procura da tão sonhada esperança.
     Já é noite escura lá fora, a cidade pulsa, ouço vozes ao fundo, são bêbados voltando de alguma festa, parecem estar depredando alguma coisa. Imediatamente me pergunto. Como ter esperança?
     Mas por incrível que pareça sou invadido por um sentimento muito forte, será que é esperança... Adormeço em frente do computador... era somente sono.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Os conflitos de Lucas

- Hoje você me disse que tudo estava acabado. Mas estamos aqui neste motel.
     - Não retiro o que te disse. Estar aqui é mais uma prova que o nosso amor acabou e que o único lugar onde ele ainda pulsa é aqui. O que é uma pena.
     - Mas ainda tem um lugar onde somos felizes.
     - Tu acha que felicidade é isso que vivemos? Se tu acha que isto aqui é felicidade, tenho que te dizer que você nunca foi feliz...
     - Eu aqui nos teus braços sou a mulher mais feliz deste mundo e isto é felicidade para mim.
     - Pois eu queria algo mais.
     - Lucas, tu é o primeiro homem que me diz isso, talvez por isso você seja tão especial.
     - Não sou especial, apenas quero ser feliz e formar uma família. Só isso, será que é pedir demais?
     - Com certeza para uma mulher como eu é pedir demais... Nem meu nome tu sabe. Só meu nome de guerra.
     - Como assim, tu não se chama Sharon?
     - Claro que não. Meu nome é comum e não combina com o que faço.
     - Então se revele, pelo menos…

"Como fazer sexo"

O Google a cada ano nos revela as trends, em nosso amado português podemos traduzi-lo como tendências. Ou no português mais nosso ainda são os termos mais pesquisados no ano. É interessante dar uma olhada para vermos como somos fúteis. No Brasil para se ter uma ideia o termo mais pesquisado foi o BBB13. Estamos reduzidos a quase nada. Ou um nada completo.
     Mas o que mais me chamou a atenção foi um o tal tópico de "Como fazer". São todas as pesquisas com tem como intenção descobrir como fazer determinada coisa e pasmem está em quarto lugar a pesquisa "como fazer sexo". Não acreditam, então acessem o link: Trends: Como fazer sexo. Fico imaginando a pessoa "googleando" antes daquela noite (manhã ou tarde) de sexo. "Já sei como fazer, mas quero dar uma recordada, hoje promete e não quero decepcionar". É o fim da várzea.
      Eu sei que o google faz parte da nossa vida, não nos vemos sem esta ferramenta dos tempos modernos, mas pesquisar c…

Vida em anacruse

Já escrevi vários inícios. Muitos refeitos ou deletados.
     Tentativas vãs. Ou melhor, tentativas desfeitas, mas não vãs, pois todas, absolutamente todas me ensinaram alguma coisa. Na verdade pouco importa, porque a cada início tudo se repete. Queria que fosse diferente. Talvez como a música que está tocando. Follow Me do disco Imaginary Day do Pat Metheny  é a música perfeita para retratar o que quero dizer. Esta música já inicia no meio de um compasso, o que recebe o nome de anacruse, acho que é este o nome.
     A vida poderia ser uma grande anacruse. Explico. Primeiramente tenho que tentar definir anacruse como a ausência de tempos no primeiro compasso de uma melodia. Não sou músico, por isso defino a anacruse de forma tão simplória e tosca. O que quero dizer com esta figura de linguagem é que seria mais fácil se a vida fosse em anacruse, ou seja, quando menos esperássemos já estaríamos vivendo, sem nenhum subterfúgio ou intróito. Não prepararíamos nada. Não desperdiçaríamo…